Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

  letra   salomé queria mais da vida mas duvida que hoje morra e que um mosquito lhe poupe a mordida e o amor diga que chegou a hora de passar à acção e encontrar acção às 3 horas na fonte para afogar as mágoas nessas águas cristalinas que são as tuas lágrimas salomé, perdi-te ali em frente ao cais para não te ver chorar  não nunca mais guardou só p?ra si as mentiras das amigas que em falso alvoroço rompiam em pranto só enquanto salomé olhava e depois na sua ausência maldi (...)
    letra   Ter naves espacias E aprender com jornais Para ser alguém Eu + Eu = Ninguém Pequeno português Sonhava ser inglês Na televisão Oh, que emoção É tão triste ser tão bom estar mal Andar de skate um mês Camisas de xadrez A combinar com o chão Tens o mundo e os dentes na mão Fugir deste país E perseguir rubis Que ninguém encontrou Que a ninguém salvou É tão triste ser tão bom estar mal O que existe é sempre tão normal É o medo de seres só mora
  Os Pontos Negros vão tocar ao vivo em Lisboa.   Depois da edição de “Soba Lobi” em Abril pela Optimus Discos e de uma série de concertos por todo o país, o grupo prepara-se para fazer a grande festa em Lisboa do seu quarto  álbum de originais, gravado nos estúdios Abbey Road em Londres.  Este concerto acontece no dia 13 de outubro pelas 23h e vai contar com algumas surpresas e convidados especiais a anunciar em breve.   Os bilhetes custam 8 euros e a Antena 3 é a (...)
No dia 13 de Outubro, Os Pontos Negros sobem ao palco do Ritz Clube para também deixar a sua pegada no número 57 da Rua da Glória.   Porquê? Porque a melancolia do Outono tem de ser combatida com todo o vigor, vigor esse que é destilado em canções como "Tudo Floresce", "Eu + Eu = Ninguém", "Conto de Fadas de Sintra a Lisboa", "Magnífico Material Inútil" e "Rei Bã", entre outras. O dia 13 de Outubro no 57 da Rua da Glória será um dia onde as canções d'Os Pontos Negros se (...)
A banda de Queluz atua esta quinta-feira, 30 de agosto, na estação de metro lisboeta a partir das 21 horas, num concerto de entrada livre. Nas palavras de Zé Pedro (Xutos & Pontapés), programador da agenda cultural de agosto na Baixa-Chiado PT Bluestation, Os Pontos Negros provocaram “uma agitação e uma mudança na música nova em Portugal”.  Depois da gravação do seu quarto álbum, "Soba Lobi", em Londres (nos míticos estúdios Abbey Road), a banda da linha de Sintra (...)
A Antena 3 anuncia em primeira mão a passagem da banda pela sala Lisboeta.   Depois da edição de "Soba Lobi" em Abril pela Optimus Discos e de uma série de concertos apresentados por todo o país, o grupo prepara-se para fazer a grande festa de apresentação do seu quarto álbum de originais, gravado nos estúdios Abbey Road em Londres, a 13 de Outubro no Rits Club com o apoio da 3. "No dia 13 de Outubro, Os Pontos Negros sobem ao palco do Ritz Clube para também deixar a sua (...)
Os fãs da banda foram convidados a participarem no teledisco do novo single. O desafio foi lançado directamente no Facebook e as reacções têm sido positivas. A ideia é: "Gravem-se a vós próprios a cantar, berrar, dançar, o que quiserem e vos apetecer. Queremos ter o máximo de participações possível, e o melhor vídeo de sempre." A partir de todos os vídeos enviados, os Pontos Negrosfarão a edição deste novo teledisco, aberto a todos aqueles que quiserem entrar. Os (...)
  letra   Cerar os olhos ás 6 da manhã Não é pró vida, não é pró vida Substituir os hidratos de carbono Pela bebida, pela bebida Ter somente o aborrecimento Por companhia, por companhia Olhar pra diante e só ver o que está pra trás Todo o dia, é todo o dia Mas quando acordo tudo floresce Meu coração cresce Mas quando acordo tudo floresce Meu coração! Sempre soube ser, verde a esperança É o que dizem, é o que dizem Mas eu sei qu'é incolor a desgraça Não olha (...)
  Letra   Tu achas que sou feliz A cantar o que ninguém diz Saber fugir da multidão Achas que sou perspicaz Quando penso o que ninguém faz Viver debaixo do chão   Oh não estaciones no sub-zero quando brilha o sol Eu não estaciono no sub-zero quando brilha o sol   Aos meus ouvidos Chegam cristal e ruídos Em pleno stereo sound Os meus amigos dizem ser muito vividos Estão todos no underground   Oh não estaciones no sub-zero quando brilha o sol Eu não estaciono no (...)
Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email