Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

  Letra   Lobisomem Jorge Fernando   Dizem todos que nasce endiabrado Num dia em que ninguém saiu à rua E que traz o Diabo incorporado P'la força mais satânica da lua Também dizem que transforma a sua forma Em formas muito estranhas e malignas Se o vêem, fazem figas como norma Praguejando outras coisas menos dignas Mas ele é um bom rapaz Ele é um bom rapaz Mas é ele é um bom rapaz é só mania. Mas ele é um bom rapaz Ele é um bom rapaz Mas é ele é um bom rapaz (...)
    Jorge Fernando no Cineteatro Municipal D. João V   Assinalando em Tour de Espetáculos o 40º aniversário de sua tão recheada carreira como músico, compositor, produtor musical e também cantor, Jorge Fernando sobe a um vasto conjunto de palcos do país, para junto com uma formação de músicos de acompanhamento do mais elevado (...)
  Letra   Nesse teu olhar timbre de mel Onde deito os olhos a perder Descubro que o querermos ser fiel Não depende só de queremos ser Desce em mim um silêncio Um leve quebranto Que triste paira no ar E p'la calada da noite Me faz voltar Me faz voltar Não posso pôr a mão no pensamento Reduzi-lo ao fechar da minha mão Mas sempre a ti regressa em voo lento Como te sou fiel, descubro então Por isso, minha amada de olhos doces Onde me traio para te ser fiel Assim eu não (...)
  Letra   Há um sorriso pequeno nos lábios que amei Faz tempo que te não via e ao ver-te pensei Estás mudada... estou mudado E dos jovens que um dia se amaram nasceu este fado Há um sorriso pequeno no homem que eu sou Iniciamos o amor quando o amor nos chegou Não me esqueço... não te esqueças Que inocentes escondidos escondemos o amor feito às pressas Não penses que te vejo como outrora A vida esgota a vida, hora a hora O tempo gasta o tempo e marca a gente O espelho (...)
Gisela João e Jorge Fernando estão entre as mais recentes confirmações no cartaz do Festival Caixa Alfama’14.   Além destes, foram também agora confirmados no certame, que apresenta 40 fadistas em dez espaços no coração de Alfama, nos dias 19 e 20 de setembro, Anita Guerreiro, Maria da Nazaré, Cláudia Picado e Carmo Moniz Pereira.   Estes nomes juntam-se aos anteriormente anunciados Ana Bacalhau, Ana Moura & António Zambujo, Pedro Moutinho, Ricardo Ribeiro, Sara (...)
  Letra   Umbadá, umbadeó-umbadá  É umbadá, umbadeó-umbadá  É umbadá, umbadeó-umbadá  É umbadá, umbadeó-umbadá  É umbadá, umbadeó-umbadá  É umbadá, umbadeó-umbadá  Herdou da noite a cor que é cor de mistério  Mas tinha brancos os cabelos e a alma  Tinha nos olhos a certeza que há no sério  E no sorriso a doçura e a calma  Foram seus braços o meu berço preferido  Sua canção foi o feitiço apetecido  Que me embalava e eu menino adormecido  Ouv (...)
Letra Perguntares como é que eu estou não e quanto baste Quereres saber a quem me dou não é quanto baste E dizeres para ti morri é um estranho contraste Nada mais te liga a mim tu nunca me amaste   Telefonas para saber como vai a vida E mais feres sem querer minha alma ferida E assim rola a minha dor pássaro ferido Que não esquece o teu amor estranho e proibido   Deixa-me só por um dia Deixa-me só por um dia Minha fria companhia Minha fria companhia   Dizes ser tão (...)
    letra   As coisas vulgares que há na vida Não deixam saudade Só as lembranças que doem Ou fazem sorrir Há gente que fica na história Da história da gente E outras de quem nem o nome Lembramos ouvir São emoções que dão vida À saudade que trago Aquelas que tive contigo E acabei por perder Há dias que marcam a alma E a vida da gente E aquele em que tu me deixaste Não posso esquecer A chuva molhava – me o rosto Gelado e cansado As ruas que a cidade tinha Já eu (...)
  letra   Desespero... o mar turva-se aos meus olhos Porque o céu amua com a terra e entristece Desespero... roça a minha fantasia A língua da serpente e o meu céu não amanhece Rasga a seda do meu sonho Toma-me em teus braços nos instantes do delírio Rasga o ventre do teu dono Com a sinfonia nos compassos do martírio Salva-me... Amor salva-me Estrela sensual que o meu céu seduz Amor salva-me... Vem e salva-me Olhar tropical que ao meu olhar dá luz Desespero... mordo a (...)
Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email