Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

    Letra   Surges do mar como uma ninfa alada E pairas sobre mim sem te deteres És como uma gaivota ou pomba ou nada E sei que não é meu o que me deres E eu, de pés na terra, olhando o mar Da solidão desse teu voo rasgado Sinto escorrer por dentro o teu olhar E vais partir de mim sem ter chegado Chamar-te esperança, ou sonho, já não sei Se te hei-de dar o nome donde vens Que me saibas mostrar que te inventei E só eu sei o nome que tu tens Vou-te buscar ao futuro, que (...)
A pianista Maria João Pires voltou a ser nomeada como Melhor Intérprete a Solo para os prémios de música norte-americanos Grammy, foi hoje divulgado.   Maria João Pires foi nomeada na categoria de Melhor Intérprete a Solo pelo álbum Sonatas n.ºs 16 e 21 de Franz Schubert, editado em fevereiro último pela Deutsche Grammophon.   A nomeação de Maria João (...)
A pianista Maria João Pires vai atuar em fevereiro do próximo ano no Festival de Artes de Hong Kong com a Orquestra de Câmara Escocesa. O 42.º Festival de Artes de Hong Kong, que vai decorrer entre os dias 18 de fevereiro e 22 de março e cuja reserva antecipada pode ser feita a partir de hoje, vai juntar cerca de 1.600 artistas oriundos de diversos pontos do mundo, da Ásia à à América, em mais de 130 espetáculos.   Segundo o programa, Maria João Pires, que vai tocar obras de (...)
O novo álbum da pianista Maria João Pires é constituído pelas Sonatas n.ºs 16 e 21, de Franz Schubert, compositor falecido há 114 anos, em Viena, que tem vindo a incluir nos seus recitais. A Sonata n.º 16, em Lá menor, foi apresentada pelo próprio compositor como a sua “Primeira Grande Sonata”, quando a deu à impressão, no outono de 1825, tendo-a dedicado ao arquiduque Rudolfo da Áustria, em sinal de gratidão ao mecenas da música. Esta é uma Sonata que Maria João (...)
    letra   Quando eu tinha o teu amor Não me sentia à vontade Para dizer quanto te queria. Mas não podia supor Que, por guardar a verdade Tu julgasses que eu mentia.   Podia continuar mudo Que as palavras não são tudo Mais importa o que é vivido, Mas digo-te cá do fundo Que ainda dava a volta ao mundo Na roda do teu vestido.   Quando estiveste ao meu lado, Faltou-te da minha boca Uma jura de paixão E, ao veres-me assim tão calado Cismaste até ficar louca, Numa (...)
Fez como vê os netos fazer: o canto de Carlos do Carmo surfou por cima do piano de Maria João Pires, encontrando a liberdade nos fados “vienenses” de António Victorino de Almeida.Carlos do Carmo acredita que muitos o vejam como louco, como alguém que não mede exactamente o que faz, que é guiado por decisões inusitadas, levado por ondas inesperadas do instinto. Uma loucura, acredita, própria de quem se entrega às artes e tenta que o presente não seja mero espelho do passado. (...)
Gravações ao vivo de dois concertos de Mozart captadas em 2011 surgem num novo disco que acaba de ser editado pela Deutsche Grammophon São dois nomes de vulto no catálogo da Deutsche Grammophon. E voltam a cruzar os seus caminhos. Já gravaram juntos concertos de Schumann ou Mozart. E é a este último compositor que regressam, numa gravação captada ao vivo, em 2011, no Auditorium Teatro Manzoni, em Bolonha e no auditório da Konzerthaus, em Bolzano.   Acompanhados pela Orchestra (...)
Carnegie Hall, emblemática sala de espetáculos de Nova Iorque, encheu na noite de sexta feira para ouvir a orquestra de Philadelphia conduzida pelo maestro Charles Dutoit, e ovacionou de pé a pianista portuguesa Maria João Pires.  A interpretação do 2.º Concerto para piano e orquestra de Frédéric Chopin valeu a Maria João Pires a maior ovação da noite da orquestra de Philadelphia no Carnegie Hall, tendo sido chamada ao palco do grande auditório Isaac Stern por três vezes, (...)
Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email