Terça-feira, 11.11.14

joao afonso.jpg

 

 

JOÃO AFONSO

REEDIÇÃO DIGITAL DE «SANGUE BOM» COM 4 TEMAS INÉDITOS

O último álbum de João Afonso é reeditado nas plataformas digitais a 10 de novembro

Quatro canções totalmente inéditas serão acrescentadas a "Sangue Bom", o mais recente trabalho discográfico de João Afonso, lançado em fevereiro passado e que mostrou o diálogo entre a musicalidade de João Afonso e as narrativas, as histórias e mistérios de Mia Couto e  José Eduardo Agualusa.
 
Tal como nos temas anteriores, estas novas canções têm produção musical e arranjos de Vitor Milhanas, excepto "Cacimbo" com arranjos de João Lucas, e a participação especial de  Kepa Junkera, com a sua triki(tina) e txalaparta em "Um dia irei"; Manuel Maio nos violinos e Moisés Fernandes no flueghel. "Silvestre" é enriquecida com a guitarra elétrica de José Moz Carrapa e com o udu de António Pedro.  A canção de "Ó Mano" conta ainda com o cavaquinho e bandolim de Edu Miranda e o trombone de Paulo Fragoso. António Pinto no dobro, Miguel Fevereiro na guitarra , a voz de António Afonso, a percussão e bateria de Quiné Teles e Vitor Milhanas no baixo , sintetizador e programações ritmicas completam as participações  deste novo naipe de canções.
 
Encontre estes quatro novos temas - "Um dia irei", "Cacimbo", letras de José Eduardo Agualusa,  e "Silvestre", "Ò Mano",  a partir de poemas de Mia Couto – exclusivamente nas plataformas digitais a partir de hoje.


publicado por olhar para o mundo às 20:27 | link do post | comentar

Sexta-feira, 07.02.14

João Afonso

 

Sangue Bom 

Três autores, dois escritores e um músico/cantor, sem pátria definida. Uma pitanga de verde mar construída como uma narrativa de histórias e mistérios de Mia Couto e de José Eduardo Agualusa com a musicalidade de João Afonso.


São canções de amizade, fraternidade, de amor e contos sobre o paradigma perdido da infância. São afirmações com melodia de uma identidade lusófona, sem raça, com estradas de terra, cacimbo e lagartos ao sol numa grande casa branca. Um domínio de afetos humanos musicais entre Portugal, Moçambique e Angola.


É um trabalho de sonoridades híbridas, mas únicas, que ficaram no subconsciente coletivo de pessoas que se cruzaram num espaço nosso e que existe entre os três povos tal como entre os autores.


Há como a invenção de um novo território, onírico, traduzida nas diversas colaborações entre autores e músicos, com a riqueza dos arranjos de Vitor Milhanas a realçar esta sonoridade lusófona.


A voz de João Afonso,  também ele fruto da história pois é um músico luso/moçambicano,  numa combinação perfeita com dois amigos, dois escritores, poetas consagrados e de grande qualidade:  José Eduardo Agualusa,  de Angola,  e Mia Couto,  de Moçambique.

"Conheci o João Afonso enquanto ambos errávamos por agronomia. Foi ali que o vi nascer como músico. As suas canções têm vindo, desde então, a acompanhar-me ao longo da vida, enquanto escrevo, e acredito que os meus livros são melhores por isso. 
A possibilidade de fazer parte de algumas dessas canções, ainda por cima ao lado de Mia Couto, é para mim uma festa. Obrigado, João".  
  
José Eduardo Agualusa        

"João traz-me, na voz, a infância e, nas canções, Moçambique. Com João Afonso e José Agualusa sentamo-nos na mesma varanda e ficamos desfiando conversa cantada. E fomos, os três, nessa cantiga. Culpa do João: nunca mais houve regresso"
Mia Couto 

 

Uma fusão de sonoridades contemporâneas mediadas organicamente com uma instrumentação variada que vai de guitarras a kissanges, de trikitinas e marimbas a violas, temperadas com a voz de João Afonso.


Um mapa de cores da diáspora Portuguesa, uma aventura musical sob a batuta de Vitor Milhanas (Produção arranjos e direcção musical).


De Portugal um realce especial ao Percussionista Quiné teles, dando alma ao trabalho rítmico de Vitor Milhanas em “Sangue bom”.


Vitor Milhanas (baixo elétrico e contrabaixo), António Afonso (voz), António Pinto, Miguel Fevereiro, Rogério Cardoso Pires, Manuel Rocha e José Moz Carrapa (guitarras), José Tavares (alaúde),João Barroso (flautas),Paulo Curado (sax soprano e alto), Luísa Gonçalves (piano), Manuel Maio eDinora Martins (cordas), Ruca Rebordão e António Pedro (percussões e bateria) Moisés Fernandes (trompete e fliscorne), Fausto Ferreira (teclados e sintetizadores) Edu Miranda (bandolim, Brasil) Paulo Fragoso (trombone) eJoão Lucas (acordeão, piano e responsável por pré-produção).


De Moçambique um dueto com Stewart Sukuma (voz) e as guitarras deCosta Neto e de Mingo Rangel.
De Angola a voz de Aline Frazão e o coração da guitarra e kissange deMário Rui. 
Do Brasil, Fred Martins (voz e guitarra).
Da Galiza o maestro Anxo pintos (sanfona) e do País Basco Kepa Junkera(trikitina e txalaparta).

Alinhamento:

1-Estrada do Sumbe
2-Na grande casa branca
3-Astros
4-Sangue bom
5-Lagarto
6-Sem volta
7-verde para crer
8-A paixão só atrapalha
9-Cançao pitanga 
10-Onde o amor termina
11-Sementes
12-Canção de despedida
13-A dor e o tempo
14- Canção de Goa



publicado por olhar para o mundo às 10:17 | link do post | comentar


Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email
mais sobre mim
posts recentes

João Afonso: Reedição dig...

Sangue Bom é o novo disco...

arquivos

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

tags

todas as tags

links
comentários recentes
Pena estes rapazes não terem mais popularidade. A ...
Nome do autor da letra?Não se escreve?Falta de res...
A LETRA É ASSIM!!!E NÃO ASSADO!!!!MaMãe, tu estás ...
As partes que não consegui perceber estão com reti...
https://www.google.pt/amp/s/www.musixmatch.com/pt/...
Vou adicionar nos meus favoritos, sou brasileira, ...
" Para que o tremoço o almoço e o alvoroço demorem...
Letra e música do SiulProdução do Siul Sotnas e Mi...
que puta de letra fdx
Epá, o que é isto?Borrei-me todo com este "Mal des...
blogs SAPO
subscrever feeds