Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

  Letra   Trabalha noites inteiras o Almeida Varredor enxotando a varejeira pelas ruas ao rigor. Perguntei-lhe a começar pela vida e ele disse: “(…)Eu danço quando ouço cantar Afina a corda, ó tocador Que eu vou-me pôr a contar a vida dum varredor. Tudo se passa e resume entre um esgoto que arrota, o cheirete e o azedume sem sabor desta vida que se enxota, e Portugal tem o costume.   E varre, varre senhor varredor, pois com o teu varrer assim faz outro mundo  
  Letra   Sete saias tem Mariana  e um emprego em Miraflores  viveu ontem de recados  mas hoje vive de amores  sete carros vão chegando  pelas tardes de Belém  com sete homens que a beijam  entre Sintra e o Cacém  não tenho amores  nem tenho amantes pois  quantos amados não sei  tenho alguns amadores  olha para mim  lá na terra onde morei  escutava  pela rádio o folhetim  sete saias tem Mariana  à noite no Parque Mayer  dança bolero em dó menor  ali (...)
  Letra   Não canto porque sonho.  Canto porque és real.  Canto o teu olhar maduro,  teu sorriso puro,  a tua graça animal.  Canto porque sou homem.  Se não cantasse seria  mesmo bicho sadio  embriagado na alegria  da tua vinha sem vinho.  Canto porque o amor apetece.  Porque o feno amadurece  nos teus braços deslumbrados.  Porque o meu corpo estremece  ao vê-los nus e suados.
  Letra   Lembra-me Um Sonho Lindo Fausto   Lembra-me um sonho lindo quase acabado, lembra-me um céu aberto outro fechado Estala-me a veia em sangue estrangulada, estoira num peito um grito, à desfilada Canta rouxinol canta não me dês penas, cresce girassol cresce entre açucenas Afoga-me o corpo todo se te pertenço, rasga-me o vento ardendo em fumos de incenso Lembra-me um sonho lindo quase acabado, lembra-me um céu aberto outro fechado Estala-me a veia em sangue es (...)
    Letra   Abraça-me bem, cobre meu corpo enfin nesse agasalho São os teus braços sim, cuida de mim Basta-me um gesto, porém, abraça-me bem Bem no teu colo Chega-me mais a ti, um pouco mais... Suavemente assim tudo por fim são mágoas que eu consolo bem no teu colo Todo este céu de pássaros e tons muito assombrados traz o teu ser tão bom, todo este som, decerras o meu véu...todo este céu Lançado à Terra sob restingas e ilhéus, nas sombras de asas... Lembram a (...)
    letra   O tempo tem lá dentro uma espiral uma espiral que se chama história e que num andar natural e por força de vontade resolveu ter um capricho chamado liberdade tão material como qualquer planeta num constante movimento em harmonia universal A história tem lá dentro um mecanismo habitado por homens tão diferentes e que me perdoem o aforismo se os mais pobres da nação resolveram ter um desejo chamado revolução acto imortal de quem torce o rumo à vida arrasando (...)
    letra   Navegar navegar  Mas ó minha cana verde  Mergulhar no teu corpo  Entre quatro paredes  Dar-te um beijo e ficar  Ir ao fundo e voltar  Ó minha cana verde  Navegar navegar  Quem conquista sempre rouba  Quem cobiça nunca dá  Quem oprime tiraniza  Naufraga mil vezes  Bonita eu sei lá  Já vou de grilhões nos pés  Já vou de algemas nas mãos  De colares ao pescoço  Perdido e achado  Vendido em leilão  Eu já fui a mercadoria  Lá na praça do Mocá  (...)
    letra   O barco vai de saída Adeus ó cais de alfama Se agora vou de partida Levo-te comigo ó cana verde Lembra-te de mim ó meu amor Lembra-te de mim nesta aventura P´ra lá da loucura P´ra lá do equador Ah! mas que ingrata ventura bem me posso queixar Da pátria a pouca fartura Cheia de mágoas ai quebra mar Com tantos perigos ai minha vida Com tantos medos e sobressaltos Que eu já vou aos saltos Que eu vou de fugida Sem contar essa história escondida Por servir de (...)
O mais recente disco de Fausto Bordalo Dias traduz o final de uma aventura em formato de triologia. "Por Este Rio Acima" foi o começo, em 1982, seguindo-se "Crónicas da Terra Ardente", em 1994. "Em Busca das Montanhas Azuis" foi editado no final do ano passado.  Um disco duplo, onde Fausto descreve a entrada dos portugueses em terra firme no continente africano. Um trabalho que revela uma nova aproximação à música tradicional portuguesa.   Os bilhetes estão disponíveis nos (...)
  Letra   Uns vão bem e outros mal Senhoras e meus senhores, façam roda por favor Senhoras e meus senhores, façam roda por favor, cada um com o seu par Aqui não há desamores, se é tudo trabalhador o baile vai começar Senhoras e meus senhores, batam certos os pézinhos, como bate este tambor Não queremos cá opressores, se estivermos bem juntinhos, vai-se embora o mandador Vai-se embora o mandador Faz lá como tu quiseres, faz lá como tu quiseres, faz lá como tu quiseres F (...)
Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email