Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

    De Coimbra com Amor "Quem chega e pousa o olhar sobre a colina sagrada, atravessando as águas do Mondego, vencida a ponte de Santa Clara, encontra uma cidade intemporal, tão antiga como a língua portuguesa a que deu forma e espalhou pelas sete partidas do mundo. A língua que é, ainda, um dos nossos mais valiosos patrimónios. A língua em que Camões escreveu “Os Lusíadas”. Coimbra e a sua música são a capital do amor em Portugal. O Fado Ao Centro nasceu para ser (...)
  Letra Tenho cantado esperanças...  Tenho falado d'amores...  Das saudades e dos sonhos  Com que embalo as minhas dores...  Entre os ventos suspirando  Vagas, ténues harmonias,  Tendes visto como correm  Minhas doidas fantasias.  E eu cuidei que era poesia  Todo esse louco sonhar...  Cuidei saber o que e vida  Só porque sei delirar...  Só porque a noite, dormindo  Ao seio duma visão,  Encontrava algum alivio,  Meu dorido coração, Cuidei ser amor aquilo E (...)
  Letra   Mais do que um sonho: comoção! Sinto-me tonto, enternecido, quando, à noite, as minhas mãos são  teu único vestido. E recompões com essa veste, que eu, sem saber, tinha tecido, todo o pudor que desfizeste como uma teia sem sentido   Mas nesse manto que desfias, e que depois voltas a pôr, eu reconheço os melhores dias os melhores dias do nosso amor.   E recompões com essa veste, que eu, sem saber, tinha tecido, todo o pudor que desfizeste como uma teia (...)
  Fado ao Centro " De Coimbra com Amor" | Lisboa - 24 Nov | Porto - 26 Nov | Coimbra - 09 Dez O amor. O mesmo amor que Pedro deu a Inês e que ficou enredado nas águas de um rio que nunca quis levá-lo. Esse amor que haveria de dar voz a poetas e a cantores, que cantaram de novo e sempre o amor maior, o mais puro, o que fica para lá da morte e da crueldade. O amor que tudo vence e que volta a espraiar-se pelas águas do rio, a dançar nas cordas de uma guitarra, a brilhar na voz de um (...)
Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email