Quinta-feira, 14.09.17

 

Letra

 

Rapper's hoje em dia são como a pornografia
Nem todos dão tusa porque há uma oferta em demasia
Ofensa à filosofia da nossa imensa minoria
Um puto plagia, fotocopia pirataria
E unir à varial quem tira a magia original
Yoo reflecte e repete comigo eu agi mal
Só tu sabes o que usaste e quando o bolso tiver gasto
Do topo vai cair que não és bem-vindo como um
Padrasto
É aí que me afasto logo pra baixo com pára-quedas
Não te curto como um payador não curto moedas
Boy ouve:
Eu não preciso de regressos com sucessos
Eu faço poesia a maioria faz versos
Esquece os outros mete os pontos nos "I's",
Mete os contos no lixo
Ou sons bons no disco, Ouviste?!
Consistência integridade longevidade na essência
Tens de ter paciência
EU, pus-me na bixa, preenchi a ficha, ganhei uma
T-Shirt
Quando ouvi chamar um bi chamado
artista 
À 1ª vista era fixe ter a profissão
Sou vocalista de outra lista dos que pensam que são
É relativo todo o título, toda a afirmação
Sou criativo e digo-lo com toda a estimação
Digressão é importante mas a tua e ficção
Como dj's que eu vejo nos pratos mandam "mixão"
Sem convicção,
Sinto-me à frente de gente que tem como influencia
uma
Só referência, uma só canção...
São imitação da escrita que limita a direcção
Solicitação evitam, necessitam correcção...


Refrão:

Dizem que cantam hip-hop, mas não dizem nada, vêm
com
Poesia mas é só fachada
O português não tá cansado eles vêm com o inglês,
Eu pratico praticando a nossa língua outra vez
Seja hip-hop, seja rock são poetas de karaoke
Dá um stop se não faz block pros poetas de karaoke,
No teu block no teu stock
são poetas de karaoke, poetas de karaoke, são poetas de
karaoke...



Põe a gramática em prática,
Didáctica ou Dramatica mentes citando técnicas
Poéticas com estéticas
Fonéticas de sempre atento ao surpreendente
Com métricas à frente, pra mentes cépticas
exigentes
Isto é pa todos, não e só pa Mc's
Isto é pa tugas que nunca escrevem na língua raiz
Querem ser internacionais mas tão cá no país
E nunca são originais são Nova york ou Paris
Sempre fui D. Diniz vocês são de onde der mais jeito
Onde houver mais fama e proveito
E se houver mais grana é aceite
E se houver uma dama com bom peito pensam que isso dá
respeito...
Confere e confirma a afirmação?vocês não acordam
Que eu condeno a vossa causa falsa que vocês abordam
Contractos são assinados com condições que não
Concordam
E as gravatas ficam gratas
Pelos escravos que as engordam
não há credibilidade na performance
O microfone não tá ligado isso pra mim é no sence
Não percebo o vosso ponto no meu som, eu ponho censo
Porque eu escrevo como falo, como sonho, e como
penso...



Refrão:

Dizem que cantam o hip-hop, mas não dizem nada, vêm
com
Poesia mas é só fachada
O português não tá cansado eles vêm com o inglês,
Eu pratico praticando a nossa língua outra vez
Seja hip-hop, seja rock são poetas de karaoke
Dá um stop se não faz block pros poetas de karaoke,
No teu block no teu stock
São poetas de karaoke, poetas de karaoke, são poetas de
karaoke... (2X)




Dois palermas: Yehhhhh ouviste aquele som? Ridículo
pah....que nojo pah, que...eu passo-me com aqueles
gajos
é pah...estes gajos "Sam the kid, Sam the kid"...é
Sempre a mema coisa..e depois vêm com aquelas letras
"Tec te tec te? é pah...não percebo nada
pah...Nunca gostei de rap pah...de certeza que não
Foram
À escola...pois não, não sabem escalas...não sabem
escalas...não sabem nada e depois vêm com...é a
musica
É you know, you think...you are?!?
E só o nome dele é contraditório...pois...SAM THE
KID....o que e aquilo pah...aquilo é inglês, é
americano
E kem é ele para me criticar...não é ninguém
pah....ohh
pahh...devias era ouvir musica pah... devias era
ouvir
Musica
Eles nem escrever sabem pah...o "a e i o u" não? Eles
Nem tem a 4ª classe...é o que faço-te que te
aconteço-te...
Que eles não percebem nada disso...eles não sabem
escrever


Sam the kid: Ohhh pessoal...pessoal, é assim, vocês
tão aí
a falar a toa mas eu digo-vos já, olha..o meu
português...





Não é correcto e sou mais poeta que vocês,
Todos voz do rock pop hip-hop é escrito em inglês,
Com a desculpa que foi a musica que ouviram ao
crescer
Nunca precisei de ouvir hip hop tuga pró fazer
Isso é o que dá mais prazer o meu idioma exploração
Vocês tentam outra língua pra tentar exportação
Querem ser os "moonspell" querem novos horizontes
Mas aqui o Samuel é madre Deus é Dulce Pontes
Porque há uma identidade vocês são todos idênticos
SÃO autênticos mendigos vendidos por cêntimos
NÃO compreendem o meu sentimento e mentem
Tentem jornalismo mas não comentem
Vocês fazem turismo de emoções que os outros sentem
Eu faço culturismo de expressões que todos sentem
E ou tão sempre a param, e não param com novo
reportório
O vosso não é actual é revista num consultório
E é notório que a história não quer a vossa presença
No relatório de Apolo a rejeição foi a sentença
Eu sei, no que é que eu vi do típico inox duro
Mais que fotocopias obvias que eu chamo de xerox puro
Vais ver com'é sais a pontapé,
Porque eu subo tipo hoofer?s tu cais tipo sudré
És um café sem SportTV, com o spot vazio
Não se pode evoluir ao ignorar o desafio
È SO PREGUIÇA!!!!

 



publicado por olhar para o mundo às 17:13 | link do post | comentar

Terça-feira, 06.06.17

 

Letra

 

Desulador o cenário antigo .. organico que cederam .. e
insetisidas onde a aparencia se opõe e paciencia céde a
pressao do imediato, ainda nao ainda nao deram conta
que o fruto do dinheiro acaba inventualmente de cair
da árvore .. podre .. podre ..

Valete:

Valeu apena teres ido ao ginásio do outono há
primavera
ja tens corpo suficiente para assinar pela editora
olha o contrato 90 para eles para ti 10%
ate chulos no intendente davam-te 50 %
agora es artista major cheio de estilo e auto-estima
moral em cima mas cheiras a vaselina, ...
mais um formato fareja há procura da platina, tu amas
musica mas tens de prostituila
não faças sons profundos porque as pessoas adormecem ,
lembra te os tugas dançam melhor do q pensam, por isso é que as radios
so passam sons de amor e festa por isso é que temos mais
discotecas que bibliotecas
por ixo é k playlistados nao passam de marionetas, há
muita gente a dar o rabo por isso tens que marcar é so merda,
musicas independentes nunca ouves nas radio stations
nao há espaço , é muito grande catalogo dessa majors
Tas na capa da revista nao é pk a tua musica é inovadora é só pk
a tua editora tens mais dinheiro k as outras aproveita
essa fama e toda a idulatração pk daki a 16 minutos , eu
apanho te aki no underground ..
Vais da gloria ao fracasso corrido a pontapé e a
historia nem guardara para ti um rodape
se vives de joelhos nem te vale a camisa do ché eu
tou na horizontal mas eide morrer de pé ..

Nesta Industria ...

.........

Nos damos há musica tudo o que ela nos da
quando o dinheiro acaba nos ainda tamos ca
nao papo nada do que a radio programa abro a pestana desintoniza e muda de
som

Nos damos há musica tudo o que ela nos da
quando o dinheiro acaba nos ainda tamos ca
Esses teus idolos mano sao so marionetes cantam por cheques fazem no sem alma e sem dom

Ikonoklasta -

Dizes que nao evolui ?
Nada aprendi do negocio e ainda gravo independations
E nao sei se agora os conceitos sao os mesmo de outrora
mas se o que eu vejo por ai é musica , deixo tudo e vou me embora
Playlists nao refletem o gosto , mas a cultura do povo
E a industria explora a ignorancia por isso cheira a mofo
?? é consumir , nao ha explicaçao para o bolso roto
E nos videos peitos peludos e fios de ouro
alimenta o sonho mano e sonha alto
Mas o pais tem 10 milhoes tas a ser otario
Nao sejas a Cinderella neste conto do Vigario
Nao chegas as estrelas no teu pé de feijao magico
Nunca , Nunca , Nunca , vais ser rico aceita
Podes ate viver disto mas nao sem cederes a peida
Eles irao lambe-la primeiro mas viram te do avesso
E o dilema que enfrentas e estabeleceres o teu preço

Nos damos há musica tudo o que ela nos da
quando o dinheiro acaba nos ainda tamos ca
Nao papo nada do que a radio programa abre a pestana desintoniza e muda de som

Nos damos há musica tudo o que ela nos da
quando o dinheiro acaba nos ainda tamos ca
Esses teus idolos mano sao só marionetes cantam por cheques , fazem no sem alma e sem dom

Sam the Kid -

Eu faço tipo metaforas boy , para mim labels sao tipo damas men ,
ves aquelas damas que tipo , ya dao bues nas vistas , aquela dama de silicone
Vais conhece la boy , nao tem nada na cabeça boy , nao te sabe tratar como queres ser tratado men , depois tens aquelas damas , as minhas favoritas boy , low pro .. low profile
aquelas damas que tao assim num canto e que , vais ter com elas conheces , vais beber um café , vais curti las boy , depois tens aquelas azedas boy , azedas , ninguem as quer boy , elas ai ate tentam vir com um decote bacano nepia boy , ninguem as quer . mas digo te uma cena men , para falares delas a cena e fat se ficares a conhece-las men por isso se elas te convidarem aceita o convite :
Vai beber um cafe com as editoras
Vai jantar com as editoras
Vai ah night com as editoras
Da kisses nas editoras
Apalpa as editoras

E fode com editoras mas repara
Nao te comprometas , cumprimenta as na cara
Porque elas sao ciumentas e nao podes fazer nada
Quando te derem o contrato , le , eu li como a lara
E eu vim para chamar a musica e ta perto da Sara
e no deserto do Sahara eles dao te areia
Queres subir ? eles dao boleia
Mas eu nao , eu vou a passo de anao
para mim eles sao multibancos sem paca
Porque eu nao lhes passo cartao
Passam me a perna se eu passo a mao
Num acordo sujo vou comprar sabao
E dou lhes um autografo com a condiçao
O filho é meu sou pai presente e nao tou na prisao
Numa divisao decente da comissao
Nao e ganancia e justiça e decencia é a minha visao
Esta e a minha exigencia , esta e a minha missao
A minha maneira de ter a carreira e ter duraçao
Boys Band pedem por favor : So mais um Verao
So mais um refrao , so mais um anuncio pa prestaçao
E a pergunta po ano sera , aonde é que eles tao ?
Sera que ficaram pa Historia ou foi em vao ?
é porque a populaçao tem memoria curta como penis no Japao
Vai po plano B da exposiçao , se real para ti num realyti show na televisao
Quando a participaçao acabava com teu single de apresentaçao
Nao e a mesma coisa pois nao ?
Hoje em dia ja nao ha ninguem que te ouça pois nao ?
Visto que foste Fast-food e acabou digestao
Ambicionavas ver o teu nome no cheque de 1 milhao
Eu preciso ser nome de rua , escola , ou pavilhao
Ao principio pensava que editoras era o Papao
Reconciliaçao , na Edel o Peter deu me o cartao
E se o cartao ainda existe é por alguma razao
Muitos ficam filtros quando eu chego a uma conclusao
Nao ha respeito sao preconceito na aceitaçao
Nao ha controlo e o rap criolo ainda nao tem ediçao
Numa major nem que seja so para distribuiçao
Boy eu ja nem ouço a radio men é so Poluiçao
Eu dou a musica o que ela me da ,
quando o dinheiro acaba eu ainda tou ca
A criar um sétimo A
Eu nao concordo com Paredes na sua frase mais bela
Eu amo demasiado a musica para nao viver dela
Nao quero trabalhar num escritorio isso para mim e fatela

Valete -

Ah musica dou tudo o que ela me da ,
Radio nao passa o meu som ,
Mas eu ainda tou ca
Eu juntei os manos mais puros no meu habitat
Nos seremos a mudança que o futuro trara

Ah musica dou tudo o que ela me da

Ah musica dou tudo o que ela me da ,
Radio nao passa o meu som ,
Mas eu ainda tou ca
Eu juntei os manos mais puros no meu habitat
Nos seremos a mudança que o futuro trara

Ah musica dou tudo o que ela me da

 



publicado por olhar para o mundo às 17:13 | link do post | comentar

Sábado, 31.12.16

 

Letra

 

[Verso 1: Sam the Kid]

No início é tudo rosas
Um conto de fadas
Ninguém discute e a luta é só de almofadas
Quando eu seduzo e a musa tá no sofá das
Histórias onde eu reduzo a memorias filosofadas
E eu sempre disse se houvesse algo que nos impedisse
De ser casal é só passar ao strip tease
Assim que eu sinta uma sintonia eu sincronizo
É quando eu simpatizo
É quando eu cicatrizo
O meu lado imperfeito e armadilhado
Num beijo que faz um efeito e o desfecho não é partilhado
Um cadeado no peito que foi baleado
No brilho de um olhar suspeito que me deixou encandeado
Até podes vir ousada aqui não vês arrojo
Se quando vês a massa é quando vês arroz
Pitar em Chelas mas o fodido é que ela supôs
Que era à luz de velas mas o cupido nem mesa pôs
Se vens frete eu vou logo senti-lo
Ela pensa que é discreta e mente de modo subtil
O coração já não me afeta e ninguém pode parti-lo
E agora sou uma indireta numa foto de perfil
Porque a seta não me acerta eu vim com sorte no game
Não há pessoa certa e se eu me der à morte eu queimo-me
Não há quem me stress se eu quiser inspiração a minha torre dá
Não há pressa e já não corro
Au revoir

[Refrão] (x2)

(Pormenores são)
São pormenores
Eles fazem a diferença
Princesa agora pensa
(Pormenores são)
São pormenores
Status é uma posição
Qual é a tua intenção

[Verso 2: Bispo]

Talvez pra ti até nem tenha o mesmo significado
Em vez de mim o ideal era ter o outro ao lado
Estupidez a minha é dar a minha companhia
E dar-te o que de bom tenho para me arrepender mais tarde
Insiste mais um bocado
Mais um beijo trocado
Num desejo alimentado com a fraqueza humana
Não resisto ao ser tocado prazer partilhado
No corpo tenho o diabo contigo numa cama
Já nem sei porque é que insisto se isto não anda
Se é a carne o despiste não existe chama
A dama parece fixe mas dizem que o risco trama
Não é que eu não tenha já visto nisto não se abranda
Mais uma vez despiste a pouca roupa que cobria a pele
Esquece o outro porque tas noutra louca com a boca no mel mas
Falta o anel
O espumante no hotel
E o mas importante para ela é o papel nah
Fotos de mão dada não são nada e nada dão
Se a intenção for aparecer e querer chamar a atenção
Status é uma posição e se tás com a intenção de algo
Faz-me um favor então de não procurar o diálogo
O ideal tal e qual seria valorizar detalhes
Um sorriso sem capital
É essencial que espalhes a magia que é preciso sintonia sem igual (sim)
Um dia vais estar em linha com o pormenor que eu falo

[Refrão] (x2)

(Pormenores são)
São pormenores
Eles fazem a diferença
Princesa agora pensa
(Pormenores são)
São pormenores
Status é uma posição
Qual é a tua intenção

 



publicado por olhar para o mundo às 17:13 | link do post | comentar

Domingo, 04.12.16

 

Letra

 

 

Em Chelas... em Chelas. Chelas é o sitio, Chelas é o berço

Chelas, o sítio onde eu moro
Procuro a verdade e a informação q'eu devoro
Eu não ignoro , toda a espécie de pessoa
Oiço uma voz que ecoa na rotina que enjoa
É sempre a mesma coisa que se vive e que se passa
E o que mete graça é que não há nada que se faça
Queres droga vai à praça
É assim o sistema
Porque isto é real não confundas com cinema
Tempos tao mudados, nomes sao alterados
Mas olhos continuam sempre atrás dos cortinados
E ficam na janela se for preciso uma noite inteira
Enquanto isso o filho rouba-lhe o dinheiro da carteira
Aqui não podes ser otário , tu tens que ser bem vivo
E tem cuidado com o monarca do distintivo
A cara podre é o escudo que faz a distância
Quuando ele se quebra não existe a tolerância
Respondo e pergunto, não escondo o assunto
Disfarce á parte pondo o sincero mais junto
O jovem sonha de perder a realidade medonha
Trabalho tras preguiça , preguiça trás vergonha
De onde é que vem a censura que eu não vejo o sensor
Porque o que eu aprendi é que o talento não tem côr
Mostra-me a verdade que tu revelas
Porque a minha tu sabes que vem de Chelas

Refrão :
o sitio onde eu moro o sitio onde eu vivo o sítio onde eu páro e
fico pensativo,

Chelas !! , Chelas !! Chelas !!
(X 2 )

Os dramas sao vários com problemas diários
Se és falado por trás então caga nos comentários
Porque eu tenhu um arsenal de despreso
E tu não ves o teso indefeso porque sentiu o meu peso
Consciente do Oriente pa tuga directamente
yoh acorda e sente a brisa porque a rua é ezigente
a minha inspiraçao surge numa noite escura
na minha rua nem a passadeira é segura
E queres sabe-la? é Manuel Teixaira Gomes,
É onde eu vivo e onde conheci muitos nomes
Uns bazaram outros baicaram mas ficam...
Na memória daqueles que não complicam
A variadade predomina há de tudo um pouco
Do consciente ao louco
Do que fighta ... ao que fighta com soco
Cuidado com o cusco.
Atento porque manca qualquer movimento brusco
Chelas tá no sangue Chelas tá no genes
Imagem tá igual , banda sonora , sirenes
Vejo pitas confusas com tusas constantes
Naquela que o sexo vai fazer delas mais importantes..
Mais elegantes..
Mas não esse é o resultado
Inexperiência faz ela cair em quuaker corvo, coitado
Eu penso que se ela fosse minha mana
Curtia que abrisse mais a pestana


O sitío onde eu moro o sitío onde eu vivo o sitío onde eu páro e
fico pensativo..

Chelas !... Chelas !... Chelas !...
(X 2 )

Sitío divido em zonas com letras do alfabeto
Zonas divídas em lotes com mau aspecto
Chibaria em todo lado , tem cuidado
Ambiente pesado para um mal habituado
Pitas querem ser senhoras , senhoras querem ser pitas
Tão bonitas cuidado é quem tu imitas
Os putos de hoje tambem querem crescer mais depressa
Mas quando crescem sabem que o tempo não regressa
Dá tempo ao tempo. um dia vais perceber
A vida é fodida mas tenta vivê-la com prazer
Mesmo que custe ao menos faz a tentativa
Tentar galar o mundo com outra prespectiva
Muitos feitios uns quentes outros frios
Alguns não se mexem outros aceitam desafios
Sem atrofios apenas opiniões
Fazem comparações sem nenhumas instrucões
Confusão nocturna num prédio silencioso
Agitaçao mental quando a zona está em repouso
Reflexão da vida enquanto acendo um porro
É aqui que eu nasço é aqui que eu morro

O sitio onde eu moro o sitio onde eu vivo o sitio onde eu páro e
fico pensativo


Chelas !... Chelas! Chelas!... (x 3 )
Chelas !... Chelas! Chelas!... (x 6)
Chelas é o sitío , Chelas é o berço (x 2)

 



publicado por olhar para o mundo às 17:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

(Dino & Marta Ren)

O keu sou, O keu sou, O keu sou
O keu sou, O keu sou, O keu sou

(Sam the Kid)

A consequência da consistência
Já tinha um compasso antes de fazer qualquer circunferência
Vim cabeçudo à nascença, era a surda e imensa e cabeludo antes na adolescência
A influência que ouvias que agora já não confias
E que eu mudei, muita gente assim pensa
Não é preciso a presença para saberes a minha essência
O Timóteo sabe e nem tá comigo todos os dias
Compara a fotos antigas e manca só o ?Racor?
É o mesmo tuga, o mesmo chunga só que com roupa melhor
Fiel e não me corrompo com veia compositora
Sempre compus com amor a viver com a progenitora
E eu não fujo, sou como o Cruz como a protectora
Que nos avisa enquanto críamos na cave ou no quarto
Eu valorizo a arte como a minha cota valoriza gatas
Como alguém apaixonado memoriza datas
Chulo das silvers, peso pesado dos dealers
Mas às vezes muito estilo para estar longe dos byters
(O keu sou)
Genuíno e inofensivo tenho sido
Desconfiado, e confiante mas ultra convencido
(O keu sou)
Interessante para ela que ficou interessada
Ela é interesseira, mas está disfarçada de engraçada
Tá confortável e bem comportada
Mas se eu disser que sou um teso, é missão abortada
Porque se eu pagasse contas tinha a água cortada
Se pensas que eu estou no topo é só uma água furtada

(O keu sou)
É o Samecas, ou na bola o Galochas
A fazer diretas enquanto amochas
(O keu sou)
O que ele quiser, quando eu viro-lhe as costas
Sê sincera e diz-me o que é que não gostas

(O keu sou)

Insensível, insensato, sou inseguro
Imaculado com auto-estima mas imaturo
Troco o estádio pelo estúdio
Não ouço a rádio, estou surdo
E o meu time é grana
E já vale onde eu durmo
O Samuel Mira, já lá vão vinte e tal
Anos de idade, no corpo tenho ?timtim metal.?
Há quem tente imitá-lo, há quem tente intimidá-lo
Há quem tente omitir ou mentir para tentar irritá-lo

(Dino)
Mas caga neles Sam, tu não estás aqui sozinho
Agora vai rimar aqui o nosso tropa Dino

A harmonia entrou, o meu tempo chegou
Quem é, perguntas tu? Dino no Flow

 



publicado por olhar para o mundo às 08:13 | link do post | comentar

Terça-feira, 12.07.16

 

Letra

 

Sam The Kid)
Esta é a longa caminhada de evolução controlada

(Regula)
Remember spit drums, boy I like no other
(?) gira o (?) sem stress, pof na relax
Furão és o next, man
Tino 'tá no Audi, niggas tão on the run
'cês são um derrame só vieram ao mundo, por engano
Agora é um a um ou seja, one a one
Guarda as armas no baú, battles é em mics e drums

(Sam The Kid)
E eu sou infame, fazer o que eu amo
Trazer o que eu chamo de dama fat, com fat de rap urbano
Conheci-a na poesia, trazia etnias à mistura
Quantias, (?) e uni-a à cultura

(Regula)
Pura com cobertura, mais flavour do que satura
Tipo duracell, stell que so memo mel
Dura e relaxa porque quem procura acha
Boy, mas nem sempre lá chega
Manter postura, dura e agredir figuras, já chega
Fazerem rostos feios para afirmar a crew mais tesa
Porque hoje em dia toda a gente tem meios de defesa

(Sam The Kid)
Ou meios de ataque
No momento kodak gabar-se do acto que abateu o fraco
Porque assim tu ficas com um buraco

(Regula)
Queres servir no me'mo prato?
Taco a taco, na rua ou o parque, duelos no mato

(Sam The Kid)
E no momento exacto pacatos vão ficar durões
Com armas, com miras reguladas por putos furões

Refrão:
Porque é à pala da boca dos outros que o beef flutua
Muita gente fala, poucos papam e nervos actuam
E não se habituam a aceitar uma derrota
Por mais medo que possuam, suam sempre e alguém nota
E 'tás com um pé atrás, e és incapaz
Dar uso ao que trazes, por isso age, pensa no que fazes
Ou então tu hás-de de aprender a teu custo próprio, não sabes?

(Sam The Kid)
Beef a sangue quente vem com shot a sangue frio
Para fazer mais sangue frente a quem puxa o desafio
Depois ha mil vias que adiam, beefs precoces
Não ligues a vozes que te deixam p'a troces depois de completares missões
Com remorsos nos ossos

(Regula)
Com poucas hipóteses, com ou sem reforços, sem munições
Por mais que penses que tens um best of de uniões
Sem poses não forces porque podes perder pulsações

(Sam The Kid)
Da violência às urgências é só um minuto curto
Pesa as consequências e pensa no teu futuro, curte
A vida, seja curta ou comprida, teja rica ou falida

(Regula)
Mas não feches muito a pestana, também podes vir a ter má experiencias
Com bue da decadencias e se assim for no futuro não farás reminiscências

(Sam The Kid)
O meu quotidiano no ano, é humano quando zangas
É o mano que te zangas, que dão pano p'ra mangas
Eu não dramatizo eu dou o sorriso que tu mancas
Eu vejo dealers dar p'ra killers quando beef'am por bancas

(Regula)
Em spots que não abancas só servem p'a pára, arrancas
Onde eles te guiam e vigiam com armas brancas
Não tens tempo suficiente para frequentares um ginásio
No momento ficas mais sorridente se andares ao balázio

(Sam The Kid)
Com alma kamikaze oculta por uma reputação
Na versão de alguém que insulta na ego competição
Isto é rotação na luta com muita inconclusão
Porque a brasa não acaba há sempre a prima ou um irmão

(Regula)
Define a finalização, numa só de afirmação
Mas agora tenta te por no outro lado da versão
Imagina como seria de um momento para o outro
Seres atingido e teres que viver sem um membro do corpo?
Não imaginas, nem eu imagino, apenas suponho
Falo pela boca de alguém que já viveu um sonho

Refrão:
Porque é à pala da boca dos outros que o beef flutua
Muita gente fala, poucos papam e nervos actuam
E não se habituam a aceitar uma derrota
Por mais medo que possuam, (?) sempre e alguém nota
E 'tás com um pé atrás, e és incapaz
Dar um só que trazes, por isso age, pensa no que fazes
Ou então tu hás-de de aprender a teu custo próprio, não sabes?

 



publicado por olhar para o mundo às 17:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

Não encontrei a letra desta música

 



publicado por olhar para o mundo às 08:13 | link do post | comentar

Segunda-feira, 11.07.16

 

Letra

 

Não encontrei a letra desta música





publicado por olhar para o mundo às 17:13 | link do post | comentar

Quarta-feira, 06.07.16

 

Letra

 

[Sam The Kid]
Quando a vida ficar vazia, faz ela virar poesia
O passado passou 'pa trás, o teu prazo passou num dia
O fracasso tá ali na porta, quase dormiu na merda
Ele passa uma vida morta, e abraça com o fim da meta
É o massacre que só humilha, cansado que o sol não brilha
Arrasado e ele só dormia a pensar abraçar a filha
E os homens levam os meus tropas, boy, na zona é só desfalques
Paka limpa só funciona noutros palcos
Gravatas invisiveis não querem mais milionários
E tornam impossíveis cenários imaginários
Mas não tiram minha mística, sou atração turística
Desmistifico quem pensa que em bairros só há marginais, todos iguais
Por mais que inoves a tua scene, é ser da mesma escória
E putos trazem uma visão nova para a mesma história
Pais falidos fazem mais bandidos
Quem patrocina agora a casa é o filho de pais maridos
Um gajo na boa vem Ramona, agentes "fine" ahh
Na estrada, a gente espalha a zona, a gente "shine" ahh
A judiciária que espreita por 'tar na área
Suspeita a missão diária para ver toda a nossa área desfeita
Novas doutrinas, que alteram rotinas à procura de vidas londrinas
Um boy obrigado a ter de emigrar e o bairro [?]
Onde eu gravo o meu vídeo, agrado o passado p'ra no futuro ser lembrado
Esse é o meu fado

[2x Refrão: Sam The Kid]
Também faz parte
Pensei num péssimo e disse inicio
O caminho estará na pressa ou começa no sacrifício
Em cada fim há um ínicio, em cada ínicio uma história
É hipótese duma nova trajetória, porque a glória
Também faz parte

[Mundo Segundo]
Também vim do bairro mas não do bloco, eu cresci na ilha
Onde a misério aponta o foco mas onde há fome há partilha
Onde um prato dá para quatro, um quarto p'ra familia inteira
Duas camas, berço, terço na mesa de cabeceira
Um ordenado, uma pensão, rendimento de inserção
Uma criança como um dom num castelo de papelão
Um futuro que não sorri numa bela face trancada como
Um livro que não li com informação que faltava
Mas não deixei de ser eu, fui do breu ao apogeu
Fui do meu pequeno quarto aos palcos do coliseu
Tudo faz parte, eu luto. Dizem que a vida é prostituta
Mas apaixonei-me por ela a ver se a relação resulta
Num certo ponto de vista, podem me chamar masoquista
Mas não sou apologista de vitórias sem conquista
Tenho sonhos numa lista, mais uma linha que se risca
Na verdade só se despista aquele que se faz à pista
Porque eu corro por desporto mas não me alimento de vento
Fiz muito trabalho à borla, respeita o meu orçamento
Direto sem ornamento, não político de parlamento
Lamento não minto em detrimento que sinto por dentro
Do ventre até ao jazigo, imperfeito assim prossigo
Se partir, digam ao mundo "fechei a página deste livro"
Em cada fim há um ínicio, em cada ínicio uma história
É hipótese duma nova trajetória, porque a glória

[2 x Refrão: Sam The Kid]
Também faz parte
Pensei num péssimo e disse inicio
O caminho estará na pressa ou começa no sacrifício
Em cada fim há um ínicio, em cada ínicio uma história
É hipótese duma nova trajetória, porque a glória

Também faz parte
Também faz parte
Também faz parte
Também faz parte

Também faz parte

 



publicado por olhar para o mundo às 22:13 | link do post | comentar

Quinta-feira, 23.06.16

 

Letra

 

Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo.

Janelas do meu quarto,
Do meu quarto de um dos milhões do mundo que ninguém sabe quem é
(E se soubessem quem é, o que saberiam?),
Dais para o mistério de uma rua cruzada constantemente por gente,
Para uma rua inacessível a todos os pensamentos,
Real, impossivelmente real, certa, desconhecidamente certa,
Com o mistério das coisas por baixo das pedras e dos seres,
Com a morte a pôr humidade nas paredes e cabelos brancos nos homens,
Com o Destino a conduzir a carroça de tudo pela estrada de nada.

Estou hoje vencido, como se soubesse a verdade.
Estou hoje lúcido, como se estivesse para morrer,
E não tivesse mais irmandade com as coisas
Senão uma despedida, tornando-se esta casa e este lado da rua
A fileira de carruagens de um comboio, e uma partida apitada
De dentro da minha cabeça,
E uma sacudidela dos meus nervos e um ranger de ossos na ida.

Estou hoje perplexo como quem pensou e achou e esqueceu.
Estou hoje dividido entre a lealdade que devo
À Tabacaria do outro lado da rua, como coisa real por fora,
E à sensação de que tudo é sonho, como coisa real por dentro.

Falhei em tudo.
Como não fiz propósito nenhum, talvez tudo fosse nada.
A aprendizagem que me deram,
Desci dela pela janela das traseiras da casa,
Fui até ao campo com grandes propósitos.
Mas lá encontrei só ervas e árvores,
E quando havia gente era igual à outra.
Saio da janela, sento-me numa cadeira. Em que hei-de pensar?

Que sei eu do que serei, eu que não sei o que sou?
Ser o que penso? Mas penso ser tanta coisa!
E há tantos que pensam ser a mesma coisa que não pode haver tantos!
Génio? Neste momento
Cem mil cérebros se concebem em sonho génios como eu,
E a história não marcará, quem sabe?, nem um,
Nem haverá senão estrume de tantas conquistas futuras.
Não, não creio em mim.
Em todos os manicómios há doidos malucos com tantas certezas!
Eu, que não tenho nenhuma certeza, sou mais certo ou menos certo?
Não, nem em mim...
Em quantas mansardas e não-mansardas do mundo
Não estão nesta hora génios-para-si-mesmos sonhando?
Quantas aspirações altas e nobres e lúcidas -
Sim, verdadeiramente altas e nobres e lúcidas -,
E quem sabe se realizáveis,
Nunca verão a luz do sol real nem acharão ouvidos de gente?
O mundo é para quem nasce para o conquistar
E não para quem sonha que pode conquistá-lo, ainda que tenha razão.
Tenho sonhado mais que o que Napoleão fez.
Tenho apertado ao peito hipotético mais humanidades do que Cristo,
Tenho feito filosofias em segredo que nenhum Kant escreveu.
Mas sou, e talvez serei sempre, o da mansarda,
Ainda que não more nela;
Serei sempre o que não nasceu para isso;
Serei sempre só o que tinha qualidades;
Serei sempre o que esperou que lhe abrissem a porta ao pé de uma parede sem porta
E cantou a cantiga do Infinito numa capoeira,
E ouviu a voz de Deus num poço tapado.
Crer em mim? Não, nem em nada.
Derrame-me a Natureza sobre a cabeça ardente
O seu sol, a sua chuva, o vento que me acha o cabelo,
E o resto que venha se vier, ou tiver que vir, ou não venha.
Escravos cardíacos das estrelas,
Conquistámos todo o mundo antes de nos levantar da cama;
Mas acordámos e ele é opaco,
Levantámo-nos e ele é alheio,
Saímos de casa e ele é a terra inteira,
Mais o sistema solar e a Via Láctea e o Indefinido.

(Come chocolates, pequena;
Come chocolates!
Olha que não há mais metafísica no mundo senão chocolates.
Olha que as religiões todas não ensinam mais que a confeitaria.
Come, pequena suja, come!
Pudesse eu comer chocolates com a mesma verdade com que comes!
Mas eu penso e, ao tirar o papel de prata, que é de folhas de estanho,
Deito tudo para o chão, como tenho deitado a vida.)

Mas ao menos fica da amargura do que nunca serei
A caligrafia rápida destes versos,
Pórtico partido para o Impossível.
Mas ao menos consagro a mim mesmo um desprezo sem lágrimas,
Nobre ao menos no gesto largo com que atiro
A roupa suja que sou, sem rol, pra o decurso das coisas,
E fico em casa sem camisa.

(Tu, que consolas, que não existes e por isso consolas,
Ou deusa grega, concebida como estátua que fosse viva,
Ou patrícia romana, impossivelmente nobre e nefasta,
Ou princesa de trovadores, gentilíssima e colorida,
Ou marquesa do século dezoito, decotada e longínqua,
Ou cocote célebre do tempo dos nossos pais,
Ou não sei quê moderno - não concebo bem o quê -,
Tudo isso, seja o que for, que sejas, se pode inspirar que inspire!
Meu coração é um balde despejado.
Como os que invocam espíritos invocam espíritos invoco
A mim mesmo e não encontro nada.
Chego à janela e vejo a rua com uma nitidez absoluta.
Vejo as lojas, vejo os passeios, vejo os carros que passam,
Vejo os entes vivos vestidos que se cruzam,
Vejo os cães que também existem,
E tudo isto me pesa como uma condenação ao degredo,
E tudo isto é estrangeiro, como tudo.)

Vivi, estudei, amei, e até cri,
E hoje não há mendigo que eu não inveje só por não ser eu.
Olho a cada um os andrajos e as chagas e a mentira,
E penso: talvez nunca vivesses nem estudasses nem amasses nem cresses
(Porque é possível fazer a realidade de tudo isso sem fazer nada disso);
Talvez tenhas existido apenas, como um lagarto a quem cortam o rabo
E que é rabo para aquém do lagarto remexidamente.

Fiz de mim o que não soube,
E o que podia fazer de mim não o fiz.
O dominó que vesti era errado.
Conheceram-me logo por quem não era e não desmenti, e perdi-me.
Quando quis tirar a máscara,
Estava pegada à cara.
Quando a tirei e me vi ao espelho,
Já tinha envelhecido.
Estava bêbado, já não sabia vestir o dominó que não tinha tirado.
Deitei fora a máscara e dormi no vestiário
Como um cão tolerado pela gerência
Por ser inofensivo
E vou escrever esta história para provar que sou sublime.

Essência musical dos meus versos inúteis,
Quem me dera encontrar-te como coisa que eu fizesse,
E não ficasse sempre defronte da Tabacaria de defronte,
Calcando aos pés a consciência de estar existindo,
Como um tapete em que um bêbado tropeça
Ou um capacho que os ciganos roubaram e não valia nada.

Mas o dono da Tabacaria chegou à porta e ficou à porta.
Olhou-o com o desconforto da cabeça mal voltada
E com o desconforto da alma mal-entendendo.
Ele morrerá e eu morrerei.
Ele deixará a tabuleta, e eu deixarei versos.
A certa altura morrerá a tabuleta também, e os versos também.
Depois de certa altura morrerá a rua onde esteve a tabuleta,
E a língua em que foram escritos os versos.
Morrerá depois o planeta girante em que tudo isto se deu.
Em outros satélites de outros sistemas qualquer coisa como gente
Continuará fazendo coisas como versos e vivendo por baixo de coisas como tabuletas,
Sempre uma coisa defronte da outra,
Sempre uma coisa tão inútil como a outra,
Sempre o impossível tão estúpido como o real,
Sempre o mistério do fundo tão certo como o sono de mistério da superfície,
Sempre isto ou sempre outra coisa ou nem uma coisa nem outra.

Mas um homem entrou na Tabacaria (para comprar tabaco?),
E a realidade plausível cai de repente em cima de mim.
Semiergo-me enérgico, convencido, humano,
E vou tencionar escrever estes versos em que digo o contrário.

Acendo um cigarro ao pensar em escrevê-los
E saboreio no cigarro a libertação de todos os pensamentos.
Sigo o fumo como uma rota própria,
E gozo, num momento sensitivo e competente,
A libertação de todas as especulações
E a consciência de que a metafísica é uma consequência de estar mal disposto.

Depois deito-me para trás na cadeira
E continuo fumando.
Enquanto o Destino mo conceder, continuarei fumando.

(Se eu casasse com a filha da minha lavadeira
Talvez fosse feliz.)
Visto isto, levanto-me da cadeira. Vou à janela.

O homem saiu da Tabacaria (metendo troco na algibeira das calças?).
Ah, conheço-o: é o Esteves sem metafísica.
(O dono da Tabacaria chegou à porta.)
Como por um instinto divino o Esteves voltou-se e viu-me.
Acenou-me adeus gritei-lhe Adeus ó Esteves!, e o universo
Reconstruiu-se-me sem ideal nem esperança, e o dono da Tabacaria sorriu.

 

“Apoie os Artistas. Se gosta de Música, compre Música.
Descobrir Música pode ser tão bom como ouvi-la, aventure-se.
Porque no fundo a Música não tem tempo, é intemporal.
Não existe Música nova ou velha... apenas boa ou má”

(P. Dias)

 



publicado por olhar para o mundo às 22:13 | link do post | comentar

Quarta-feira, 15.06.16

 

Letra

 

Eu defendo os meus para ti e para os teus
No universo hip hop tu és rei, AC é Deus
Don't get a twisted, i'm still raw
Ac exército de uma pessoa só
Clássico tupo pitéu da tua avó
Niggaz bazam, bazam tipo de bongo
Separamos homens das crianças
Mais temidos do que cartas das finanças
Rimas tão quentes que queimam papel
Eu e o Samuel, o plantel tipo nelson temos mel
Sucesso garantido tipo maçã e canela
Niggaz querem filmes mas aqui não há novela
Eu revelo, mesmo sem mic eu flagelo
Desoriento Mcs como se fosse um cogumelo
Rimas são quadros Da Vinci eu sou Leonardo
Rancor eu não guardo, dispenso esse fardo
Não tenho beef com ninguém,
se me pisam os calos eu piso também
No(?) problemi, Sonos tancos
Se rimas fossem guita, eu seria dono do banco

It is what it is, niggaz bifam para handle my buzz
Eu não faço feno, eu faço sempre o que quero
Rimas mil, beefs zero
It is what it is, niggaz talk shit para handle my buz
Os cães ladram e a caravana passa
E a caravana passa, e a caravana passa


Eu vejo clones em poemas,
Mas há diferença entre cromos e emblemas
Muita criança avio com promos e encomendas
Com a pressa de impor-se,
tem de haver esforço numa peça
E ela começa a compor-se
Mas como dormes não te lembras
Mas eu aqui não me esqueço
O Marinho abriu um caminho onde me abasteço
No começo vencedor na minha linha da amadora
E já tinha valor mas não tinha preço
O tempo passa e vê lá se eu bati na rocha
Promessa de andar na praça,
eu não passo, eu partilho a tocha
O boy pensa que é só ter passa, conversa com o tio patinhas
O boy até fortalessa acontece é que tu gatinhas
Primeiro vídeo é só classe num palácio a ver
Tás a ver, desencarados eu quero lá saber
Todos temos rabos com intenção da massa
Diferença é que eu passo com a deusa no braço
Que investi no que gosto e nem gastei um tostão
MAs estou na estrada com o meu brother e eles vejam onde estão
No meu radar não passa nada, a não ser nada com Sinatra com Sibéria
E não se empata o serão, ela mestria nivela a fasquia para manos peritos
Na janela que eu revelo a capella com manos peritos
Tu páras com ratazanas, não me enganas nem me agrides
Não me afanas e caravanas nunca páram com latidos

It is what it is, niggaz talk shit para handle my buz
Os cães ladram e a caravana passa
E a caravana passa, e a caravana passa

It is what it is
Independentemente de gente que não se sente eu sigo em frente
Os cães ladram e a caravana passa
E a caravana passa, e a caravana passa

 



publicado por olhar para o mundo às 19:13 | link do post | comentar | ver comentários (3)

Terça-feira, 14.07.15

 

 

Letra

 

Não encontrei a letra desta música

 



publicado por olhar para o mundo às 01:13 | link do post | comentar

Terça-feira, 28.04.15

 

 

Letra

 

[STK]
Tagarelas, cobardolas!
Só balelas, só artolas!
Gaia, Chelas,Tu controlas!

TU NÃO SABES!

[Mundo] [2X]
Aquilo que tu procuras encontras aqui
Do 2º até ao 7º da zona I
Esse ódio voluntário que vês por aí
Não garante o meu salário, esse eu mereci

[Mundo]
Este mundo é como um dilúvio de lava sobre o vesúvio
Derrame causa distúrbio, narra-me do teu estúdio
Ferrenho como o serrão, tu limpa o ranho meu chorão
Mais um ganho no ganha pão, sou um estranho na multidão
Então, disfuncional é quem diz funcional
Queimou o disco no final, risco na fossa nasal
Estamos contra a corrente e não na corrente do contra
Muito contraproducente, produzo sempre em velocidade de ponta
Dealemático,este não é ciático
Débil descansa, avança em piloto automático
Cresco de forma selvagem como mato no quintal
Aparelhagem e tal, também mato no quintal
Não são os santos do vitral, da igreja paroquial
Nem vimos meter no coro, abolimos o canto coral
Espiritual é o que me guia, não o guia espiritual
Mas este mundo até guia enquanto houver gota e pedal
Cabedal sem igual, antes que o verniz estale
Dei tempo ao tempo, daí a intempérie temperamental
Temporal na tua tempora imortal, na vocal sou imortal
Um portal para o espaço sideral
Tu não fales mal nem aí vês projeto fantasma
Nem com 52 polegadas de plasma
Tu não fales mal nem aí vês projeto fantasma
Nem com 52 polegadas de plasma

[Mundo] [2X]
Aquilo que tu procuras encontras aqui
Do 2º até ao 7º da zona I
Esse ódio voluntário que vês por aí
Não garante o meu salário, esse eu mereci

[STK]
Este puto não tem mistérios pa boémios e falatórios
Galdérios querem ser génios com prémios e ser notorious
Querem Prémios e férias com critérios contraditórios
Ficam histéricos e eu com nem sei se têm um pénis ou um clitóris
Boatos do meu status, vindos de homens e gaiatos
Pior que cotas e beatos, deviam é fazer teatros
Queriam hobbies e debates, têm fome e são ingratos
Falam de cobras e lagartos e eu tou no brasil em quartos
Pra quem tá de fora pensa que ele ignora atritos
Enquanto o ódio explora a forma que ele devora beats
E embora só critiques o puto sobe a piques
O rap chora, não há real que sobra, agora é so pakiko's
Um gajo é magico e não traz varinhas
Inveja causa a abordagem pra ver como é que cozinhas
Faz a contagem das linhas, vê o contágio nas espinhas
Só ladroagem porque as páginas são plágio das minhas
Mas eu sou masoquista e tou á arte do que os outros escrevem
Porque uns querem sons que batam, eu quero sons que levem
Na hora em que eu cuspir na atmosfera onde mora a inspiração
Pa inspirar quem me inspira é o que eu espero agora
Por isso nem compitas quando brilhas só com pitas
Quando nota-se que tu não meditas no que tu me ditas
E eu dou voz a garinas, avós e varinas
É tão saudosa, o povo goza com a prosa que urinas
É garantia para a derrota só te resta propor
Uma parceria mas eu noto ao longe a inveja ou fulgor
Modéstia no coro, mas a impressão que deixa é rancor
Por seres da mesma geração não quer dizer que és da cor
A malta já ta farta, para antes que alguém te parta a cara
Vai chorar pa ser mais um a chibar na 4ª vara
Com histórias difamatórias
Injúrias e paranóias que ele incorpora para eu tar a mercê
E faz chamadas anónimas com ódio
Mas não para o meu relógio nas horas em que eu namoro a mpc
Por isso tás a "vontê"

[Mundo] [2X]
Aquilo que tu procuras encontras aqui
Do 2º até ao 7º da zona I
Esse ódio voluntário que vês por aí
Não garante o meu salário, esse eu mereci

[STK]
Tagarelas, cobardolas!
Só balelas, só artolas!
Gaia, Chelas,Tu controlas!

TU NÃO SABES!

 



publicado por olhar para o mundo às 22:13 | link do post | comentar

Quinta-feira, 29.05.14

 

Letra

 

Não encontrei a letra desta música



publicado por olhar para o mundo às 17:18 | link do post | comentar

Quarta-feira, 16.04.14

 

 

Letra

 

 

Rapper's hoje em dia são como a pornografia
Nem todos dão tusa porque há uma oferta em demasia
Ofensa à filosofia da nossa imensa minoria
Um puto plagia, fotocopia pirataria
E unir à varial quem tira a magia original
Yoo reflecte e repete comigo eu agi mal
Só tu sabes o que usaste e quando o bolso tiver gasto
Do topo vai cair que não és bem-vindo como um
Padrasto
É aí que me afasto logo pra baixo com pára-quedas
Não te curto como um payador não curto moedas
Boy ouve:
Eu não preciso de regressos com sucessos
Eu faço poesia a maioria faz versos
Esquece os outros mete os pontos nos "I's",
Mete os contos no lixo
Ou sons bons no disco, Ouviste?!
Consistência integridade longevidade na essência
Tens de ter paciência
EU, pus-me na bixa, preenchi a ficha, ganhei uma
T-Shirt
Quando ouvi chamar um bi chamado
artista 
À 1ª vista era fixe ter a profissão
Sou vocalista de outra lista dos que pensam que são
É relativo todo o título, toda a afirmação
Sou criativo e digo-lo com toda a estimação
Digressão é importante mas a tua e ficção
Como dj's que eu vejo nos pratos mandam "mixão"
Sem convicção,
Sinto-me à frente de gente que tem como influencia
uma
Só referência, uma só canção...
São imitação da escrita que limita a direcção
Solicitação evitam, necessitam correcção...


Refrão:

Dizem que cantam hip-hop, mas não dizem nada, vêm
com
Poesia mas é só fachada
O português não tá cansado eles vêm com o inglês,
Eu pratico praticando a nossa língua outra vez
Seja hip-hop, seja rock são poetas de karaoke
Dá um stop se não faz block pros poetas de karaoke,
No teu block no teu stock
são poetas de karaoke, poetas de karaoke, são poetas de
karaoke...



Põe a gramática em prática,
Didáctica ou Dramatica mentes citando técnicas
Poéticas com estéticas
Fonéticas de sempre atento ao surpreendente
Com métricas à frente, pra mentes cépticas
exigentes
Isto é pa todos, não e só pa Mc's
Isto é pa tugas que nunca escrevem na língua raiz
Querem ser internacionais mas tão cá no país
E nunca são originais são Nova york ou Paris
Sempre fui D. Diniz vocês são de onde der mais jeito
Onde houver mais fama e proveito
E se houver mais grana é aceite
E se houver uma dama com bom peito pensam que isso dá
respeito...
Confere e confirma a afirmação?vocês não acordam
Que eu condeno a vossa causa falsa que vocês abordam
Contractos são assinados com condições que não
Concordam
E as gravatas ficam gratas
Pelos escravos que as engordam
não há credibilidade na performance
O microfone não tá ligado isso pra mim é no sence
Não percebo o vosso ponto no meu som, eu ponho censo
Porque eu escrevo como falo, como sonho, e como
penso...



Refrão:

Dizem que cantam o hip-hop, mas não dizem nada, vêm
com
Poesia mas é só fachada
O português não tá cansado eles vêm com o inglês,
Eu pratico praticando a nossa língua outra vez
Seja hip-hop, seja rock são poetas de karaoke
Dá um stop se não faz block pros poetas de karaoke,
No teu block no teu stock
São poetas de karaoke, poetas de karaoke, são poetas de
karaoke... (2X)




Dois palermas: Yehhhhh ouviste aquele som? Ridículo
pah....que nojo pah, que...eu passo-me com aqueles
gajos
é pah...estes gajos "Sam the kid, Sam the kid"...é
Sempre a mema coisa..e depois vêm com aquelas letras
"Tec te tec te? é pah...não percebo nada
pah...Nunca gostei de rap pah...de certeza que não
Foram
À escola...pois não, não sabem escalas...não sabem
escalas...não sabem nada e depois vêm com...é a
musica
É you know, you think...you are?!?
E só o nome dele é contraditório...pois...SAM THE
KID....o que e aquilo pah...aquilo é inglês, é
americano
E kem é ele para me criticar...não é ninguém
pah....ohh
pahh...devias era ouvir musica pah... devias era
ouvir
Musica
Eles nem escrever sabem pah...o "a e i o u" não? Eles
Nem tem a 4ª classe...é o que faço-te que te
aconteço-te...
Que eles não percebem nada disso...eles não sabem
escrever


Sam the kid: Ohhh pessoal...pessoal, é assim, vocês
tão aí
a falar a toa mas eu digo-vos já, olha..o meu
português...





Não é correcto e sou mais poeta que vocês,
Todos voz do rock pop hip-hop é escrito em inglês,
Com a desculpa que foi a musica que ouviram ao
crescer
Nunca precisei de ouvir hip hop tuga pró fazer
Isso é o que dá mais prazer o meu idioma exploração
Vocês tentam outra língua pra tentar exportação
Querem ser os "moonspell" querem novos horizontes
Mas aqui o Samuel é madre Deus é Dulce Pontes
Porque há uma identidade vocês são todos idênticos
SÃO autênticos mendigos vendidos por cêntimos
NÃO compreendem o meu sentimento e mentem
Tentem jornalismo mas não comentem
Vocês fazem turismo de emoções que os outros sentem
Eu faço culturismo de expressões que todos sentem
E ou tão sempre a param, e não param com novo
reportório
O vosso não é actual é revista num consultório
E é notório que a história não quer a vossa presença
No relatório de Apolo a rejeição foi a sentença
Eu sei, no que é que eu vi do típico inox duro
Mais que fotocopias obvias que eu chamo de xerox puro
Vais ver com'é sais a pontapé,
Porque eu subo tipo hoofer?s tu cais tipo sudré
És um café sem SportTV, com o spot vazio
Não se pode evoluir ao ignorar o desafio
È SO PREGUIÇA!!!!





publicado por olhar para o mundo às 17:32 | link do post | comentar

Quinta-feira, 10.04.14

 

 

Letra

 

[Tekila]
Olha só a tua face, fucka
Eu estou no meu place, nota
LISA é a minha base e rota
Murda como o case shotta
Um master como o ace cota
Old School tipo fat lace na bota
O que tu vês é um scarface
Esses rappers são Harry Potter
Se cospes piadas normal que teu álbum
Seja Anedota
Se queres tareia eu dou-te
Eu aviso-te sucka
Parte para outra
Encontra o caminho
Não há lugar para biters
Nas nighters sem mota nem carolo
É só ruff riders
Niggas no Sean Paul
Meus goons dão-vos as lighters
Queres ser do reggae ok
Jamaican originoo dan dadda
Murda all ya dem
Nao há ninguém nigga
Com quem tu comparas
Eu tou a cuspir e as ruas querem ouvir
E tu não disparas
E se disparas deve ser 6.35 malucas
Mesmo que surjas com caçadeira
Eu estou-te a vir com bazucas
Meu rap 'tá a vir com mais formas
Que essas bilhas das zucas, e se trabucas
Sente o feeling do summer
A partir tipo MC Hammer
A girar de skate como se fosse o meu Hummer
Tenho um DJ mas mesmo sem ele
Todos sentem o drama
Eu sou um kilo não é grama
Com um estilo que o people grama
Só me exilo porque o resto desse lixo
Na tuga, só trama
Eu não preciso de nada desde que me acendam a chama
Por isso tou a queimar todo aquele
Que ainda chora e reclama
I'm a killa man...

[Hook]
S, Sinónimo, S,S, Sinónimo
De um animal deixamos os rappers sem ânimo
Sem ânimo, um monte de wackers anónimos
Porque nunca viram um nigga igual
Sinónimo, S,S, Sinónimo
De um animal deixamos os rappers sem ânimo
Sem ânimo, um monte de wackers anónimos
Mas eles sabem quem tem o mel

[Sam The Kid]
Eu sempre fui sinónimo de um homem nú com um microfone
E tú és um mirone e curioso por isso eu não te endrómino
Com fome e nunca apertei a calça ou pousei talheres
Como é que queres ser o principal se nem a seita geres
Aceita és estúpido és se não tiveres um talento
Como é que queres que eu te inveje?
Tu e a tua turma são
Cromos sem informação
Tou na criação nocturna
Tú tás na masturbação com jacarés
Então aprende eu tenho rimas que o teu puto grita
Mas não te vendo as minhas letras não sou Ruth Rita
Fascínio pelo meu declínio mas não tens hipótese
Vendeste alumínio e agora tens um patrocínio inox
E o nosso beef talvez um dia blog
Fazes porcaria logo
Pedes simpatia e que eu dialogue
Nah, eu não curto hipocrisia e és meu fã dogg
Eu tenho orelhas com magia tens orelhas Van Gogh
Ele só se entesa e pensa que me feza
Enquanto eu tou no BES a receber aquilo que ele reza
E quando o bolso pesa ele não despreza
E como eu sou colosso tipo César
Ele colou-se tipo TESA
(uhhhhhh Heavy Shit BOY! Continua a limpar todos esses mafrukz! You Know me boy!Keep going boy!)
Não te solicito nem publicito
Man o que eu sinto é
Nao te consigo ouvir nem deposito fé
Conheci-te pé descalço e agora és pai
Mas o teu bebé é, filho de um homem negativo eh eh eh
Ele não se consolida nem lida bem com a subida
Duvida que eu trouxe vida
Consegui com dor sofrida
Agora é consumida como se fosse lida nas aulas
E eu fosse o vosso leader e só me posso rir das cabálas
De otários que ainda duvidam e pensam que me invalidam
Porque eu tenho netos no rap, eles nem o rap engravidam
Eu sempre fui pela paz e amor estilo Ghandi
Mas se vens armado em touro sou o crocodilo dundeee
Sou elegante e antigo, tú és antiquado
Eu sou pró tú és anti sem flow articulado
Vejo arrogância á distância mas isso é so carência
Porque eu tenho importância, tú tens impotência
E o riso de hiena não me aliena porque eu solto italiana
E mico-te quando tu tiveres em frente a uma assistência
Por isso dá me o microfone que eu fico no stage
Tu bates tipo Sean Connery e Nicolas Cage

[Hook]

[Tekilla]
E não compliques esta shit é easy tipo ABC
Rimas que te param o coração busy AVC
Ruas são aulas e todos os dias há TPC
Mas tu sempre foste um baldas fake shit se vê
A fazer barulho for real
Não há campainhas aqui
Só cachalotes nunca pescamos tainhas enfim
Chegam-te a roupa ao pelô não há festinhas por mim
Sentes as cruzadas sem palavras nem adivinhas
Gangasta Life, Medicine
No radio nem magazine
Manda vir esses Darth Vaders
Eu sou o único Anakin
Queres estar na moda
Eu meto-te na montra que nem um manequim
Scratch na cara vais sentir o DJ assassin
Porcas na farm dei-to fora tambem impero e assino
Eu quando quero afino
Eu mato tudo o que era fino
What the fuck manda vir o puck
Já colei no pin
No numbers no calls
Teus cambas no balls
Suplemento como a Camila na família do Prince Charles
No fundo isto é sarcasmo
Eu oiço-te e nem tusa dás-me
Pensava que era para burros
Mas tu és mesmo um asno
Se isso era apenas um aviso
Não avise faz-me
O que quiseres porque quando eu cuspo
Deixo todo o rap pasmo



publicado por olhar para o mundo às 08:35 | link do post | comentar

Quarta-feira, 09.04.14

 

 

Letra

 

Ela comenta, lamenta e quer que eu aguarde
Enquanto lentamente a saudade aumenta no quarto
E ela emenda dá uma agenda e quer que eu a aguarde
Mas se me prende pode ser que eu me arrependa mais tarde
Ou aprenda a gostar ou tenta mais tempo a apostar na gente
Ou sou exigente ou ficas tarde
Mas eu sou mais tarde do estúdio a investir
No meu futuro estúpido para existir, sê diligente
E eu adoro que tu me adores sem lençol no teu corpo
Até fechar os estores à sol que vem da minha ponte
O risco de por toda a ruptura e ternura  em confronto
E ver numa moldura e para a ruptura ainda não está pronto

Porque não sei se tu me gramas, mas sei que tens capas
Mas se for só esse o caso pões as gramas em capas
Dama eu sei que sou azedo e retrocedo no fim
Eu não cedo assim tão cedo tenho sido sempre assim
Existe o medo que ela desista
E eu fique o gajo chato que ela fala à sua nova conquista
Os homens são uma merda é o discurso que espalha
E nós só queremos que não nos caia uma dama dos caia
Que nojo, distraia e mais tarde nos traia
Que saia da saia da mãe e regresse com a tralha
Agora é dificil encontrar alguém que me vicie
Ficar calmissimo até à calvisse e tu grisalha

Não foram precisos nós para haver um laço
Até que algum de nós o violasse
Agora tentas mas não podes tirar o que passamos um dia
Saudades das fotos que nós nunca tirámos eu queria
Eu dispenso a desavença e eu perco a cabeça
Em cada sentença vai sentir-se avesso eu diria
Queres um amigo ou um boy que te acompanhe
Queres estar comigo ou queres estar com alguém
Há uma diferença avalia e pensa

A dúvida cai (cai)
Como chuva grossa
O animo vai (vai)
Mergulha numa poça
A minha esperança
(a minha esperança)
Trava na insegurança (2x)

Eu podia ser o teu melhor amigo
Aquele amante atencioso o teu segundo umbigo
O ombro que consola
O Companheiro atento que nem sequer liga a consola
E eu sou quase tudo isso, quase
Mas só e apenas quase, mas só e apenas quase
Numa frase eu tenho sido apenas aquele amigo ausente
Aquele amante indigente,

Por isso vou ser o ombro que te falha,
Surdo interlocutor, que só te responde palha
Quando calha, fingindo ter ouvido
No meio dos três encontras-me perdido
Partido desfeito em quase nada
Um dia tens uma surpresa inesperada
Vou passar à proxima fase
Não te minto que sinto que estou quase

A dúvida cai (cai)
Como chuva grossa
O animo vai (vai)
Mergulha numa poça
A minha esperança
(a minha esperança) (2x)

A dúvida cai
O animo vai (2x)

Trava na insegurança (2x)



publicado por olhar para o mundo às 08:25 | link do post | comentar

Terça-feira, 08.04.14

 

 

Letra

 

 

Canta o som até que a moca baze
Nova sombra retoca a base
Lá fora à uma hipotese que ela aguarda
Ela vê guita nova da velha guarda
Ela vê ao dispor muitos dividendos
Basta por os atributos evidentes
Chega à hora e ela beija a amiga à frente
Agora peito para fora encolhe barriga para dentro

Fogo no gargalo, jogo não verbal
A atenção do clarão vem com intenção de afirma-lo
Potencial limpeza e ela pensa em aborda-lo
Com firmeza e bué moral, tem a presença dum cavalo
Olhares já cruzam, vão na mesma direcção
Ela bebe uma mistura de inveja e admiração
De copos no ar trocam sinais
Ele convida para junto dele e tropas ocasionais

Roça lhe o rabo gigantesco
Ela sabe a grana do seu parentesco
Muita riqueza na mesa,
à grande e à francesa atrai
e tu vez o desprezo quando a despesa cai
Com a paca na mão dele ela ostenta o maço
Ele abanca na poltrola e ela senta no braço
Todos os dias a malta bebe é um reveillon
E enquanto ela espera com ansia de o ver no sheraton

Todos bronzeados e efusivos
Ela anda rodeada de adesivos
Só parolos e labregos, em controlos e arregos
Entre golos e mais golos que vão po-los a dar gregos
Bebe mais um shot é o rei dos morcegos
Doze são os bodes e hoje trouxe o mercedes
Sujeita quando ele beija lhe o pescoço, um convite
E ela não rejeita um pingo doce numa suite

Essa mão dada foi comprada
com gucci, com prada
Se ela pede e não parece nada
Ela amanhã amanhece com o teu brother (2x)

Pitas querem guito
Pitas querem guito
Pitas querem guito
Pitas querem guito (3x)

Pitas querem guito, sócios querem pito
Tudo subentendido não é preciso ser erudito
Esquece a moral ninguém a tem para a troca
Esquece o amor ideal senão a coisa fica choca
E ele não quer sequer pensar em ir por aí
Quer ir por outro lado deitado na horizontal
Anel de noivado e ela bateu mal
De pau feito foi rasgado o acordo pré-nupcial

Pitas querem, podem, fazem e acontecem
Ferem, fodem e quase nunca esquecem
Manos pensam com a pila fingem quase não ver nada
Conta bancária dança, leva uma lambada
Felizes para sempre enquanto houver dinheiro e tusa
ela usa e ele abusa, compra mais uma blusa
Trata do troféu enquanto o tempo permite
Se a idade não perdoa ele logo admite

Essa mão dada foi comprada
com gucci, com prada
Se ela pede e não parece nada
Ela amanhã amanhece com o teu brother (2x)

Pitas querem guito
Pitas querem guito
Pitas querem guito
Pitas querem guito (3x)



publicado por olhar para o mundo às 20:31 | link do post | comentar | ver comentários (3)

Domingo, 16.03.14

 

Letra

 

Ei.....ei ei, Gancho
Embora o que eu vá dizer tu penses que não seja verdade
Eu tou a viver mm que teja pregado
Fumar da broca dum tropa ou agarrado a uma grade
Hoje vou passar a noite acordado com alguém que me agrade
Eu e os meus compadres
Somos unha com carne
Se és um contrários deles
Nem vale a pena contares me
Ya mt fumo
Alguém que faça sauna
Crescemos todos sem guita, nada abafa o trauma
Mas hoje em dia aqui toda a gente safa com calma
E tou no trombinhas a brilhar c a garrafa do Palma

Situação é assim
Mão a mão badão calino bulls
Eu Varro o salão e chamam patrão a mim
Devem tar a falar da battle
Heavy metal
Pa mistura da altura eram dicas heavys néram
Mas desde então nunca mais me viram passar no guetto
Isto ta mau agora eu so tou onde ta o euro
Valete diz que eu tou no auge da minha carreira
E ja me pos 10 000 paus na minha carteira
Na nossa mesa não comem fakes
Nah
So homens feitos e eu so ponho paus na tua parceira
Mas se eu não me ponho a pau vão por-me a pulseira
Nos tamos a fechar o tacho do Porto a Quarteira
E sempre um prazer trabalharmos juntos Viris os outros rappers
Apenas estão a filmar muitos vídeos

REFRÃO
Olha pa esse patchana a rir
Como se ele soubesse qeq a nossa dica é grana a abrir
Eiei
Se tu não queres ver a gana a agir então é melhor c’agente comece a ver grana a brir gra grana a abrir
Então é melhor c’agente comece a ver a grana a brir gra grana a abrir

Disseram-me
Caga na musica e vai bombar material em grupo
Passadao de mão pa mão, mão pa mão, Halley Hoop
Faz como se tivesses perdido a fala em mute
Se levares c eles fecha te em copas e sai da sala em mute
Tu tens a nocao dos códigos
Violas um deles garantes a certidão de óbitos
Faz te a pista e garante uma profissão homem porque aqui
Ja nem atletas com permissão correm
Gente não faz apostas
Gente faz amostras e entretanto uma fila de clias dá-se a costa
Gostas fala me bem se não tens vida encosta
Isto não são apenas rimas é a minha vida exposta
New flows new Money new haters
Eu tenho porteiras é como tu queiras
Fuck it vocês nunca vão tar no meu show haters nem mm quando eu arrumar as chuteiras

Olha pa esse patchana a rir
Como se ele soubesse qeq a nossa dica é grana a abrir
Eiei
Se tu não queres ver a gana a agir então é melhor c’agente comece a ver grana a abrir gra grana a abrir
Então é melhor c’agente comece a ver a grana a brir gra grana a abrir

STK
Não paniques
Canucos têm trabucos
Ricos tem amigos mas amigos tem truques
Maçaricos querem pão pa malucos porque gostavam onde estavam mas foram impedidos por charutos
Corruptos muitos querem que eu pare de continuar honesto
Para mais cedo ou mais tarde entrar no faroeste
Porque se o cash abranda e desce como bangla vez em rodapés que sub o sequestro e é um escândalo
Evita mazelas a quem martelas
Põe te a pau porque quem zelas e a quem revelas
Historias de celas podem ter sequelas
Há quem respeite balas e murais eu respeito portelas (Pinóquio Man!)
Guerreiro do meu bairro e eu narrei-o
Pilim enterrei o quando me deram a chave do correio
Com cartas e contas ingratas com datas que apontas encontras formas piratas pra gravatas que afrontas
E nisso deste que muitas que vês ao fim do mes
São velhas lutas com novas putas que a nova crise fez
Não me agonizo memo quando tudo cai
Sempre em fuga ou prejuízo e com sonhos no dubai

Olha pa esse patchana a rir
Como se ele soubesse qeq a nossa dica é grana a abrir
Eiei
Se tu não queres ver a gana a agir então é melhor c’agente comece a ver a grana a brir gra grana a abrir
Então é melhor c’agente comece a ver a grana a brir gra grana a abrir

Let’s talk real Money man



publicado por olhar para o mundo às 22:47 | link do post | comentar

Segunda-feira, 10.02.14

 

letra

 

Pareceu-me que pretendias agradar-me embora nao me
conhececes. 
Convenci-me que me havias distinguido entre todas
aquelas que estavam comigo. 
O encantamento que sentias quando estavas a sós
comigo. 


Nunca curti viver à base do quase 
Adolescência passa dependência fica o embaraço 
Caso eu vencesse o preço era alto demais 
Perder tempo com outra coisa quando so tu é que me
atrais 
Lembras-te quando começamos? Soltaste a voz do meu
ouvido 
Agora somos só nós, H2O foi o cupido 
Nunca esqueço o começo, sei que tavas na TV 
Mas sinceramente não sei dizer o que eu vi em ti 
A partir daí o meu tempo foi todo teu 
Tua origem cresceu, minha origem nasceu 
Comecei com poemas, tinha mil temas pa conversas 
Quando essas foram feitas já em situações diversas 
Não tinha instrumentais mas tinha imaginação 
Fui à baixa comprar uma caixa de percursão 
Já tinha um teclado emprestado 
Comecei os primeiros beats, sem meios, guardei-os 
São outros tempos, outros aparelhos (Renovar os velhos
tempos) 
É quando apareces e eu liberto o meu talento 
É quando a flor cresce, alguma ja tem avanço 
24 horas a criar sem descanço 
24 anos com espirito aberto 
Penso, danço, venço, perco 

És complicada, como amor louco 
Pouco a pouco dou tudo mas não dás troco 
És como a morte, quando junta pessoas e aprefeiçoas o
valor 
Nunca enjoas, se assim for eu sei que morro de amor. 
Morro de amor por ti, mas antigamente eu não sabia 
Que mesmo sem anatomia és a minha melomania 
Na escola, quando escrevia rimas da minha autoria 
Nem sonhava que um dia 
Minha palavra se iria espalhar em parceria 
Eu e tu, vale tudo 
Eu canto, enquanto estudante durante o intrevalo 
Depois de conhecer o Igor, o Sheriff e o Paulo 
Vamos fazer um grupo e porque não oficia-lo? 
O local é num quarto, moral é espalhar-te 
Vocal o combate para mais tarde divulgar-te 
Pelas ruas, à espera que contribuas 
Para ver dias melhores, em Lisboa e arredores 
Rimas são tuas e eu detesto quando amuas 
Tira a roupa, assim nua, ensinuas pormenores 
Maquetes em cassetes, falhas, repetes 
Metes na rádio onde façam repts 


Não vai, será que o som vai passar? 
Não vai, passar por ter qualidade 
Não vai. 


Mas espera, eu conheço esta batida, "Escola da vida" 
Pela primeira vez, na Antena 3... 


É o rap tuga na Antena 3, com musica de chelas 
O projecto "Official Nasty" 
Daddy O Pop, 2 Much, Sheriff e Sam The Kid 
A "Escola da vida" para terminar o programa de hip hop
da Antena 3 
See you soon, for another cartoon 


E isso moraliza, motiva, cultiva o ego, não nego 
Prefiro ser o homem que se segue 
Do que o homem que se suga, eles comem e dão a fuga 
Sou o jovem que só vem para ficar com interrogações 
Nunca pensei em fazer canções 
Apenas poemas e algumas partes com refrões 
Primeiro concerto, cassete a dar ao playback 
O mic a dar ao feedback, como é que querem que eu rap?

Se eu não percebo o que é que eu tou a dizer? 
Não há prazer, sem condições, sem as ligações 
Merda de fios, é so assobios, 
Mas não há vergonha, continuas bela 
Apaga o som e o mic, eu dou-lhe acapella 
A paka apela e marca a pela, um puto sem cautela 
A clientela vou mantê-la, expandi-la num best seller 
Duvidas? Vou-me aplicar nas batidas 
Brincar com cantigas antigas, perdidas no tempo 
Não digas e mente, casamento ilegal 
Não é que vá queimar ou que te mate 
Mas a caixa já nao bate 
A razão principal dos outros estarem à frente 
Alma presente sem tocar em intrumentos 
Conhecimentos feitos com pessoas fora de chelas 
Funky D, Mastercool, aos primeiros de algumas delas 
Ela estimava-o mas o grupo nao progrediu 
Teorias podias-lhes dar e vagar no vazio 
Não era que eu de todos fossse o teu melhor amigo 
Mas era o que tava disposto a passar mais tempo
contigo 
Eu e tu, a solo, assim como isolo 
Do coração pa coluna, como aluna da polo 
Em prol da musica, luz e caneta, uso e gas 
Ta ali gas, nao é preciso praquilo que me das 
Ja crias-te fãs, na tuga és popular 
Acho que já posso sair e poder ouvir-te num bar 
No Johnny Guitar, microfone aberto, microfone aborte 
Não entro na battle margem sul, margem norte 
É ridiculo, e toda a gente sabe, apresentado pela FM 
Radical, ataque verbal do pacman 
Os mc's iniciação, 
Não feches os olhos senao o mic sai-te da mão 
Passei a demo ao carlão, reacção foi imprevista 
Primeira aparição numa primeira entrevista 
Eu vou registando todo o arquivo e evoluindo 
Ainda distante do objectivo que é pretendido 
O lixo é tanto que enche gavetas com letras 
Ganham feitios num instante por tudo o que tu
representas 
Amo o teu som com emoção, serio ou comica aqui mica 
Ou na vertente anatomica sem palavras, só mimica 
Quero uma história contigo e ser o teu narrador 
E tar a par do que pões ao dispor na bimotor 
Barbosa já era na altura o partner na cultura 
O expert da futura vida que viria a ter 
Eu era o cromo com fome, escrevia albuns nas aulas 
Para entrega-los às radios que tinham mais poder de
alcance 
E portugal dance, e eu ouço o som que sai 
Do quarto com onde para o Marco, o Nuno e o Judai 
Putch, toda a gente me apoia e motiva 
A minha escolha de por na folha uma diva 
Quem és tu? Tu deste-me uma veia criativa 
A hipótese de fazer uma sinopse da vida 
E eu fugi do cliche, eu fui intruja da cena 
O meu primeiro cache, foi com a uji milena 
A quantia foi pequena mas valeu a pena 
Pela experiencia fora da area da minha residencia 
Até que um dia fui ao iscoté ver mind da gap 
E o sunrise apresentou-me ao DJ Bomberjack 
Ja tinha ouvido o meu nome 
Tava a gravar uma mix e ele convidou-me pa entrar 
E entretanto apareceu a Godzilla 
E o mc ganhou a hipótese de ser deaeler, então vou
dealar 
Traficando com carinho, sozinho a por o autocolante 
É pro vizinho, ou quem for, sou vendedor ambulante 
Eu entretanto chego e sam é sétimo céu, reflexo 
Beats da boss gravados no fostex 
O trabalho é nosso, a duques para quem posso 
Ouvir e concluir que a tuga tambem tem loops 
Contigo sou felizardo, surdo para o clube hard no
norte 
E se houver sorte eu nao ouvirei apupos 
Muitos grupos, eu vi muitos putos a vir 
Muitos protestavam, outros detestavam putos assim 
Vou a butes ao fim do mundo ter com o mundo mc 
E longas caminhadas feitas com o NBC 
E o dito do tumbitico da-me atitude, permitude da em
ti 
So me falta tar ligado em midi 
Mas isso é outra história, outro mundo, outros tempos

Isto é pré-profissões, edições independentes 


É entao isto que me dás em troca de tanto amor? 
O amor que é mais forte, uniu-nos para toda a vida 
E tu? Se tens algum interesse por mim, escreve-me
muitas vezes 
Bem mereço o cuidado de me falares do teu coração. 

Agora sabes o que penso, com estas rimas eu venço 
Agora sabes o que penso, com estas rimas eu venço 

Oh, quanto fica ainda por dizer...



publicado por olhar para o mundo às 17:46 | link do post | comentar

 

Letra

 

Tento resistir a esta tentação
Por mais que eu queira tenho de dizer que não
Se entre nós não pode haver uma relação
Não passa mais do que uma forte atracção

 

[sam the kid]


Primeira aparição tua aparência deu boa impressão
Mas a experiência é que a aparência é ilusão
A tua presença foi intensa e a minha intenção
Era ensinar-te a não seres tão sensivel
Ao mencionares a mão que te acarinha
O teu barão eu tenho a minha também
Mas não resisto à tentação se não disseres a ninguém
Isto é apenas atracção convinha sublinhar bem
Antes de ultrapassar a linha que nos tem como amantes, ok?
Vieram noites de prazer e nunca foi preciso uma cama
Grande robusta, beleza que custa a querer dama
Que assusta até chama
O sentimento de alguém de quem sem crer se ama
Mas eu já tenho a protecção nem vou matar a relação
Que existe há buéda anos eu já tenho planos
Enquanto a dela é triste ficamos tetris
Sempre à procura do encaixe
É quando eu acho que só te amo da cintura para baixo
Não leves a mal nada é pessoal sempre foi sexo
Mas os dias sem latex tornaram tudo complexo
Vens bater-me à porta prenha nunca quis um compromisso
Dama aborta eu compro-te isso e se eu falo eu concretizo
Por isso não me venhas com uma coisa dessas
Até parece que algum dia eu te fiz promessas
Foi um erro logo à partida então não fiques ofendida
Se eu disser que não há nada em comum e queres uma vida ?

 

[refrão sp]


Tento resistir a esta tentação
Por mais que eu queira tenho de dizer que não
Se entre nós não pode haver uma relação
Não passa mais do que uma forte atracção

 

[pacman]


Meu deus como pode ser tão bom esse mal que tu me fazes
Que me obriga a ir a jogo sem figuras nem ases
Sabendo que não vou ganhar como nunca ganhei
Sabendo que não consigo parar como nunca parei
Como podem magras mãos ficar tão grandes assim
Que as gentes esgravatar cabem dentro de mim
Só pode ser verdade o que me conta a poesia
Eu gosto de gostar e sinto a tua falta todo o dia
Que posso eu fazer se me fazes tão bem/mal
Desafiando as leis da gravidade, a minha moral
O prazer da tua carne tornou-se essencial
Para a minha sanidade, física e mental
Fatal fatalmente o coração sente
E a minha boca mente em ritmo desplicente
Escrevo para ti em papel de carta
Tinta preta como a cor dos teus cabelos
Envoltos em tons de violeta
Palavras que nunca direi à tua frente
Aprendi a ser humano haveria eu de ser diferente?
Eu só amo e não reclamo um prémio sem cautela
Fechado numa cela sem chave nem janela
A coisa mais bonita deste planeta
Beleza rara no meio de uma sarjeta
Amor impossível como o romeu e julieta
Ao menos sonho contigo e podes crer já não é cheta
Amor não dá, não dá, não dá...

 

[sp]


Eu sei e tu sabes que não podemos ficar juntos
Não passa de uma atracção tentemos não ir mais fundo
Ambos sabemos que não dá para termos uma relação
Temos de nos afastar e esquecer esta paixão

No futuro nunca vai ser mais do que tentação para ele

 

[refrão sp]


Tento resistir a esta tentação
Por mais que eu queira tenho de dizer que não
Se entre nós não pode haver uma relação
Não passa mais do que uma forte atracção



publicado por olhar para o mundo às 08:41 | link do post | comentar

Quinta-feira, 20.06.13

 

Letra

 

Sam:

Hoje acordei com uma desconhecida, levei-a à saída, muito sorrateiro
estou solteiro como culpa falecida, à espera que um roteiro coincida no estrangeiro,
aqui adultos parecem adolescentes, querem brilhar na noite, querem ser fluorescentes,
na Lisa onde se alcooliza o meu farol, mas ele desmoraliza se ela verbaliza "lol",
Eu nunca fui da leta, da etiqueta e protocolo, mas para ela eu sou vedeta e quer tirar uma foto ao colo,
o tropa da beleza interior, na real sou mais preza do que predador,
Para maioria a bigamia é liberal, tive com uma amiga minha e para ela o ideal é terminar o dia em companhia casual, da simpatia à ousadia à terapia sexual.
O parro está fechado mesmo tendo o peito exposto, porque ele não está disposto a ter mais um desgosto, farta de aventuras, juras e promessas, melhor do que tu procuras, é quem tu tropeças,
a TV diz que há indícios que são propícios, ou então ficamos patrícios, com benefícios,
Pára, calcula e compara, reflicto no meu Bull enquanto o gula me ampara,
A pensar na minha ex que já não é agora minha, perdi o que outrora tinha, era a quem batia coro,
Conforto, quando ouvia a campainha que me punha mais na linha e ao menos fazia amor,
Agora sou um astro num arrasto, para muitos é currículo, para mim é cadastro,
Player for the player, feia ou sereia, e amanhã sabemos na aldeia ... Ok?

Refrão
Rodei, girei, por vezes achei, ohh nãooo... Eu não soube decifrar... Ou talvez nem quis tentar...
(não sei, ou sei, ohhhh, o que será?)

Regula:
Hoje eu deitei-me com uma conhecida, entramos no prédio sem fazer barulho (shiuuu)
Pediu-me para guardar segredo, é comprometida, isto é se eu quiser voltar a ver o bagulho,
Isto é se eu quiser voltar a dar um mergulho no intimo dela e ficar a nadar no sexo,
Horas a fio até um de nós dar o "let's" e assim a gente fica sem pensar no resto,
estou a ser honesto, vida na garganta, batida até às tantas e o meu vizinho em brasa,
Eu estou solteiro e sozinho em casa, e em homenagem à Amy é só vinho em casa,
Poucas amizades, beijinhos e abraços,pra mim isso é um passo p'ros carinhos e amassos,
Se ela adora laços, eu vou-me embora, bazo, porque quando o móvel toca agora é só bagaços.
As mensagens passam a massagens, isso é uma passagem para as filmagens, e quando tu pensas que és o número 1, é quando elas vêem que és só uma miragem,
Tenho uma amiga minha que para mim era o ideal, mas ela não lida bem com o ilegal, e manjou o meu perfil mal eu perguntei quanto é que isto tudo no Brasil vale,
Era apenas um saco, uns quantos mil e tal, mas ela é da igreja e disse "isso é pecado",
Eu estou apaixonado, foi o que eu disse à bocado mas ela nem sabe da missa a metade, o amor é fogo e tu tens muita chama, parece que já estou-te a ver a expor o puto á ama, a gente a acordar na cabana com a fruta junto à cama, isto é uma semana de férias em Punta Cana.

Refrão: 
Rodei, girei, por vezes achei, ohh nãooo... Eu não soube decifrar... Ou talvez nem quis tentar...
(não sei, ou sei, ohhhh, o que será?) 2x

Letra


publicado por olhar para o mundo às 17:03 | link do post | comentar

Domingo, 17.03.13



Letra


[Sam the Kid]
Primeira aparição da aparência deu com impressão

mais a experiência do que a aparência
ilusão, tua presença foi intensa
e a minha intenção era ensinar-te a não seres tão sensível
ao mencionares a mão que te acarinha o teu barão.
Eu tenho a minha também, mas não resisto a tentação
se não disseres a ninguém.
Isto é apenas atracção, convinha sublinhar bem
antes de ultrapassar a linha que nos tem como amantes, ok?
Vieram noites de prazer e nunca foi preciso uma cama
grande robusta, beleza que custa a querer,
dama que assusta até chama
o sentimento alguém de quem, sem querer, se ama.
Mas eu já tenho a protecção
nem vou matar a relação
que existe há bué da anos,
eu já tenho planos
enquanto a dela é triste, ficamos tetris
sempre a procura de um encaixe
se eu quando eu acho que só te amo da cintura para baixo.
Não leves a mal,
nada é pessoal
sempre foi sexo,
mas os dias sem látex tornaram num complexo.
Vens bater-me à porta prenha,
nunca quis um compromisso,
dama aborta eu compro-te isso
e se eu falo concretizo
por isso, não venhas com uma coisa dessas
até parece que algum dia eu te fiz promessas.
Foi um erro logo à partida
então não fiques ofendida
se eu te disser que não há nada em comum e que és uma vida.

[Refrão]
Tento resistir à tentação,
por mais que ele queira tenho de dizer que não.
Tento não, não pode haver uma relação,
não passa mais do que uma forte atracção.

[Pacman]
Meu Deus, como pode ser tão bom esse mal que tu me fazes
que me obriga ir a jogo sem figuras e ases,
sabendo que não vou ganhar como nunca ganhei,
sabendo que não consigo parar como nunca parei.
Como podem magras mãos ficar tão grandes assim
que as sinto esgravatar, cabem dentro de mim?
Só pode ser verdade que me conta a poesia,
eu gosto de te gostar e sinto a tua falta todo o dia.
O que posso eu fazer se me tão bem mal,
desafiando as leis da gravidade da minha moral.
O prazer da tua carne tornou-se essencial
para a minha sanidade física e mental.
Fatal, fatalmente o coração sente
e a minha boca mente
em ritmo displicente.
Escrevo para ti em papel de carta, tinta preta
como a cor dos teus cabelos envoltos em tons de violeta
palavras que nunca direi à tua frente
aprendi a ser humano, haveria eu de ser diferente?
Eu só amo e não reclamo
um prémio sem cautela fechado numa cela
sem chave nem janela.
A coisa mais bonita deste planeta:
beleza rara no meio duma sarjeta,
amor impossível como Romeu e Julieta.
Ao menos sonho contigo e podes crer, já não é cheta.
Amor não dá, não dá, não dá.

[Refrão]
Eu sei e tu sabes que não podemos ficar juntos.
não passa de uma atracção,
Tentemos não ir mais fundo
ambos sabemos que não dá para termos uma relação
temos que nos afastar, esquecer esta paixão.
Não passa mais do que tentação, baby...
Tento resistir a esta tentação,por mais que eu queira tenho de dizer que não.
Se entre nós não pode haver uma relação,
não passa mais que uma forte atracção.



publicado por olhar para o mundo às 08:55 | link do post | comentar

Domingo, 23.12.12

 

letra

 

Se soubesses como é tão difícil aceitar assim, Se não está, não está, Ou escolho por mim, Ou se não dá, não dá, É preciso ter calma e manter a chama acesa, (ter a certeza) Quero as cartas na mesa, Tu sabes que eu prefiro estar assim, O que é que pretendes tu tirar de mim? Sabes que isto agora é bem diferente, Eu por hoje sou mais que inocente, "Se souberes porque é que, É difícil inspirar assim, Se não está, não está, Não escolho por mim, Queremos mudar, Não há situações perfeitas, É preciso dizer o que pensas, Ignorar as ofensas.
Sabes que eu prefiro estar assim, O que é que pretendes tu tirar de mim? Sabes que isto agora é bem diferente, Eu por hoje sou mais que inocente." (Marta Ren)

"Segundo acto"

Se até sabes, está difícil, E tu não vês, Está na hora de perguntar porquê?, Dizem que é sistema que está fodido, é, Afinal quem manda no teu partido Zé? Só faz sentido se eu puder pagar, Só faz sentido se eu puder mudar, Somos soldados com outros planos, E os meus manos tratam disso, Enquanto ouves e pensas na tua escolha.
"Meia haste, mataste, metes-te um gajo de meia, Não foste eficaz, nem dignificaste, ficaste feia, Só dificultaste, aumentaste o contraste a quem andava a poupar no seu gasto, Mas a minha gastei-a, Levei uma rasteira, quando mordi o anzol, Só queria carcanhol e paz, Mas não há quem as tenha, Já ninguém estranha, estar na merda castanha, Dá me uma bandeira agora, Somos nós quem hasteia, A dor, eu sampleia, Vamos à assembleia, Sem boleia, Eu não sei a lei ouviu, o Sam que leia, É o artigo perdido, do tal partido antigo, Que não me lisonjeia, Quer a prisão cheia, Se a prisão chega, Já não há guita para a gota nem gota para a guita, Isto é um exagero, Agora vem um taxista, vê muitos braços no ar, Então ele arrisca, vai ao banco, e pede "braços no ar, já". (Sam the Kid)
"Isto ta fodido, né? Embora não gostes, Eu tenho de andar a fugir aos impostos, E sabes, ouve e não te encostes, Na zona não ta cor-de-rosa, nota a mona, Põe te a fazer mais maratonas que a Rosa Mota, E qualquer atendimento, já não tem rendimentos, Mas não vivo de arrependimentos, Eu aprendo e tento, ou então acendo e juro-te, Que se eu não vendo eu furto, Caso contrário não aguento o salário sendo curto, Queres dar no duro, no cimento um mês, Ou vais fazer um investimento que te dá três vezes mais, Ya, é disto que se trata, É o bicho que te mata, É o lixo que se cata, só tenho visto sucata, E por mais merda que se faça, nunca bufo pecados, Estou afastado do estado, mas ainda vejo os sufocados, Eu nunca tive um partido, mas tenho repartido, A minha dica é grana abrir e tenho estado interdito." (Regula)




publicado por olhar para o mundo às 08:28 | link do post | comentar

Quinta-feira, 02.08.12


publicado por olhar para o mundo às 08:00 | link do post | comentar

Quarta-feira, 01.08.12

 

 

letra

 

Pede um desejo
Pouco importa que seja
Este universo inteiro
Pede um desejo 


Pede um desejo
Mas ao menos que seja
Outro Universo inteiro


Pede um desejo
Onde eu seja contemplado
No teu universo inteiro

Pede um desejo

 

Pede um desejo
Não deixes de escolher
Entre tudo e o nada
Pede um desejo

 

Pede um desejo
Sabes que menos que tudo
É pouco mais que o nada


Pede um desejo
Do nada depende tudo
E contudo....

Pede um desejo



publicado por olhar para o mundo às 17:55 | link do post | comentar

 

Letra

 

Pois é, a vida está uma... Pois é
Pois é, a vida está uma... Pois é

Tenho a mão vazia dentro do meu bolso
que está tão vazio como a minha mão
aperto o vazio tanto quanto posso
nesta encruzilhada que vida de cão

Pois é, a vida está uma... Pois é
Pois é, a vida está uma... Pois é

Sam The Kid:

Este é o fado da classe atarefada que passa 
o dia inteiro com a massa e o cimento no braço
a pensar como é que eu faço pa sair deste escasso
vencimento ou caiu no esquecimento num curto espaço
de tempo... e se eu protestasse ao meu Presidente
o que me vai no pensamento talvez ele não gostasse
ah pois é não és o desempregado, não és o pregado
de sempre que tá sempre apertado, 
pa mim qualquer coisa é bem vinda ao meu agregado
fico agradecido mas nem sempre bulo com agrado
aquilo que eu oiço é sempre igual em todo o lado
que a culpa é do estado que tem estado num estado bastardo
chega o domingo vou po estádio pa estar co Mário
é aí que eu me vingo pa afastar o obstáculo diário
o mário é meu puto tem 7 anos e granda cenário
respeita-me muito e ja sabe que sou um mercenário
ele (por perto???) um dia, é um segundo bem breve
pq eu liberto a euforia até que a 2ª me leve
mas como tenho teimosia tou a pensar fazer greve
no bolso tenho a mao vazia o patrão inda me deve

Jorge Fernando:

Pois é, a vida está uma... Pois é
Pois é, a vida está uma... Pois é

Todo o santo dia enchem-me a cabeça
de velhas frases feitas, manipulação
falam de milagre à espera que aconteça
vamos desvivendo que vida de cão

Pois é, a vida está uma... Pois é
Pois é, a vida está uma... Pois é

Num sonambulismo telecomandado
Cumprimos os dias em resignação
Não há luz no túnel é o nosso fado
presos por uma trela que vida de cão

Pois é, a vida está uma... Pois é
Pois é, a vida está uma... Pois é
 
Sam The Kid

Tou preso por uma trela vivo uma vida de cão
minha rotina é uma cela que cancela uma ambição
que me revolta e indigna mas dá-me a resignação,
só oiço velhas frases feitas é manipulação
que se alivia à noite quando eu ligo a televisão

Jorge Fernando

Pois é, a vida está uma... Pois é
Pois é, a vida está uma... Pois é

Passam-se as promessas por nunca cumpridas
Enganosas frases dão-te explicação
Na vida sou um número entre tantas vidas
Resta-me ser digno como é o cão

Pois é, a vida está uma... Pois é
Pois é, a vida está uma... Pois é



publicado por olhar para o mundo às 08:52 | link do post | comentar

Quinta-feira, 19.07.12

 

letra

 

À Procura da Perfeita Repetição

Sam The Kid

Do álbum "Pratica(mente"

[sample de uma entrevista]
[Jornalista] António Pinho Vargas, gostava de se ver daqui a uns tempos
num cd do Sam The Kid, recriado num cd do Sam The Kid?
(**Risos**)
[António Vargas] Acho que sim...
Por um lado queria dizer que ele tinha achado
que podia fazer qualquer coisa com a minha música
e nesse sentido seria uma honra.
Aliás, eu acho que qualquer criador quando estimula o outro
pa fazerem coisas, deve sentir-se contente, não é?

[**diálogo entre Sam The Kid e Catarina Mira**]

[Verso 1 - Sam The Kid]
À procura da perfeita repetição,
são anos de pesquisa, fiz a minha função/
à volta de notas que transmiti sem uma emoção,
suficiente para a mente ganhar inspiração/
A minha cultura não vem da leitura,
corte e costura, também ser forte na mistura/
Para tentar juntar dois mundos opostos,
não apostes em merdas que tu não gostes/
Faz porque queres e sentes, não porque deves e tens,
ei menos pra ti, há imensos aí/
Limo arestas, rimo em festas, por cima destas bases,
(E como é que tu fazes?)/
Eu oiço temas e temas feitos antes do meu nascimento,
diz-me outra arte que dá-te maior conhecimento/
Musical, cada qual com seu gosto pessoal, al-
guns, ouvem mal, mal-dito avental, tal-/
vez resultasse se tu t'aplicaces,
só a batida não basta, tenta ser sonoplasta/
Gasta tempo e investe em experiências,
não ligues a tendências e foca-te em sequências/

[Refrão - Aninhas Naifh] (samples)
(Gonna find) You stay inside my mind
Vais encontrar em mim, em mim!!
(Ooooh, you ???) (a state of mind)

[Bridge - Sam The Kid, Catarina Mira, Lil John & SP]
Essa nostalgia, como um postal cria,
auditiva num nível possível de ser respeitado/
É só mostrar cria-tividade e mestria,
em fazer a pesquisa, qui sá fazer a novidade/

[Verse 2 - Sam The Kid]
Escuto um disco fat, nunca descoberto,
gosto discutível mas indisponível na net - é raro/
Ou oiço um êxito com rodagem, ponho a minha camuflagem,
a tua nova abordagem - vai ser em reparo/
Do pulso, sopra o touls, é como eu bulso,
sempre chuto, sente a MPC e fuck PC/
Sente a diferença e ganha a confiança,
vais ter uma nova crença que te ensina o mais recente instrumento/
É orgânico, é humânico, é pra lá do mais mecânico,
quem o manipula, põe no armário, Box, não é necessário/
Pareço um publicitário mas isso é só aparente,
crio calmo e solitário sem um bom equipamento/
A dica é essa, não interessa um colecção grande,
de loops ou breaks ou kits pa beats se os teus são feios/
O que importa é o que tu fazes com o pouco que tu tens,
ideias com talento nas veias, se a tens, parabéns/
E quanto às leis (e quanto às leis?), não tão bem explicadas,
e eu não vejo o sentido, pra mim tão erradas/
São papéis, mai nada, não dão liberdade,
a esta arte que pra eles 'inda é novidade/
Tou no meu quarto, eu sou um artista ausente de SPA's,
a minha alma é alquimista, eu penso em RCA's/
Eu penso em rimas estruturadas, penso em 12 polegadas,
eu não penso qu'ideias possam vir a ser multadas/
ou julgadas por alguém com poder,
eles dizem 'tem cuidado a escolher', mas a censura censule/
Isto é Hip Hop puro com samples qu'eu juro ser crente,
isto é o futuro, passado e presente, todos ao mesmo tempo/

[Refrão]

[Bridge]

[Scratches por DJ Cruzfader]
"E abre o teu espírito" "pela inspiração"
"procuras, tu achas" "dicas no vinil"

[Outro - Catarina Mira]
Oh mano, quem é o Vítor Espadinha?

[Interlúdio do album (sample)]
Porque o qu'eles querem todos é mandar na gente.
A gente manda-os à merda mas eles mandam na gente.
(**Risos e gargalhadas**) 



publicado por olhar para o mundo às 17:01 | link do post | comentar

Domingo, 04.03.12

 

letra

 

Auto de fé

 Sam The Kid

 

AUTO DE FÉ
(Da banda sonora: "O Crime Do Padre Amaro")

[Verso 1 - Pacman] 
Diz-me porque é que tens que fazer o que é suposto ser correcto,
se toda a gente à tua volta disfarça o afecto/
Essa máscara que tu usas pode dar bom aspecto,
mas na melhor das hipóteses só revela falso intelecto/
Eu sei que foi assim que te ensinaram a viver,
não me venhas dizer que é assim que eu tenho que fazer/
Mostras um sorriso quando sentes tanta dor,
dizes que tá tudo bem, eu noto um tremor/
Nesses olhos mais expressivos do que mil frases,
vejo frustração em tudo aquilo que tu fazes/
Vives em função da opinião de alguém,
que provavelmente nem conheces muito bem/
Em 2000 anos de erros calculados,
o hábito não fez o monge, apenas homens falhados/
Crimes são perpetuados,
num mundo bem real onde não cabem anjos alados/
Essa moral que não praticas mas edificas,
há-de fazer contas contigo pelas vidas que complicas/
Pára para pensar no verdadeiro crime,
quando matas à nascença um sentimento tão sublime/
Como a semente de paixão que tanto negas,
se não praticas o que pregas, de que valem essas regras?/
Piadas de mau gosto para os teus colegas,
segue o coração, não a razão que não sossegas/ 


[Refrão - Sam The Kid] 
Tu só fazes - o suposto correcto,
pa dar um bom aspecto, a quem te vir/
Tu só me dás - a fé do teu voto,
mas no teu olhar noto, tu tás a mentir/
Tu és - frustração, não tens, um alicerce,
então, segue o coração e pensa no meu verso/
Tu és - o pecado, o amor é um vício que ofende,
então, volta ao início e aprende/ 


[Verso 2 - Sam The Kid] 
Tu és o palco do cinismo, és o falso moralismo, que eu calo,
és a censura que ainda atinge o teu alvo, antigo/
Diz-me o que é mau pra ti, que julgas o que eu pratico,
mas por trás, és capaz, de ser alguém que alguém critique/
Tu és o medo de uma escolha que não esconde nada,
no teu silêncio da vergonha que é condenada/
Por ti, ordenada por quem,
quando nada é assim, onde nada e ninguém/
Tão aplicados em ser perfeitos numa beauty shop,
tu escondes os defeitos, não és puro, és PhotoShop/
Tens atracção, pela traição, que é tão ingrata,
és um racista que ama a neta mulata, cresce/
O mundo é belo com cores então vai, goza,
sem o sorriso amarelo da revista cor-de-rosa, tá bem/
Não vivas em função da reacção, que tanto te empenha,
és um voto contradito em Espanha/
Venha, mais uma barriga prenha, tire a próxima senha,
e seja bem vindo à hipocrisia/
Que eu vejo no teu protesto, tu nem sabes quem és,
tu tenta lá ser honesto, o resto, do dia/ 


[Refrão - Sam The Kid] 
Tu só fazes - o suposto correcto,
pa dar um bom aspecto, a quem te vir/
Tu só me dás - a fé do teu voto,
mas no teu olhar noto, tu tás a mentir/
Tu és - frustração, não tens, um alicerce,
então, segue o coração e pensa no meu verso/
Tu és - o pecado, o amor é um vício que ofende,
então, volta ao início e aprende/ 


[Outro] 
Yeah boy, tu és a hipocrisia em pessoa, man
tu és a verdadeira definição de contradição
vê lá se aprendes, man tens um espelho?
vai ao confessionário, man
Yeah



publicado por olhar para o mundo às 16:22 | link do post | comentar

Sexta-feira, 07.10.11

Letra

 

Sou soldado da armada, marinheiro estou de sentinela, esta noite vai ser longa silêncio tão fundo fechado à janela não sei do dia de amanhã, inquietação da madrugada, vou defender-te com a vida sou soldado da armada. 

Já lá vem a nova aurora mimo leve muita incerteza, oh tão frágil barricata fica entre mim e a força de um canhão, não fora a esperança tão certeira de morar no coração da que é a porta bandeira, verde e rubra da revolução. 

Combatente potente, de faca afiada 
por ela dou tudo ou fico sem nada 
na vida ou na morte, é o sim ou o não 
minha alma fica enamorada de revoluçao 
minha amada deseja-me sorte 
eterna paisagem do meu coração 
deixo-te a medalha fechada na mão 
que eu vou pr'a batalha 
nela verás a historia de um amor perdido 
lá na barricada, vai mais um bandido 
no meio da rotunda 
numa cova funda 
pesso o que é devido 
enganei o medo e temo não ser temido 
é um segredo meu que a minha espingarda guarda 
aguardo a ordem do homem que me fez gostar da farda 
minha alma danada está surda desfeita 
de o receio de um tiro distante 
de um canhão desconhecido que me tire a vida num instante 
e eu nunca mais te vejo o meu deseijo constante 
ver o meu bolo calvário 
no meu diário está saudade da armada 
solitário na caminhada sou soldado da armada 
e se eu me ficar chora baixinho 
tira uma certa noitada 
vai junto ao caminho da pedra deitada 
vais lá ver um ribeirinho 
e levaram-te as flores 
a vida foi curta 
sei que ela te escuta que eu não esqueço os meus amores 

Pois eu morri na luta. 

Não fora a esperança tão certeira de morar no coração da que é a porta bandeira, verde e rubra da revolução 



publicado por olhar para o mundo às 08:50 | link do post | comentar


Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email
mais sobre mim
posts recentes

ORELHA NEGRA, SAM THE KID...

Valete - Pela Música Pt.2...

BISPO - Pormenores feat. ...

Sam the kid - Chelas

Sam the Kid - O Keu Sou (...

Regula - Brasas feat. Sam...

Sam The Kid feat Beto di ...

Sam The Kid & Kalaf - As ...

MUNDO SEGUNDO & SAM THE K...

Sam The Kid com Viriato V...

arquivos

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

tags

todas as tags

links
comentários recentes
Pena estes rapazes não terem mais popularidade. A ...
Nome do autor da letra?Não se escreve?Falta de res...
A LETRA É ASSIM!!!E NÃO ASSADO!!!!MaMãe, tu estás ...
As partes que não consegui perceber estão com reti...
https://www.google.pt/amp/s/www.musixmatch.com/pt/...
Vou adicionar nos meus favoritos, sou brasileira, ...
" Para que o tremoço o almoço e o alvoroço demorem...
Letra e música do SiulProdução do Siul Sotnas e Mi...
que puta de letra fdx
Epá, o que é isto?Borrei-me todo com este "Mal des...
Posts mais comentados
blogs SAPO
subscrever feeds