Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

 

 

Letra

 

Tu sabes que lá no fundo só uma vez é que quebrei
Por ti eu deixei os sons até com tropas eu falhei

Contigo fui bolo fofo sabes que nunca te menti
Tenho quem me beije os pés mas escolhi lutar por ti

Só mesmo a puxar por ti é que dizias que me amavas
Mas ao longo deste tempo foram mais as vezes que magoavas

É que tudo estava tão bem mas tudo mudou derepente
E tu queres que eu esqueça tudo e que á noite eu não pense

No que se passou quando eu fui o maior cobarde
Em ter-te abandonado só por teres menos idade

Da primeira vez em que nós nos beijámos
E que apenas numa tarde cagaste em tudo o que passámos

Por incrivél que pareça eu não me sinto arrependido
De ter-te feito rainha e no final teres-me traído

Porque nem tudo foi mau mas eu já não volto atrás
Ainda nem percebi como é que tu foste capaz

E eu sei que o mal foi ter-te dado tanta importância
Até vendia a minha casa só para te dar uma aliança

E hoje posso dizer que nem te consigo olhar na cara
Porque até podia nem ter guita mas nunca te faltou nada

E até tu sabes está na cara que tu erraste
E chegaste a me dizer que eu fui o gajo que mais gostaste

Como é que apagas-te? a tua primeira vez
Quando eu te dei o meu coração mas isso tu não vês

Eu já apaguei as fotos todas do meu S3
Mas não me sais da cabeça desaparece de uma vez

Não te vou mentir porque mesmo a cantar baço
Nunca me irei esquecer da noite no terreiro do paço

De nós a fazer amor sempre num volume baixo
Das manhãs que te acordei com um beijo e com um abraço

Seguiste com a vida mas nunca vais encontrar igual
Por muitos que tu tenhas tu já perdeste o tal

Queres que eu seja sincero? ainda me lembro
De pedires para eu ficar nas noites frias de Dezembro

De te agarrares a mim e de ficarmos a falar
De esperares que eu fosse embora para tu poderes chorar

De me contares cenas que nunca contas-te a ninguém
Eu preferia estar mal do que tu não estares bem

Tudo isto fez o meu coração se partir
Quando pensava que eras minha e foste capaz de partir

Fez-me pensar no que eu te dei e que tu nunca me deste
Em tudo o que eu não te fiz e que tu me fizeste

Nos tempos em que pensava que eras uma míuda ás direitas
E ainda me lembro de pensar que darias uma mãe perfeita

E já pensaste em como é que eu estou agora
Nunca mais disseste nada simplesmente foste-te embora

Tal e qual como o amor que do meu coração fugiu
Porque se algo aprendi contigo foi a ter o coração frio

Nem consigo dormir porque o meu corpo não consegue parar
Ele está contra mim minha cabeça está-me quase a matar

Não paro de tremer estou no quarto mas perdido
Ligo ao meu mano Barbosa e tomo mais um comprimido

Porque se eu tenho aguentado é graças aos meus amigos
E a groupies com grande rabo que fazem tudo para estar comigo

Que sentem saudades da voz do Yellow G
Que na minha boca sentem álcool e já não o Ice Tea

Que agora estou mais bandido que é só groupies no telefone
Que agora sempre que falo estou sob o efeito do Melone

E será que isto tudo é minha culpa ou tua?
Porque na verdade não te conheço mesmo te tendo visto nua

E mesmo apesar de tudo custou-me tanto o nosso fim
Porque o que tu fizeste não foi de alguém que eu conheci

Por isso eu digo que não te conheço e custa-me dizer-te isto assim
Porque eu amo-te é verdade mas primeiro gosto de mim

 

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email