Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

 

 

Letra

 

Não me sais das veias, não me deixas seguir a vida parece que me cortaste as pernas depois da tua partida.
Cada mulher és tu, em cada corpo estás tu, parece que levaste o meu coração para ser o teu brinquedo vudu.
É tão difícil acreditar mas ainda sinto o teu beijo, estás em tudo o que eu faço, em tudo o que oiço, toco ou vejo.
Parece que fizeste uma gravação do teu nome na minha cabeça, uns chamam-lhe amor, eu chamo-lhe doença.
Há muito tempo que ando perdido ando há beira de um precipício e o meu corpo é doente por ti como se fosses um vicio.
Eu ressaco de ti a cada segundo, minuto e hora, eu sinto a tua falta mas quero que vás embora.

Mesmo sem estares aqui eu consigo ouvir-te.
Mesmo sem estares aqui eu consigo sentir-te, já não quero mais pensar em ti.
Fazia qualquer coisa para esquecer, mas tu insistes em estar em mim, mesmo depois de eu te perder.

Ainda te lembras.. como lembravas?
Ainda choras.. como choravas?
Ainda pensas... como pensavas?
Isto acabou para mim, já não existes aqui.

Ainda te lembras.. como lembravas?
Ainda choras.. como choravas?
Ainda pensas... como pensavas?
Isto acabou para mim, acabou.

Não quero mais pensar em ti quero esquecer que te conheci que sejas feliz na tua vida mas que sejas longe de mim.
Nunca mais tive ninguém porque as comparo sempre a ti e por muito que eu tente ninguém se compara a ti.
Tu foste tudo na minha vida mas nós éramos tão diferentes, não me quiseste na tua vida, nem me deixas seguir em frente.
Quero que me deixes em paz, que à noite me deixes dormir quero-te deixar de ver, de te sentir e de te ouvir.
Quero que saibas que podes contar comigo que eu irei estar cá está mas não consigo ser teu amigo.
Quando te vir na rua vou fingir que não te vi, já perdoei há muito mas eu ainda não esqueci.

Mesmo sem estares aqui eu consigo ouvir-te.
Mesmo sem estares aqui eu consigo sentir-te, já não quero mais pensar em ti.
Fazia qualquer coisa para esquecer, mas tu insistes em estar em mim, mesmo depois de eu te perder.

Ainda te lembras.. como lembravas?
Ainda choras.. como choravas?
Ainda pensas... como pensavas?
Isto acabou para mim, já não existes aqui.

Ainda te lembras.. como lembravas?
Ainda choras.. como choravas?
Ainda pensas... como pensavas?
Isto acabou para mim, acabou.

Já viveste demasiado em mim hoje tenho orgulho porque consegui nunca fui suficiente para ti nem tu nunca foste o que mereci.
Eu só quero pensar em mim, esquecer o que eu contigo sofrer quero só te por um ponto final na nossa história aqui ponho um fim.
Hoje sou eu que me esqueço que enterro tudo o que eu vivi que apago essa tua cara tipo que nunca te conheci.
E mesmo que tu quisesses um homem como eu já não há, porque o homem que fui em tempos hoje não está cá, ya?

Ainda te lembras.. como lembravas?
Ainda choras.. como choravas?
Ainda pensas... como pensavas?
Isto acabou para mim, já não existes aqui.

Ainda te lembras.. como lembravas?
Ainda choras.. como choravas?
Ainda pensas... como pensavas?
Isto acabou para mim, acabou.

 

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email