Sexta-feira, 05.02.16

 

 

Letra

 

Eu não sei se me vais escutar por cá
quando eu já estiver do lado de lá (2x)

Mas enquanto eu tiver cá eu vou fazer aquilo que for preciso
para deixar aqui o meu legado vivo
para que eles saibam qual é que foi o motivo
pelo qual subi ao palco e perguntei quem está comigo

Queres saber qual foi o trilho, pelo qual eu fui trilhado
asas para voar punho fechado, 4400 eu levei a todo o lado
quando o destino me chamar é claro que eu vou honrado

Sou a voz do povo, a inspiração de um puto
a revolução de novo, a conspiração em bruto
o vosso apoio aqui é sinal que nós demos tudo
por enquanto podemos brindar e gritar: "haja saúde!"

Para continuarmos a formar o nosso público
fechar os olhos e sentirmos que isto é único
abrir os braços e ouvirmos em uníssono
que o respeito que nós temos é legítimo

Eu não sei se me vais escutar por cá
quando eu já estiver do lado de lá (2x)

Será que eu um dia vou ter a magia de te fazer ver
que o que agora brilha logo a ferrugem vem para corroer
não é um caminho não tens que ir sozinho para quê fugir
minha mão estendida sem medo da vida levanta a cair

Eu não sei se me vais escutar por cá
quando eu já estiver do lado de lá...

 

Letra:
Bezegol/DEAU

Musica:
Bezegol

 



publicado por olhar para o mundo às 11:13 | link do post | comentar

Terça-feira, 29.12.15

 

Letra

 

Quantos homens cresceram com o que fazemos?
Reza a lenda 4400!
Nova gaia, respeito pela nossa gente,
Nova escola, velha escola, melhor escola de sempre, sente!

Quantos homens cresceram com o que fazemos?
Reza a lenda 4400!
Nova gaia, respeito pela nossa gente,
Nova escola, velha escola, melhor escola de sempre!

Minha presença é marcante, neste zoo sou elefante
Parabéns, ganhou um prémio: Milésimo visitante!
Manos têm bolas, mas são de malabarismo,
Escrevo à cara podre: Raramente eufemismo!
Puro vandalismo dissecando instrumentais,
Tu curtes mais sinfonias de orgãos genitais

Notas preferes menores como líderes paroquiais
Tudo ao molho e fé em Deus como artigos judiciais.
Divido os amigos por estratos sociais,
Eu estou noutra causa: Natal dos hospitais.
Continuamos amenos nesse top mais
Sempre fortes e serenos com fome de animais.
Por favor não regues mais, eu nem trouxe galochas
És um fraude teso, nem massa para talochas
Cara p de acende tochas, brevemente a partir rochas
Eu sei que tu não mochas, debochas

(Clap your hands everybody, if you got what it takes)
Mundo segundo!
(Clap your hands everybody, if you got what it takes)
D-e-a-u!
(Clap your hands everybody, if you got what it takes)
Bate palmas! (tu!) bate pala! (tu!) bate palmas!

Na minha altura primos não se armavam em gangster
Cuspiam cru e duro, árduo tipo gangstarr (skills)
Esta é a história do rap antes dos meninos sem talento inventarem o swag
Mentira é como o messi, perna curta, finta a maioria
Mas a verdade é como o ronaldo, vem sempre ao de cima
Inveja é a maior prova do sucesso
Que combina a vegetação dos que não são como nós
Com ambição de vir a ser um dia

A estadia aqui é curta, eu quero duas coisas
Não foder quem me ama e amar-te quando tu me fodas.
Escuta o boom-bap da marcha dos bombos,
Pergunta agora a quem tu segues por quem nós somos
Na terra onde não se dorme inspiramos sonhos
Os nossos joelhos não tremem muito presos aos ombros
Fazemos intervenção divina com força humana
A nossa perfeição é a prova que Deus se engana!

Teu estilo de mc: Levanta-te e ri
Sonho um dia vir a fazer um dueto com a fanny
Eu não tenho segredos, não, não estive na casa
Tens o ego tão em cima, podias trabalhar pá nasa
Macaco de imitação, pareces um papagaio
Esse concerto não bate nem numa sala de ensaio
Parto como o raio, eu não vaio eu subtraio,
Pela porta da frente calmamente eu saio

A tua cruz é pesada como a do carlos,
E ao contrário da edp eu vim pra dar luz
Pisar uns calos, dar uns estalos
De luva branca na branca desses chavalos
Ao guna beto e ao beto que quer ser guna
Prisão de mente e de ventre não sai merda nenhuma
Tenho barras de proteína, contens fibra da mais pura
Com esse feitio, diz-me, quem é que te atura?!

 



publicado por olhar para o mundo às 17:13 | link do post | comentar

Quinta-feira, 29.10.15

 

Imaginas luzes, câmara, ação, fama
E os montes de notas debaixo da cama
Luxo, numa praia deserta cubana
Com os lucros que eu fiz com a minha banda

Imaginas luzes, câmara, ação, fama
E os montes de notas debaixo da cama
Luxo, numa praia deserta cubana
Com os lucros que eu fiz com a minha banda

Atrai-te a luz do palco, a admiração do público
O povo com as mãos no alto, o meu currículo é único
É... mas tudo isto é efémero, e amor, oposto disto, é eterno
E posto isto, diz tu, eu insisto
Em saber se existe um p’ra lá de tudo isto, visto que

Aquilo que eu visto, p’ra poder gravar tudo o que ouviste
Ser tão pesado e triste
E se tu sorrires, é como quem troça
Ou é como quem troca
De posição quando o burro se magoar a puxar a carroça

Sabendo o peso disso, o quanto custa a cossa
Dizendo: “conto com isso”, meu irmão minha nossa
Elas não entendem, como certas falas mentem
E a realidade das minhas falas dizem o que não sentem

Não vos culpo eu entendo bem, é a diferença entre quem
Admira quem volta da guerra e revolta no intimo de quem de lá vem
Caso as tuas mãos se lavem, na casa que os meus pais têm
Olhes os meus nos olhos e os sintas como teus também

É porque os meus de meio diferente, me escutam dizendo atento
Ao modo como cruzo os dedos, sussurrando pelos dentes

Tou feliz, tou feliz... nem preciso de subir Eiffel para ver Paris
Irmão quando ela diz, tão feliz: "mostra-me só Eiffel de D.Luís"
Quando ela diz, tão feliz: "nem preciso de subir Eiffel para ver Paris"
Quando ela diz, tão feliz: "mostra-me só Eiffel de D.Luís"

Porque o rei do pichebeque só precisa, de uma... Rainha de Bugiganga
O rei do pichebeque só precisa, de uma... Rainha de Bugiganga

Tu queres o mundo aos pés, eu não te discrimino
O que eu quero é o mesmo que tu mas senti-lo a fazer o pino
É contexto que cintilo, num contexto que sem tê-lo
Irias arranjar um pretexto para um texto e eu não vê-lo

Por isso é que coisas do tipo “és tão lindo faz-me um filho”
Eu acho tão imaturo, infantil e ridículo
Eu sei, que estou num sítio em que me olham como um ídolo
Atentas no que é frívolo, eu intento porque evoluo
É que é ser um ídolo, a que alguns chamam de íntimo
Porque no meu círculo, tudo tende para um ciclo

Em que é ímpio, ímpeto, esse é o motivo em que tu
Atentas sem perceber porquê de eu querer saber o princípio
Com que te moves, quando o sabor dos oves moles for insípido
Como encobres quando descobres que estes aqui tem ínfimo
Não há cobres com que dobres, ideais do meu ritmo
E por ter estes modos de brilho os meus olhos vertem líquido

Só quero ver que é nítido o que eu sentir em ti reflectido
Quando a maior parte se esquecer de tudo isto
Mas para ti, continuar a ser o rei que aqui canta
A nossa casa ser o rock in rio e o nosso filho fundir a lâmpada

A fazer de técnico de luzes no interruptor da cozinha
E quando ela se desliga ver-te brilhar de forma continua
Sorrir de olhos fechados, com mais vontade ainda
De abri-los e ver a imagem que a minha mente imagina

Eu tou feliz, eu tou feliz... nem preciso de subir Eiffel para ver Paris
Irmão quando ela diz, tão feliz: "mostra-me só Eiffel de D.Luís"
Quando ela diz, tão feliz: "nem preciso de subir Eiffel para ver Paris"
Quando ela diz, tão feliz: "mostra-me só Eiffel de D.Luís"

Porque o rei do pichebeque só precisa, de uma... Rainha de Bugiganga
O rei do pichebeque só precisa, de uma... Rainha de Bugiganga

Eu sei que tu vês, mas tudo isto é efémero, diz-me só
Tu és, o oposto disto que é eterno

Eu sei que tu vês, mas tudo isto é efémero, diz-me só
Tu és, o oposto disto que é eterno

Diz-me só que isto é duradouro quando nascer o sol e brilhar no douro
Diz-me só que é duradouro quando nascer o sol e brilhar no douro

(Hoje eu vi, estrelas fazem figas para o céu não nascer
Amor, eu vi, os teus sinais a constelação para me perder)

 



publicado por olhar para o mundo às 14:13 | link do post | comentar

Segunda-feira, 09.02.15

 

 

letra

 

Nesta curva tão terna e lancinante
Que vai ser
Que já é, o teu desaparecimento
Digo-te adeus
E como um adolescente
Tropeço de ternura, por ti

Bezegol
Como gostaria de explicar agora o que na altura não sabia
Poder voltar atrás, mas manter a cabeça fria
Adormecer contigo minha maior alegria
Ai como eu te queria
Como seria não termos deixado ser levado pelo vento
Juntos enfrentarmos a erosão que trás o tempo
Juntos conduzirmos pra vida o nosso rebento, é o meu lamento

Deau
Escondeste o passado e o futuro fugiu com o que existe entre nós
Após, o muro quebrado quebraste o laço que existe no pós
(São) por nos que a vida afronta
(Eu) tenho de pagar a conta
Juro, amar na amargura quando a loucura encontra
Forma de marcar presença, com gente sem consciência
Consistência perdida, a boca dispensa, o coração não pensa
Sentença pesada, há quem o diga
Marca, navega na vaga da vida
Amor quando tiveres de partida
Diz-me só quem te guia

Bezegol
Como gostaria de explicar agora o que na altura não sabia
Poder voltar atrás, mas manter a cabeça fria
Adormecer contigo minha maior alegria
Ai como eu te queria
Como seria não termos deixado ser levado pelo vento
Juntos enfrentarmos a erosão que trás o tempo
Juntos conduzirmos pra vida o nosso rebento, é o meu lamento

Deau
Parece que ficas para saber a falta que tu me fazes
Troçar da forma como eu tentei decorar os espaços
Guardar o tempo dentro de uma caixa de sapatos
Com o intuito de voltar atrás sempre que os tiver calçados
Sabes, solas de nuvens não dão para escombros
Traz-me de volta os teus braços, arranhei os ombros
Faz-me sentir esse teu mais que tudo e todos
Com o rasto dos teus passos são quando me afasto dos sonhos

Bezegol
Como gostaria de explicar agora o que na altura não sabia
Poder voltar atrás, mas manter a cabeça fria
Adormecer contigo minha maior alegria
Ai como eu te queria
Como seria não termos deixado ser levado pelo vento
Juntos enfrentarmos a erosão que trás o tempo
Juntos conduzirmos pra vida o nosso rebento, é o meu lamento

Deau
Por vezes faço por esses lados
Onde mindinhos dados juramos ver-nos tornados velhinhos contra tornados
Remoinhos e tempestades, com filhos criados vida de baixos e altos
Saltando de palcos em palcos
Cruzar veredas com a verdade das varizes
Amar até tornar fútil kits de rímel e vernizes
Acredita, pensei mesmo que te iria ver
Onde a nossa varanda teria a vista mais bonita pro douro

Bezegol
Como gostaria de explicar agora o que na altura não sabia
Poder voltar atrás, mas manter a cabeça fria
Adormecer contigo minha maior alegria
Ai como eu te queria
Como seria não termos deixado ser levado pelo vento
Juntos enfrentarmos a erosão que trás o tempo
Juntos conduzirmos pra vida o nosso rebento, é o meu lamento


 



publicado por olhar para o mundo às 22:13 | link do post | comentar

Sábado, 20.12.14

 

Letra

 

Ouve
Hoje quero que te sintas ainda mais especial
Por seres a tal, a quem eu talvez comprometa a vida
Adoro-te por seres simples e honesta, frágil e modesta
Desde que me deste a mão que tenho a cabeça erguida
És bela de forma suspeita pequenas imperfeições fazem de ti perfeita
Consegues ser sensual com roupa de saldos e chegar onde outras não chegam sem usar saltos altos
Falamos sem abrir a boca vivemos sem tirar a roupa
Tinha de te ter acredita de uma forma ou de outra
Somos juntos como meninos na troca de mimos e genes
Tenho noção do tempo marcado por sinos
Fizemos
Algo genuíno de modo libertino
Prendemo-nos um ao outro com um rumo sem destino
Quando tou sozinho, destino que entre por um caminho que me leve a estar contigo
Não duvides quando te digo

Refrão (2X)
Faço tudo o que puder para tar ao pé de ti
Tu fazes tudo o que podes para tares ao pé de mim baby
Sabes o que eu sinto my lady
Aroma moribundo amor é leigo
Vagabundo tu sabes que no fundo
Eu faço tudo pra te ver sorrir (tudo pra te ver)
Tudo pra te ver sorrir

Chamo-lhe amor, amor nós temos outra
Palavra para definir a forma louca
De cruzar olhares com água na boca
Sem tirar nem por a voz rouca
Sentir na garganta o nosso só nosso
Não adianta, vai no ar aquele
Posso só posso por a suar
Yes yes e ao entrelaçar air force
Dizer-te ao ouvido que matas sem dar hipótese
Não há truques nem manhas
Eu sei que é sentido
Pela forma como tu arranhas todas as manhãs
Aprecio cada dia ao teu lado
Aprendi que por trás de nuvens cinzentas há sempre um sol que brilha
És simples de forma fantástica, não te ris sarcástica
Se te levar a um estabelecimento de comida plástica
Sabes que vales mais do que pedras preciosas
Não fazes como essas que só amam carros e rosas
Eu não quero saber se envelheces ou engordas
Se a vida nos trocar as voltas
Eu empurro-te numa cadeira de rodas
Tu acordas ao lado de quem vive morto para tar contigo
Abraça-me como se não houve-se amanhã quando eu te digo

Refrão (2X)
Faço tudo o que puder para tar ao pé de ti
Tu fazes tudo o que podes para tares ao pé de mim baby
Sabes o que eu sinto my lady
Aroma moribundo amor é leigo
Vagabundo tu sabes que no fundo
Eu faço tudo pra te ver sorrir (tudo pra te ver)
Tudo pra te ver sorrir

Não quero saber se não há
Maneira de estar ou não dá
Te para darmos-te já
Sabes, tou ao pé de ti
Não me sais da cabeça
Desde que acorde até que adormeça
Aconteça o que aconteça
Eu tou
Ao pé de ti
Aconteça o que aconteça
Eu tou
Ao pé de ti
Aconteça o que aconteça
Eu tou
Ao pé de ti

 



publicado por olhar para o mundo às 17:30 | link do post | comentar

 

Letra

 

Princesas existem muitas és única
Bailarina da minha caixa de música
Vi-te abrir os olhos dar os primeiros passos
Sinto o mundo aos pés cada vez que te tenho nos braços
Gostava de soprar ventos e tempestades
Preservar o teu olhar com o passar de idades
Fechar-te numa redoma com o céu cor-de-rosa
Fazer-te sonhar de olhos abertos e dormir de outra forma
Dar-te uma estrela para não teres medo do escuro
Um bom presente, assegurar te um bom futuro
Escuta amor aquilo que eu te digo hoje
Amanhã o mano pode ter ido para muito longe
Não estar para te abraçar embalar beijar
Proteger mimar atirar-te ao ar e agarrar
Dar-te o norte para que tu te possas guiar
Fazer de forte para não deixares de acreditar
Os pais não têm grandes quantias no depósito
E fizeram te a ti e a mim sem ser de propósito
A avó partiu muito cedo ainda eu pequeno era
A noite o astro mais brilhante no céu era Ela
Quando nasceste eu dei te o nome dela
Não tenho tudo mas tenho uma estrela na Terra
Não queria que crescesses queria que ficasses por aqui
Vivesses para sempre nesse teu mundo da Hello Kitty
Vais acabar por descobrir pequenos segredos
Porque e que o pai natal só te dá dois brinquedos
Desculpa se eles não são o que querias
E porque é que as sapatilhas dele são iguais as minhas
Não te queria fechar os olhos para Não veres
Mas há coisas que não quero que vejas quando cresceres
Nunca te menti não fiques com essa ideia
Quando comeres muito peixe e não te crescer a cauda de sereia
Sinto-te mais forte cada vez que cais
Sinto-te mais bela cada vez mais
Sinto-te mais escura cada vez que vais dando passos
Descobrindo novos paços e locais
Ganhando confiança fugindo dos meus braços
Atenta a partidas e fracassos
Sempre que estiveres confusa e perdida
Tenho-os abertos nunca te esqueças são tua guarida
És bela, linda, força, vida, calma, nada, alma, tu:
Brilha, inspira, expira, gira, acredita:Tu tens um Mundo
Há coisas que não percebes quando as vês
Porque é que os pais discutem mais a meio do mês
Como é que Deus vê tudo e tu nunca o vês
Dá tempo ao tempo, perceberás quando cresceres
Não há diferenças entre nós todos somos iguais
Uns têm menos daquilo que outros têm a mais
Sempre foste doce sem ser gulosa
Dizias notas azuis para os meninos
E para as meninas cor-de-rosa
Vives-te uma mão cheia de dedos
Com muitas verás que os meninos crescem e trocam de brinquedos
Passam a gostar de bonecas brincam a despi-las
Querem barbies e com nenucos tornam-se reguilas
Meninas passam a gostar dos carros dos meninos
Ganham airbag e quando viajam apertam os cintos
Nunca te esqueças é sempre uma mulher que manda
Muitos desses ursos não têm a graça de um panda
Quando algum deles não te tratar com modos
O mano trata disso Amor não te incomodes
Princesa quando as meninas disserem que não és linda
Porque não segues a moda és mais bela ainda
Quando por não teres marcas ninguém te convida
Preocupa-te em deixar outras marcas na vida
Mulheres a sério não sobem na vida deitadas
Deitam barreiras abaixo de cabeças levantadas
Cairás varias vezes como as folhas do Outono
Depois a Primavera traz-te um sorriso novo
Lembra-te o Mundo é belo nunca o ponhas em sarilhos
Este pequeno pedaço de terra emprestado pelos nossos filhos
Amigos quando são grandes já não te dão gomas e cromos
dão facadas por trás e às vezes um par de cornos
Colam-se por amor e fazem figuras de cromos
Acham-se superinteligentes e queimam os neurónios
Seja qual for o caminho que sigas
Eu faço figas para que não desistas e consigas chegar ao destino,
O mano já viu coisas feias mas ver-te crescer
Torna o bater do coração puro e genuíno
Nunca te esqueças mulher gigante de palmo e meio
A tua pequena pegada muda o meu Mundo inteiro
O teu ar inocente é sincero e verdadeiro
Que a sorte seja o vento que sopra o teu veleiro
A avó disse no parapeito de uma janela
Que se o peito parrasse ia bater sempre na braço dela
Quando o meu desenho animado chegar ao fim
Olha-me nos olhos, nunca te esqueças de mim.
És bela, linda, força, vida, calma, nada, alma, tu:
Brilha, inspira, expira, gira, acredita: Tu tens um Mundo
As cores do teu coração são unidas como Benetton
Beleza natural sem base sombra e batom
Fragilidade tenra,
Tudo para vir a ser a diva que derrete homens com corações de cera
Inocência pura com experiencias por acontecer
Tens a vida pela frente nunca deixes abater
A magia dos teus olhos, a ternura dos teus braços
A postura de princesa a fantasiados teus passos
Se um amigo não te disser aquilo que eu te digo
Numa altura em que a vida tenha sido dura contigo
Faz um sorriso olha te num espelho, escuta o teu irmão mais velho
E de seguida canta comigo:És bela, linda, força, vida, calma, nada, alma, tu:
Brilha, inspira, expira, gira, acredita: Tu tens um Mundo
És bela, linda, força, vida, calma, nada, alma, tu:
Brilha, inspira, expira, gira, acredita: Tu tens um Mundo

Acredita tens um Mundo
Acredita tu tens um Mundo
Acredita tens um Mundo
Acredita tens um Mundo
Acredita tens um Mundo
 

 



publicado por olhar para o mundo às 08:27 | link do post | comentar

Terça-feira, 16.12.14

 

Letra

 

[Verso 1 - DEAU]
Foi de modo inocente que nos conhecemos andorinha
Toda a gente falava-te e eu mal te conhecia
Nunca te procurei mas conseguiste dar comigo
Eu precisava de companhia,tu precisavas de abrigo
Mostraste-me a Primavera, há muito tempo que já não a via
Fizeste-me ver um lado que nem sequer sabia que eu tinha
Vivia a fase mais cinzenta quando nos cruzamos
A tua chegada anunciou o verde dos meus campos
Andorinha
Abre as asas e voa comigo,sabes...
Tenho impressão que há quem não goste de me ver contigo,fazes...
Ideia de como me sinto a voar nesta alturas?
Cada vez que caio parece que és só tu que me seguras
Eu sei,és frágil e voar assim é um grande risco
Mas cheira-me que se corre-lo,consigo viajar para outro sítio
Por isso não presto atenção ao que os outros me dizem
A nossa relação é incompreendida nem todos a atingem!
(Eles) Estranham a tua presença fora da época
Mas adoro a inconsciência de não sentir os pés na terra
Quem me ama desespera,quando saímos juntos
Mas está tudo sob controlo,preocupem-se com outros assuntos
Adoro que me percebas deixas-me usar-te quando queira
Ultimamente só não entendo porque é que sem querer te uso à mesma
Parece que se passa algo,não me dizes qual é o problema?
Desde que a nossa relação aqueceu tornaste-te ciumenta!

[Refrão 1 - Expeão]
Andorinha,porque é que viras ave de rapina?
Quando vês que a Primavera acaba
Começas a fazer a tua sisma...
Dei-te casa,dei-te abrigo
O que é que te falta andorinha?
Não percebo o porquê dessa ira
As vezes até penso que é mentira
Quando ameaças a tua partida
Andorinha...

[Verso 2 - DEAU]
Iniciei no Verão,mas este parece estar a dar as últimas
E a esta altura tu já devias estar nas alturas
O nosso amor está mais forte que nunca
Sempre que "transamos" parece a nossa noite de núpcias
Amas-me como eu te amo?
Nossa paixão é foda!
Não sei porquê,mas é só ciúme à nossa volta
O que eles dizem não importa
O Outono começou a bater à porta
E em minha casa já toda a gente nota que tu não foste embora
Obrigam-me a deixar-te partir mas isso é pedir muito
Detesto esta mania que eles têm de dramatizar tudo
Dizem que és demasiado selvagem para que eu te prenda
Aos poucos eu procuro gente que nos compreenda
Já sabia que não era o único a voar desta forma
Senão não tinha a percepção de quanta gente se transforma
No ir de uma andorinha libertina,dócil e traquina
Que vira ave de rapina quando o clima esfria

[Refrão 2 - Expeão]
Andorinha,quando viras ave de rapina
Há sombras de abutres na minha praça
Sinto que o Inverno se aproxima
Briol da Noite Fria
Quero voltar a minha casa
Mas a tua asa não me larga
Prende-me e não me deixa ir embora
Diz-me que a Primavera não tarda
A brilha cá fora
Andorinha
Tu diz-me, Tu diz-me
Que a Primavera não tarda a brilhar cá fora
Andorinha
Tu diz-me, Tu diz-me
Que a Primavera não tarda a brilhar cá fora
Andorinha
Tu diz-me, Tu diz-me
Que a Primavera não tarda a brilhar cá fora

[Verso 3 - DEAU]
Tinhas razão andorinha
Mais frio é o Inverno mas a Primavera é linda
A luz é tão forte, dilata a íris contrai-se a pupila
Nosso amor é cego,eu fecho os olhos só para ver a vida
Ouço-te cantar, o líquido do meu tímpano
Parece um diluvio
Perco o equilíbrio no meio disto tudo
Deixo-me cair atraído pelas cores desse buraco negro
Onde nos perdemos de amores indo os dois atrás do mesmo
Consumimos-nos um ao outro, pelo máximo tempo
A eternidade da Primavera dura cada vez menos
Explica-me andorinha,o porquê desta sensação
O frio mais frio de Inverno,o calor mais quente de Verão
Tudo na mesma estação,tudo ao mesmo tempo
Sinto que não é amor o nosso sentimento
É hábito,é vício,doença,prisão
Mais trágico foi nunca ter prestado atenção

[Refrão 3 - Expeão]
Andorinha,afinal és ave de rapina
E eu sou a presa da tua garra
Abutres rodeiam a minha carcaça
Andorinha
Assassina,o teu ar de graça é uma desgraça
Deixa-me ficar aqui na praça
A ser exemplo da tua chacina
Andorinha...

 



publicado por olhar para o mundo às 23:19 | link do post | comentar


Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email
mais sobre mim
posts recentes

BEZEGOL feat. DEAU - POR ...

Mundo Segundo feat. Deau ...

Deau - Rainha de Bugigang...

Deau - Diz-me Só (c/ Beze...

DEAU - Ao pé de ti

Deau - Teresinha

Deau - Andorinha (c/ Expe...

arquivos

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

tags

todas as tags

links
comentários recentes
Pena estes rapazes não terem mais popularidade. A ...
Nome do autor da letra?Não se escreve?Falta de res...
A LETRA É ASSIM!!!E NÃO ASSADO!!!!MaMãe, tu estás ...
As partes que não consegui perceber estão com reti...
https://www.google.pt/amp/s/www.musixmatch.com/pt/...
Vou adicionar nos meus favoritos, sou brasileira, ...
" Para que o tremoço o almoço e o alvoroço demorem...
Letra e música do SiulProdução do Siul Sotnas e Mi...
que puta de letra fdx
Epá, o que é isto?Borrei-me todo com este "Mal des...
blogs SAPO
subscrever feeds