Quarta-feira, 25.10.17

 

Letra

 

De queixo aberto eu vi tudo
Vi toda a virtude
Entre o passado e o presente

A viver isolado
Eu era só um eco do meu ego
Se eu não sou
Então quem é?
E tudo em mim era sonho
E as palavras poemas
Desculpas de sonso
E apanhado em esquemas
Nunca se sabe bem de onde é que veio
Vou contar-te um segredo
Se não contares a ninguém
Eu não sei se faço
Não sei se posso
Sempre fui bicho raro
Que só faz se pode
Só queria atenção
E mostrar uns dotes
Vivi tudo sozinho
A precisar de todos
O que lá vai lá vai
E eu caí em mim
Como é que lá vai
Se ainda está aqui?
Eu não mudei
Só não quis ser mais assim

O que lá vai lá vai
O que lá vai lá vai
E se só vai e não volta mais
Diz-me o que é que tem
O que lá vai lá vai
O que lá vai lá vai
E se só vai e não volta mais
Diz-me o que é que tem
Diz-me o que é que tem
Ohhh
Diz-me o que é que tem
O que lá vai lá vai

Olha para ti Mike
E vê como cresceste
Tá tudo tão diferente
E tudo parece o mesmo só
Ver-te de uma nova forma
É conhecer-te outra vez
Ver-te de uma nova forma
Tocar-te pela primeira vez
Vais sair de casa
Vai na calma tem juízo
Vai ligando à tua Mãe
E brigas afasta-te disso Mike
Outros desatinos Mike
Outros desafios Mike
Dá sinais de ti
Não te esqueças nunca de onde vens
Eu não te vejo tanto mas eu nunca te vi tanto
Sei que às vezes tenho um muro
Em que me escondo de vez em quando
Pequenas teimosias
Agradar em demasia
E não sabia que já tinha tudo aqui
Só que não via
Yey
Olha para ti tão crescida
Os olhos tão iguais
Para mim és sempre a mesma
Cames e peixinho, escondidas, pé-coxinho
Solta a vela está de sul
Olha o Miguelinho

O que lá vai lá vai
O que lá vai lá vai
E se só vai e não volta mais
Diz-me o que é que tem
O que lá vai lá vai
O que lá vai lá vai
E se só vai e não volta mais
Diz-me o que é que tem
O que lá vai lá vai
O que lá vai lá vai
E se só vai e não volta mais
Diz-me o que é que tem
Diz-me o que é que tem
Ohhh
O que lá vai lá vai
O que lá vai lá vai
E se só vai e não volta mais
Diz-me o que é que tem

 

Não encontrei os créditos desta música

 



publicado por olhar para o mundo às 11:13 | link do post | comentar

Sexta-feira, 26.05.17

 

Letra

Não me das descanso, não
E se eu avanço, tu vais-te perder
Mas hoje apetece tanto
E eu não sei se estás a entender
Que eu, não
Sou tao mau como tu dizes
Sou tao mau como tu dizes
Deixa lá
Diz que é indiferente
Sou eu que estou diferente
Escuta e pede um tempo
Mas só por um momento
Sei o que ela sente
Só não sei se sinto o mesmo
Então baby
Não comeces
Não comeces
Não comeces, não
Então baby
Não comeces
Não comeces
Não comeces, não
Então baby
Não comeces
Não comeces
Não comeces, não
Então baby
Não comeces
Não comeces
Não comeces, não

Posso levar-te a um sítio nosso
Eu levo-te logo á noite
Só os dois, é só hoje
Não tens saudades do meu toque?
Que eu te agarre, que eu te olhe
Como quem sem querer te escolhe
Eu n ao preciso de mapa
Para percorrer o teu corpo
Se estou eu e tu na cama a Lua não está longe
As minhas costas arranhadas
Os teus suspiros
Achas que não temos nada
Mas eu duvido
Mas eu duvido

Diz que é indiferente
Sou eu que estou diferente
Escuta e pede um tempo
Mas só por um momento
Sei o que ela sente
Só não sei se sinto o mesmo
Então baby
Não comeces
Não comeces
Não comeces, não
Então baby
Não comeces
Não comeces
Não comeces, não
Então baby
Não comeces
Não comeces
Não comeces, não
Então baby
Não comeces
Não comeces
Não comeces, não

Queria passar o dia inteiro contigo
A fazer asneiras, por o mundo inteiro
E tua a rires das nossas brincadeiras
E vê-las consumir
Cantar no banho bem juntos
Para toda a gente ouvir
E fico dias para que isto passe
Vamos á Lua
Estou na tua, não é preciso nave
Vamos a qualquer lado
Começamos a viagem
Só paramos em Marte
Chegar ao teu corpo
Como se chegasse a casa
Deitar-te no meu colo
E ser a tua almofada
Aprender novas palavras
E usa-las só contigo
E se for para perder tempo
Só se for por ti

Diz que é indiferente
Sou eu que estou diferente
Escuta e pede um tempo
Mas só por um momento
Sei o que ela sente
Só não sei se sinto o mesmo
Então baby
Não comeces
Não comeces
Não comeces, não
Então baby
Não comeces
Não comeces
Não comeces, não
Então baby
Não comeces
Não comeces
Não comeces, não
Então baby
Não comeces
Não comeces
Não comeces, não

 

 



publicado por olhar para o mundo às 17:13 | link do post | comentar

Quarta-feira, 24.05.17

 

Letra

 

Ai se ela soubesse
Na verdade o que eu quero dela
Não é amor daquele de novela
É dos que aquece e não arrefece (bis)

Ela pensa que eu não penso nela
Traz-me vento diz que vou de vela
Ela tá dentro mas eu tou naquela
De só a querer quando estou com ela
E ela diz que quer mais
Diz que quero também
"kasha tens que assentar, encontrar alguém"
Ela não faz ideia
Ela não faz ideia

Dizes que me tens mas sabes que é mentira
Pensas que és tu que me tens na tua mira
Olha para mim diz-me que não vale a pena
Como é que não vês que assim não tem problema
Não, não

Agora pensa bem
Se não te faço falta
Agora pensa bem
Se não te faço falta
(bis)

Ela diz que eu não sou manso e eu gosto disso
Porque assim eu avanço e ela dá por isso
Alimentar mil outras formas de formar a crise
E pensar em mil maneiras de perder juízo
Pensa bem, pensa babe
Se não me cansas não te deixo
Pedes que te minta eu só peço que me aceites
Se sim tasse bem se não tasse bem também
Jogo direto mas não jogo sujo
Quero-te perto mas não do teu mundo
Ela não faz ideia

Dizes que me tens mas sabes que é mentira
Pensas que és tu que me tens na tua mira
Olha para mim diz-me que não vale a pena
Como é que não vês que assim não tem problema
Não, não

Agora pensa bem
Se não te faço falta
Agora pensa bem
Se não te faço falta
(bis)

Se o prof tá na boda bota fogo
A dama pronta aponta pa onde eu tou
Dá-me a ponta e conta com o meu coro
Ela quer que o meu lábio mude a cor
Junta-se e aperta-me agora
Julga-se esperta mas cora
Eu vou-te contar uma história
Mais logo que eu tou ca turma toda
Hoje vai chover e eu não vejo uma nuvem
Venha o que vier dá-me o num e o mano vem
Conhecer de perto o teu ser
Na base do afeto deu sempre
É que eu nunca me apresso com o tempo
Por isso te peço, tu pensa bem
E antes de eu ir
Quero que saibas que eu não sou de ferro
Nem fico irritado se o mambo não der
Mas digo-te na cara pensa no que queres
Não dá pa evitar então tu

Pensa bem
Se não te faco falta
Agora pensa bem
Se não te faco falta

 

 



publicado por olhar para o mundo às 11:13 | link do post | comentar

Sexta-feira, 23.12.16

 

Letra

 

O que eu quero no Natal,
Não é fora do normal
Não quero cuecas nem peúgas
Dá-me um cheque e eu vou às compras
E a fruta cristalizada
Que ninguém come nem por nada
E os beijinhos da Tia
Que há mais de um ano que eu não via
Diz que eu cresci imenso
"Tia há 12 anos que meço o mesmo"
Mas não podes faltar tu....

Quero o meu Natal com PERUUUUU....

(bis)

Flauta: Kasha
Trécula: Cristovinho
Pauzinhos: Coimbra
Ovinhos: Gui
Colheres de pau: Johny
Gaita: Meoli
Mini: Castro

D.A.M.A

 



publicado por olhar para o mundo às 08:13 | link do post | comentar

Quarta-feira, 21.09.16

 

Letra

 

A veces no sé lo que quieres
Y digo ok
A veces no sé lo que hago
Y tú, pues bien
A veces lo haces a propósito
Lo sé
Una vez
¿Qué más da?
No se lo digo a nadie

A veces no sé lo que quieres
Y digo ok
A veces no sé lo que hago
Y tú, pues bien
A veces lo haces a propósito
Lo sé
Una vez
¿Qué más da?
No se lo digo a nadie

Sé que a veces yo no estoy de tu lado
No te hago caso, estoy muy ocupado
Tú no mereces que te deje en ese estado
Lamento no ser ese príncipe encantado

Cuando no contesto sé que eso te molesta
Sabes que soy tuyo, pero quieres un romance a probar
A veces
Sufres un poco y solo me dejas loco y dices
No hay razón no te sientas engañada

Sé que me cuentas cosas que no sabe nadie
Preguntamos al tiempo cuánto tiempo el tiempo tiene
Pasan horas, días, lloras
Está todo mal
Y dices
No te vayas quédate un poco más

Siempre estoy cerca, por más vueltas que des
Tú sabes
Yo no me apego
Y vienes con porqués
Te imaginas historias de érase una vez
Cariño soy la hoja en blanco de los libros que lees

A veces no sé lo que quieres
Y digo ok
A veces no sé lo que hago
Y tú, pues bien
A veces lo haces a propósito
Lo sé
Una vez
¿Qué más da?
No se lo digo a nadie

A veces no sé lo que quieres
Y digo ok
A veces no sé lo que hago
Y tú, pues bien
A veces lo haces a propósito
Lo sé
Una vez
¿Qué más da?
No se lo digo a nadie

No se lo digo a nadie
Que me quieres
Me prefieres
A los otros que tienes
Yo sé
Que es difícil cuando el clima
Es propicio a controlar
Ese vicio que tienes desde el inicio ok

Yo quiero y me empeño
Y quieres un compromiso
Yo soy más espontáneo
Y tú quieres quedar bien
Te vuelves loca conmigo
Y sientes el peligro
Yo no sé si consigo darte todo de mi

Sabes que te quiero, aunque solo sea a veces
Intento ser sincero, pero tú no me entiendes
No tengo la culpa
Yo no siento lo que sientes
Hoy quédate en mi casa y no preguntes por qué

A veces no sé lo que quieres
Y digo ok
A veces no sé lo que hago
Y tú, pues bien
A veces lo haces a propósito
Lo sé
Una vez
¿Qué más da?
No se lo digo a nadie

A veces no sé lo que quieres
Y digo ok
A veces no sé lo que hago
Y tú, pues bien
A veces lo haces a propósito
Lo sé
Una vez
¿Qué más da?
No se lo digo a nadie

¡Ohh!, no se lo digo a nadie
Yo sé

Sube
No se lo digo a nadie
Habla
No se lo digo a nadie
Vamos
No se lo digo a nadie
Puedes hacerme lo que quieres y yo no digo a nadie

A veces no sé lo que quieres
Y digo ok
A veces no sé lo que hago
Y tú, pues bien
A veces lo haces a propósito
Lo sé
Una vez
¿Qué más da?
No se lo digo a nadie

A veces no sé lo que quieres
Y digo ok (A veces)
A veces no sé lo que hago
Y tú, pues bien (A veces)
A veces lo haces a propósito
Lo sé
Una vez
¿Qué más da?
No se lo digo a nadie

 



publicado por olhar para o mundo às 22:13 | link do post | comentar

Terça-feira, 20.09.16

 

Letra

 

É difícil eu sei largar alguém que nos fez tão bem
Olhar para trás e pensar mas não convém
Porque a saudade aperta e eu fico sem saber
Como é que tudo mudou tanto
Sei que nao sou nenhum santo
Não quero que respondas com respostas tontas
Nem que digas que acabou

Quando tu dizias que a luz dos teus olhos era eu
Hoje sorrimos e perguntas porque que não deu
Estou cansado de viver num mundo só teu
Dá-me um segundo ainda não te disse adeus

Eu não te disse adeus, não sei se um dia vou dizer
Quando só basta um clique para acontecer
Mas a verdade é esta e custa a crer
Nós não nos soubemos ter
Hoje é diferente eu ja nao penso mais
Se ainda somos o que fomos deixa lá
Agora olhamos um para o outro
Sabendo que foi por pouco
Mas são memórias e nada mais

Como é que tudo mudou tanto
E passa tudo num instante
Não quero que te escondas
E no final de contas digas que tudo acabou

Quando tu dizias que a luz dos teus olhos era eu
Hoje sorrimos e perguntas porque que não deu
Estou cansado de viver num mundo só teu
Dá-me um segundo ainda não te disse adeus

Quando tu dizias que a luz dos teus olhos era eu
Hoje sorrimos e perguntas porque que não deu
Estou cansado de viver num mundo só teu
Dá-me um segundo ainda não te disse adeus

Diz me o que sentes quando estamos frente a frente se
Passou o tempo, estás diferente e já não sentes que
Foram ao monte os tombos que hoje só nos fazem rir
Sinceramente eu não me entendo mas percebo-te

Sei os teus medos e segredos eu conheço-te
Fomos felizes um com o outro um dia lembras-te?
Deitado no teu mundo enquanto tocava para ti
Ainda estão os nossos nomes no banco do jardim

Se te vir eu vou sorrir sem saber porque que não deu
E nas covinhas vais sentir o que já foi teu
Os anos passam mas deixamos pedras no caminho
Das rugas aos cabelos brancos até sermos velhinhos

Quando tu dizias que a luz dos teus olhos era eu
Hoje sorrimos e perguntas porque que não deu
Estou cansado de viver num mundo só teu
Dá-me um segundo ainda não te disse adeus

 

Não  encontrei informação sobre os autores da letar e da música

 



publicado por olhar para o mundo às 23:15 | link do post | comentar

Quarta-feira, 13.07.16

 

Letra

 

Ela chega sem eu estar à espera
E eu não espero mais ninguém
Nós os dois a noite inteira o que é que tem?
Eu já te conheço bem
E lá, vou eu
E lá, vou eu
Como é que consegues?
Mesmo que me negues
Tens me quando queres
E lá, vou eu
E lá, vou eu
Só eu

Tu chegaste pára tudo
Vamos pôr-nos no mood
Não há contraste que afaste
Esse teu jogo sujo baby
Eu não resisto e tu sabes que não
E como por magia, as nossas roupas estão no chão
É a química, virou física
Eu e tu pegamos fogo à Antártida
Não é novidade, temos prática
E a matemática, ah, é simples
Sou eu mais tu a dividir por um quarto
Subtrai a lingerie x3 x4
E eu já perdi a conta, faz de conta que não
E acrescentamos um x à esta nova equação
Por isso vem vem, tu queres o mesmo que eu
E o que tu tens tens, eu só quero que seja meu
Sabes que eu não te nego e eu só quero mais
O meu amor por ti é cego só que eu leio-te em braille ah

Ela chega sem eu estar à espera
E eu não espero mais ninguém
Nós os dois a noite inteira o que é que tem?
Eu já te conheço bem
E lá, vou eu
E lá, vou eu
Como é que consegues?
Mesmo que me negues
Tens me quando queres
E lá, vou eu
E lá, vou eu
Só eu

Digo o que penso e normalmente fica bem
Se nós nos vemos não dá pra ficar sem
Um sorriso de lado, olho brilhante
Confesso fico atrapalhado como o teu encanto
Se fica sério fica médio e faz confusão
E se duvidas que é a sério tens toda razão
Sei que estás à vontade eu estou com vontade
Nós os dois a noite inteira a fazermos maldades
É muito mais que amizade o que nós temos então
Podes ter-me se quiseres mas eu não estou na tua mão
Estou-te a dizer a verdade que até bate a saudade
Se vamos ficar os dois quem sabe?
Dizes, não é amor, é só calor do momento
Mas confessas que comigo fica sempre diferente
E ninguém nos faz frente eu sei
Voltamos costas ao mundo
Deixa-te ir que eu também

Ela chega sem eu estar à espera
E eu não espero mais ninguém
Nós os dois a noite inteira o que é que tem?
Eu já te conheço bem
E lá, vou eu
E lá, vou eu
Como é que consegues?
Mesmo que me negues
Tens me quando queres
E lá, vou eu
E lá, vou eu
Só eu

Ela chega sem eu estar à espera
E eu não espero mais ninguém
Nós os dois a noite inteira o que é que tem?
Eu já te conheço bem
E lá, vou eu
E lá, vou eu
Como é que consegues?
Mesmo que me negues
Tens me quando queres
E lá, vou eu
E lá, vou eu
Só eu

E lá vou eu

 



publicado por olhar para o mundo às 17:13 | link do post | comentar

 

Letra

 

A vida é p'ra sentir)

A vida é p'ra sentir e tudo o que ela te dá
E eu sinto mas não minto não te sinto cá
Vou-te encontrar nesse teu mundo onde tu estás
(Eu não te sinto cá)

Já não interessa o que nós achamos
Se é tão fácil falar como é que não falamos?
Como é que me deixas de rastos? Já passaram tantos anos
Perguntam como estás, eu digo já não estamos
Só damos voltas e voltas mas nunca voltamos
E se tu voltas não apostas, em que é que ficamos?
Há pontas e tu gostas mas não como d'antes
Já não nos vemos nem nos temos só nos criticamos
Vens com, dicas a mais, baby não comeces
Na caixinha das memórias estou lá eu, não negues
Não sei se sentes o mesmo, sei que não me mereces
Se preferes ficar sem, meu bem, tu é que perdes

Refrão
Eu sinto, sinto, mas não minto, não te sinto cá
Dá-me um sinal ou dá-me lume para que eu vá
Encontrar-te nesse mundo onde tu estás
Mas sabes que não
Não é fácil assim, então?
Porque há menos sims e mais senãos
Eu não te quero sentir longe, não

(A vida é p'ra sentir)

Longe é perto
Perto é longe quando não se quer
Eu sinto muito, sinto tudo só não te consigo ler
O que se esconde por trás daquele sorriso que dás
Capaz, capaz de me fazer perder
Sei que não vens, tu lá sabes
Ainda te vejo baby mas de olhos fechados
Estou de mãos e pés atados à espera de um sinal
Que digas que tens saudades
Que sintas que eu sou o tal
Ainda sou o mesmo que te quer fazer rir
Aquele que não esqueceste, já senti
Volta ou vou p'ra longe contigo

Refrão (2x)
Eu sinto, sinto, mas não minto, não te sinto cá
Dá-me um sinal ou dá-me lume para que eu vá
Encontrar-te nesse mundo onde tu estás
Mas sabes que não
Não é fácil assim, então?
Porque há menos sims e mais senãos
Eu não te quero sentir longe, não

 



publicado por olhar para o mundo às 08:13 | link do post | comentar

Domingo, 22.05.16

 

Letra

 

Não fui capaz mas tentei
Não fiz, mas pensei
Que é que adiantou pensar? Cha la la la
Quis ser audaz e falhei, agora já sei
Pra voltar a tentar, cha la la la la

Vai ali doz assim faz assim
Mas e se ela não gosta de mim?
E assim com vocês a empurrarem, muita pressão para mim
Lá comeceu a falar, todo a gaguejar
Sem dizer nada com nada e ela parada a olhar

Cada vez que eu me lembro disso
Do quanto eu já treinei em frente ao espelho
E como é que eu deixei escapar aquele beijo?

O que é que sentes quando passas por mim?
É que eu disfarço bem mas ainda penso em ti
Quem me dera que sentisses um fraquinho por mim
É que eu disfarço bem mas ainda penso em ti
Eu sei que fou ar que não tou nem aí
É que eu disfarço bem mais ainda penso em ti
Ainda, ainda coro quando tu passas por mim
Cha la la, cha la la la la,
Cha la la, cha la la la la

Não vejo a hora
De me ir embora
Ela mexe comigo por dentro e por fora
Quando é tempo de falar fico mudo
É desta, vou direito ao assunto
Tem calma, boy, é só um minuto
Eu estou em curto circuito
Go, just watch me
The champion vai entrar em action
É só vê-la chegar que isto vai virar logo fashion

Cada vez que eu me lembro disso
Do quanto eu já treinei em frente ao espelho
E como é que eu deixei escapar aquele beijo?

O que é que sentes quando passas por mim?
É que eu disfarço bem mas ainda penso em ti
Quem me dera que sentisses um fraquinho por mim
É que eu disfarço bem mas ainda penso em ti
Eu sei que fou ar que não tou nem aí
É que eu disfarço bem mais ainda penso em ti
Ainda, ainda coro quando tu passas por mim
Cha la la, cha la la la la,
Cha la la, cha la la la la

É meio esquisito porque é que eu complico
P que devo dier, o que devia ter fito
Sem nada saber, eu perco o sentido
Ela tem qualquer coisa que mexe comigo
Não sei o que faça, é só tremeliques
E se ela repara em todos os tiques?
Vá relaxa, não te compliques
Ela quer o mesmo por isso não evites

Cada vez que eu penso nela
O quanto  eu já tentei sem dizer nada
Porque paraliso quando ela passa

O que é que sentes quando passas por mim?
É que eu disfarço bem mas ainda penso em ti
Quem me dera que sentisses um fraquinho por mim
É que eu disfarço bem mas ainda penso em ti
Eu sei que fou ar que não tou nem aí
É que eu disfarço bem mais ainda penso em ti
Ainda, ainda coro quando tu passas por mim
Cha la la, cha la la la la,
Cha la la, cha la la la la

 



publicado por olhar para o mundo às 17:13 | link do post | comentar

Terça-feira, 26.04.16

 

 

Letra

 

Os teus olhos
E os teus olhares
Milhares de tentações
Miúdas são tão mulheres
Seus truques e confusões

E agarram pelos pelos
Boca e cabelo
peitos e poses
E agarra pelas pernas
Certas mulheres
Que como tu levam-me sempre onde querem

Miúdos não resistem aos teus mistérios
Miúdos nunca dizem não
Miúdos como eu sempre tão espertos
Perto de uma mulher, são só miúdos

Pois é
Queriamos ser dois miúdos para sempre
Mas cada dia tenho um aspecto diferente
É não saber ficar triste e contente
Não aprender a sentir frio e o quente ao mesmo tempo
Esforço um sorriso para pegar na tua mão
No paraíso a passear de balão
Deixas-me sem juízo a dedicar-te a canção
Somos nós os dois a flutuar numa bola de sabão
Não sei se muito como começou tudo
Fazes me sentir tão adulto, e acima de tudo
Mas não discuto, deixas-me sem assunto
saber que sou um miúdo faz-me sentir ainda mais puro
querer-te ter sem saber cuidar é
Querer-te ver sem saber olhar
é como um miúdo não te poder jogar
entrar dentro dos teus jogos e deixar-te ganhar

Miúdos não resistem aos teus mistérios
Miúdos nunca dizem não
Miúdos como eu sempre tão espertos
Perto de uma mulher, são só miúdos

Eu quero tanto mas não sei como
Portanto sei mas não quero que ela me tome
Como um miúdo só com esquemas
para ter tempo de antema, invente temas,
faça lemas passa tempo e depois some
O que ela tem eu já sei bem
Eu sou miúdo mas sem recreio
Mas com o receio de como no primeiro beijo
que ela não sente o lampejo que a nossa chama
e se queixe e eu nunca mais a veja

Porque eu sei que ela tá no controlo
E sei o que me deixa louco
Sei qualquer abertura
Será que isto dura será que ela me quer
Ou quer aventura, eu não percebo esta mulher
Ela percebe tudo,
e apesar da mesma idade eu sou só um miúdo

Miúdos não resistem aos teus mistérios
Miúdos nunca dizem não
Miúdos como eu sempre tão espertos
Perto de uma mulher, são só miúdos

 

 



publicado por olhar para o mundo às 11:13 | link do post | comentar

Quinta-feira, 14.04.16

 

Letra

 

Chega Agosto e o Joni só pensa em vir para Portugal
Deixa o creme em casa, porque o sol de lá não faz mal
Quer ser latino, como o Banderas
Um macho felino, nas suas férias

Não pôs o creminho, está todo escaldado
Passou a bife mal passado

Joni, Joni
Can you put some cream on me
Joni, Joni
Vais parecer um lagostim

Joni, Joni
Numa praia ao pé de si
Joni, Joni
Não queiras ser assim

Ao pico do sol, joga raquetes, faz croquetes
O Joni está de férias, só faz o que lhe apetece

Parece uma lagosta à beirinha do mar
Encolhe a barriga ao ver as gatas passar

Tira a selfie da inveja
Pros colegas do trabalho
Ele exibe a sua pele
Tem orgulho em estar escaldado

Não precisa de creme
Só de sunga leopardo
E se o sol não faz mal
Vai torrar mais um bocado

É sol do meio dia
Um escaldão todos os dias
Uma pele envelhecida
Na praia ou na piscina
Eu sei que és branquela

E que queres o teu bronzinho
Joni pára com as balelas

Bota mas é o creminho

Joni, Joni
Can you put some cream on me
Joni, Joni
Vais parecer um lagostim

Joni, Joni
Numa praia ao pé de si
Joni, Joni
Não queiras ser assim

 



publicado por olhar para o mundo às 11:13 | link do post | comentar

Sexta-feira, 01.04.16

 

Letra

 

Pediste um tempo pra' que?
Se o tempo passa e eu percebo que não quero estar sem ti
Pediste um tempo pra' que?
Agora jura que me mentes no momento em que disseres que estas melhor assim
que estas melhor assim
Assim longe de mim
Que estas melhor assim

Terte aqui comigo
eu ja te disse vamos dar volta
sei que eu já fui o teu vicio
vem vem
Não é preciso sensatez
Entao vive agora como se fosse a primeira vez
não
Quando pensas te que te tinha falhado
não deu
tu criticas te por não estar ao teu lado
mas eu
sei que não é a coisa certa
confessa
sei que com o tempo vais fazer a escolha certa

Só penso em cada toque
cada abraço não me esqueço
teres partido e virado o meu mundo do avesso
sim eu sei tu não fizeste por mal
havia uma folha em branco sem um ponto final
Mas arriscaste e riscaste tudo aquilo que temos
sem negares que sou eu que sabe os teus segredos
Sem olhares nos meus olhos pra' não te perderes
e se estas melhor assim nao ligues tantas vezes

Pediste tempo pra' que?
Se o tempo passa e eu percebo que quero estar sem ti
Pediste um tempo pra' que?
Agora jura que me mentes
no momento em que disseres
que estas melhor assim
que estas melhor assim
assim longe de mim
que estas melhor assim

Se eu te disse se tudo aquilo que eu sinto
tudo aquilo que eu finjo
tudo aquilo que eu tento

Mas queres espaço
não precisas de mim
só precisas de ti
só precisas de tempo

Tu és o meu ponto forte
eu sou o teu ponto fraco
Eu pus os pontos nos i's
puseste os pontos de parte

Não te estou a pressionar
sei que nada é para sempre
mas desculpa ter pensado que contigo era diferente

Agora fica a indiferença e fica só na consciência que foi nas linhas do teu corpo que eu escrevi a minha essência
Vais me procurar nos outros
sei que tens essa tendência
e tu insiste neste tempo e pra' eu ter paciência

e eu espero e desespero sem que nada aconteça
a escrever e a apagar poemas sem que mereças
e lá estas tu
as voltas na minha cabeça porque a algo em mim que diz que não queres que eu te esqueça

Pediste um tempo pra' que?
Se o tempo passa e eu percebo que não quero estar sem ti
Pediste um tempo pra' que?
Agora jura que mentes no momento em que disseres
que estas melhor assim
que estas melhor assim
assim longe de mim
que estas melhor assim

Criei musica ao teu ouvido
sou o homem por traz da pauta
sussurando assim baixinho a melodia que faz a falta
Parece um frio num corpo quente
Ela já não faz falta
Levei te a lua porque pensei que nada bate astronauta

Pediste espaço e tempo
eu dei te tempo e espaço
em vez de espaço no tempo
perdeste tempo no espaço
Não prometes que te comprometes
o clima arrefece aqui dentro
e mesmo quando o sol brilha
os dias premanecen cinzentos
nunca pensei que tu me amares era uma misão impossivel
Não me peças desculpas por tu seres tão previsivel

Se mentir e feio então
querida tu tas horrível
essas lágrimas que escorrem
sao negras da cor do rimel
eu ja nem te sinto ao longe fico sempre sem medos
não quero saber a verdade
toda a gente tem segredos
eu sinto os teus cinco dedos em tudo que abala em mim
todas as musicas que oiço parece que falam de ti
umas dizem para agir outras dizem par' deixar
umas dizem pra' sorrir outras dizem pra' chorar
mas é facil de me iludir por isso deixam me a pensar que é mais facil fazer te ir do que fazer te voltar

Pediste tempro pra' que?
Se o tempo passa e eu percebo que quero estar sem ti
Pediste um tempo pra' que?
Agora jura que me mentes no momento em que disseseres
que estas melhor assim
que estas melhor assim
assim longe de mim
que estas melhor assim

 



publicado por olhar para o mundo às 17:13 | link do post | comentar

Terça-feira, 01.03.16

 

Letra

 

Já não me dizes nada
Nem uma mensagem, uma chamada
A pedir para ser verdadeiro como nunca fui
E agora sei tudo aquilo que queria ter dado e não dei
Eu sei, pões a culpa em mim
Fui procurar noutro lado aquilo que não vi em ti
Mas não encontrei e já percebi
Como tu não há ninguém, eu sei

Que agora é tarde pra dizer que já tenho saudades
Pedir desculpa por não ter tentado que tu
Tu fosses pra mim, aquilo que eu não fui pra ti

Mas agora é tarde pra dizer que já tenho saudades
Pedir desculpa por não ter tentado que tu
Tu fosses pra mim aquilo que eu não fui pra ti

Será que é tarde pra pedir desculpa?
Não estive lá quando perdias, admito a culpa
Porque é que tudo o que eu digo já não tem valor?
Não me largues, não me deixes, não me esqueças, por favor

Não é nenhum favor e eu estou farto disto
Será que te sou indiferente ou ainda pensas nisto?
Todas as coisas que gostavas que eu tivesse dito
Mas tu sabes que eu não tenho jeito pra isto

Então fico louco por ti, sempre fui mas não via
Mas agora é diferente, confia
Que mudei como a noite pro dia
Foi por ti, foi por nós, acredita

É que não respondes, já não cedes
Dizes que não queres saber
Eu tento tudo por tudo, tu tentas não me ver
Não sentes nada e eu achava que ias perceber
Atrasa o relógio só não digas

Que agora é tarde pra dizer que já tenho saudades
Pedir desculpa por não ter tentado que tu
Tu fosses pra mim, aquilo que eu não fui pra ti

Mas agora é tarde pra dizer que já tenho saudades
Pedir desculpa por não ter tentado que tu
Tu fosses pra mim aquilo que eu não fui pra ti

Tenho saudades tuas e eu não durmo
Eu não penso e penso em ti miúda
Como é que eu fui capaz
De não ir atrás e lutar pelo que é nosso

Já nem dá para um café ou pra falar mais
Chego sempre na hora em que tu sais, sais
Se quiseres eu sou mais querido, sou capaz, az
Mas já não queres mais conversas tanto faz, faz

E eu não sei se eu posso mas quero
Se deixares eu sou outro, prometo
Se for tarde então desespero

Então não digas que agora é tarde porque ainda é cedo
E há sentimentos que eu guardei a medo
Eu estava cego, este é o momento
Em que digo que te adoro, é verdade

Mas agora é tarde pra dizer que já tenho saudades
Pedir desculpa por não ter tentado que tu
Tu fosses pra mim, aquilo que eu não fui pra ti

Mas agora é tarde pra dizer que já tenho saudades
Pedir desculpa por não ter tentado que tu
Tu fosses pra mim aquilo que eu não fui pra ti

Mas agora é tarde pra dizer que já tenho saudades
Pedir desculpa por não ter tentado que tu
Tu fosses pra mim, aquilo que eu não fui pra ti

 



publicado por olhar para o mundo às 11:13 | link do post | comentar

Terça-feira, 22.09.15

 

Letra

 

Gabriel, o Pensador e Miguel Cristovinho

Refrão
Esquece tudo
Vem na vibe
E liberta a tensão
Abre o sorriso
Me abraça
Me dá tua mão
Só vivemos uma vez
Não vivas em vão
O tempo voa do berço até ao caixão
Essas rotinas fazem confusão
Abre a tua mente
Segue o teu coração
Se o que importa é o dinheiro e não a profissão
Diz aí meu irmão

Eu não faço questão
Não, Não, Não. Não

Gabriel, o Pensador

Faço questão de viver
Como a minha alme me pede
Minhas medidas na vida
Não é o mundo que mede
Já fui ao fundo do poço
Para ver que o poço tem fim
Tirei a corda do pescoço e fiz um laço pra mim
Com esse laço lancei uma paixão que voava
Me apaixonei pela vida e pelo que ela me dava
Então voei, viajei
Pus o mundo na minha sola
E é giro como eu giro o mundo
A cada passo enquanto a vida rola
Rola, rola a bola rumo á meta
Transpiro sou um atleta
Inspiro sou um poeta
E sou tudo o que eu quero ser
Não paro porque a vida é feito
Andar de bicicleta e respirar
Não é preciso
É preciso viver

Refrão

Miguel Coimbra

Dizem que nasci no país errado
Nah balelas
Ninguém tem sol, praias, vinho e cidades daquelas
Eu rimo em português é como sinto
E confesso até podia fazer mais guita
Mas cenas destas não têm preço
Quero ter os meus bros perto
Isso é certo e minis, perto
Fazer da minha vida um beat
Seja o que Deus quiserer
Living a vida loca
Só mais uma ninguém nota
Ter os meus palcos em família
Tudo boa onda
Não sou de modas
Quero por a cena toda à roda
E encontrar todos os dias uma gata nova
Tá tudo a falar de crises
Dificil entrar no bizz
Não ponhas culpas, desculpas
Bitch, Please

Refrão

Francisco Maria Pereira (Kasha)

Dizem que é da crise
Eu não percebo mas pronto
Um trabalho das 9 às 5
Para pagar as contas
São rotinas não são sinas
Não te estejas nas tintas
Vive os teus sonhos sem mentiras
Tenta ler nas entrelinhas
Mereces mais do que tens
Eu sei que a vida está dificil, Ok
Só não percas o sorriso
Gasta tempo contigo
Guarda tempo para a familia
Guarda tempo para os amigos
Então sai disso
Ouve isto e pensa um pouco
Que a vida é boa demais
Para só viver e pronto
Ponto final
Não há lições de moral
Tenta ser mais tu por ti
Tenta ser especial

Refrão

Gabriel, o Pensador

O meu sorriso eu não economizo
Valeu D. A. M. A
Sorriso dividido é sorriso lembrado
E é bom lembrar!

 



publicado por olhar para o mundo às 09:37 | link do post | comentar

Terça-feira, 23.06.15

 

 

Letra

 

Eu nem sei como começo
Fica tão difícil para mim
E digo coisas sem nexo
Perguntas porque estou assim
Eu nem sei explicar nem vou contar
Que o tempo pára ao ver-te acordar
Nesse teu jeito inocente
Que me faz não te querer largar
Foram os teus abraços
O sorriso maroto
O teu corpo desenhado
E eu desajeitado
E tu sem me dar troco
Fica mais um bocado
E ela diz que não dá
Não dá, não dá, não dá
Tu não estás bem quando estás sozinha
Eu não percebo se tu estás na minha
Mas vá lá não fiques convencida
Só porque és mais gira do que querida
E então eu sou um perdido e um achado
Tu às vezes pões de lado
Mas queres e então
Eu penso em ti todos os dias
Mas não sei se penso mais do que pedes
Foram os teus abraços
O sorriso maroto
O teu corpo desenhado
E eu desajeitado
E tu sem me dar troco
Fica mais um bocado
E ela diz que não dá
Não dá, não dá, não dá
Não dá porquê
Se nos teus olhos eu vejo
Que tu queres mais de mim
Eu grito, mas tu não vens
Nem tens alguém que te provoque
Te deseje e te toque
Que te fala rir
Te espere e te leve no meu hip-hop
Quero ter-te por perto
Vem ter comigo és tu que escolhes
Nunca houve mais ninguém
Tens o meu mundo nos teus olhos
Nada é incerto e tu és essa vontade
De te ter, de te querer
De te sentir e escrever
E dizer
Que és aquilo
Que eu preciso então
Eu sei que vali a pena
Só não sei se são
Os meus abraços
Que te sabem a pouco
E tu queres o teu espaço
Será que sou passado
Ou isto é só um jogo
Para me teres ao teu lado
Mas ela diz que não dá
Não dá, não dá, não dá
E ela diz que não dá
Não dá, não dá, não dá
Tu, só tu, só tu
Que me faz ser eu
És tu, só tu
E o que é que aconteceu
És tu, és tu
E o que me deu
És tu, só tu
Tu, só tu, só tu
 


publicado por olhar para o mundo às 18:11 | link do post | comentar

Quinta-feira, 07.05.15

 

 

Letra

 

Às vezes oiço cada coisa e não fico ok
Às vezes leio em português que não está bem
Ninguém faz de propósito, eu sei
Mas acontece tantas vezes - ai Jesus, minha mãe!

Às vezes oiço cada coisa e não fico ok
Às vezes leio em português que não está bem
Ninguém faz de propósito, eu sei
Mas acontece tantas vezes - ai Jesus, minha mãe!

Sei que às vezes eu pareço zangado
Mas isto faz-me ficar preocupado
Não quero ver a nossa língua neste estado
O português anda a ser tão maltratado
Quando há faltas para amarelo entradas de pé em riste
Gente que em vez de "estiveste" pergunta "onde é que tu estives-te?"
às vezes é deixar o hífen bem sossegado
E não pôr a vírgula entre o sujeito e o predicado
Eu não sou perfeito, não sou uma Edite Estrela
Mas sei que não se pede uma "sande de mortandela"
Passam horas, dias, choro: fico muito triste
Quando "houveram novidades", porque isso não existe
São raros os casos de plural do verbo "haver"
E são muitos os que compram um automóvel num stander
E isto não são histórias tipo "era uma vez"
Isto é o que se passa com o nosso português

Às vezes oiço cada coisa e não fico ok
Às vezes leio em português que não está bem
Ninguém faz de propósito, eu sei
Mas acontece tantas vezes - ai Jesus, minha mãe!

Às vezes oiço cada coisa e não fico ok
Às vezes leio em português que não está bem
Ninguém faz de propósito, eu sei
Mas acontece tantas vezes - ai Jesus, minha mãe!

Se eu tivesse poderes, homens e mulheres não diziam "quaisqueres"
Eu sei que é difícil distinguir o "à" do "há"
Para onde é o acento? Qual deles leva o "h"? Oh mãe!
E acredita rapaz - que toda a gente é capaz
De não escrever um "z" na palavra "ananás"
E era maravilha - ver "você" sem cedilha
E que ninguém dissesse "há muitos anos atrás"
Aquilo que eu quero como tu muito bem vês
Sendo muito sincero quero bom português
E tenho a certeza que toda a gente consegue
Se até JJ sabe dizer Lopetegui

Às vezes oiço cada coisa e não fico ok
Às vezes leio em português que não está bem
Ninguém faz de propósito, eu sei
Mas acontece tantas vezes - ai Jesus, minha mãe!

Às vezes oiço cada coisa e não fico ok
Às vezes leio em português que não está bem
Ninguém faz de propósito, eu sei
Mas acontece tantas vezes - ai Jesus, minha mãe!

"Há-des" - isto assim não esta bem
"Salchicha" - isto assim não esta bem
"Devia de haver" - isto assim não esta bem
e dizer "tu fizestes" também não esta bem!

Às vezes oiço cada coisa e não fico ok
Às vezes leio em português que não está bem
Ninguém faz de propósito, eu sei
Mas acontece tantas vezes - ai Jesus, minha mãe!

 

Para celebrar o Dia Internacional da Língua Portuguesa, Vasco Palmeirim convidou os D.A.M.A para se juntarem a ele numa nova versão de Às Vezes. Passou a ser Às Vezes (Escuto e Observo Erros de Português). Juntos, somos os Cavaleiros do Priberam.



publicado por olhar para o mundo às 22:13 | link do post | comentar

Terça-feira, 21.04.15

 

 

Letra

 

Eu não te entendo
Quando eu quero tu não queres, eu tento
Tu és sincera e preferes com tempo
Desespero e preciso de alento, o clima sobe tá quente
E nós os dois de repente

Não seja bobo isso não é como você quer
Eu entendi e sei, não é que não queira também
Mas você tem que dar mais meu bem,
Eu não sou tão fácil como as que você tem
Eu não tenho nínguem e só te quero ver sem
Esquece, a conversa está boa
Mas são esses teus jogos que me deixam à toa
E a tua voz na minha cabeça ecoa

É sério mesmo? Ou é da boca pra fora?
Você só pensa no agora e nem me dá uma chance
De entender que isso é mais do que uma música
Tá ligado?
Estou, agora dance
É sacanagem e tu não tens coragem
De dizer o que tens pra dizer
Isso é bobagem eu tenho coragem
Só que eu quero mais do que você

Eh eh eh, eu quero muito mais do que você
Eh eh eh, você já fala o que quer e eu quero também
Eh eh eh, eu quero muito mais do que você
Eh eh eh, você já fala o que quer e eu quero também
Tururururu, eu também quero você
E eu só quero você
Só te peço que não me faças promessas dessas
Com que me iludes e faz com que desapareças

Eu não faço e você não quer problemas,
Eu não quero ser mais uma nos seus poemas
Só mais uma? Na!
Fica vaidosa. Há muita inspiração,
Mas eu sem ti só escrevo prosa
É assim que você diz, é assim que você sente
Eu te quero, sempre quis
Você que não me entende.

Eu te entendo, não te prendo
Fica aí e vamos vendo
Eu e tu num erredo, não tenhas medo
Que eu agora só te quero a ti
E fica claro que eu já te entendi
Eu vou confiar, porque eu te quero de mais
Mas isso é papo furado e você me trai

Não é juro!
Faça uma promessa.
O meu mundo és tu, dos pés à cabeça
É sacanagem e tu não tens coragem
De dizer o que tens pra dizer
Isso é bobagem eu tenho coragem
Só que eu quero mais do que você

Eh eh eh, eu quero muito mais do que você
Eh eh eh, você já fala o que quer e eu quero também
Eh eh eh, eu quero muito mais do que você
Eh eh eh, você já fala o que quer e eu quero também
Tururururu, eu também quero você
E eu só quero você

 

 



publicado por olhar para o mundo às 08:13 | link do post | comentar

Segunda-feira, 20.04.15

 

 

 

Letra

 

eu já não quero falar de ti, de nós, da voz,
eu já não ouiço na nossa canção
e eu já não quero falar contigo
a sós, a após de ter falado e ter sido em vão
eu já não quero falar de ti, de nós, da voz,
eu já não ouça na nossa canção
e eu já não quero falar contigo
a sós, a após de ter falado e ter sido em vão
eu não quero falar contigo nem quero falar de ti
foste tudo, não és nada e eu estou bem assim
sei que era diferente mas eu agora não vacilo
por isso, limpa essa lágrimas de crocodilo
és indiferente, eu não preciso que me engates com um sorriso
ou me despertes os sentidos,
que eu já não tenho é o aviso
agora é tarde, está perdido
não te esforçes que eu não ligo
já não me tens nem como amigo
está tudo dito e evito
falas e não acredito que te importes comigo
isso para mim são balelas, daquelas que tu vês nas novelas
e pensas que ainda és aquela
a ice girl descongela
queres saber com quem eu estou
para quê fazer de vela?
no way, o nosso jogo acabou
podes mover em qualquer palco, faz de conta que eu não estou
eu já não quero falar de ti, de nós, da voz,
eu já não ouiço na nossa canção
e eu já não quero falar contigo
a sós, a após de ter falado e ter sido em vão
eu já não quero falar de ti, de nós, da voz,
eu já não ouça na nossa canção
e eu já não quero falar contigo
a sós, a após de ter falado e ter sido em vão

 

 



publicado por olhar para o mundo às 17:13 | link do post | comentar

Quinta-feira, 16.04.15

 

 

Letra

 

Dizes, que queres falar comigo há tantas coisas por dizer,
Bates, na mesma tecla não consegues esquecer
A conversa é sempre a mesma já não há nada a fazer
Digo, que não te quero e tu assim não pode ser
Eu só te dei a mão e já me queres levar o braço
E depois dizes que sou eu que não te largo
Às vezes custa admito, e só tu é que não vês que não fazes sentido
E davas voltas e voltas, respostas que eu não fazia parte
Não era uma relação, era um flic flac
E consumiste o meu lado fraco
Até te dava algum amor, se sobrasse
E ligas quando estás carente,
Posso pensar no passado mas agora é indiferente

Tudo o que faças, não não
Pensavas que tinhas razão
Essas mentiras já não dão para mim
Tudo o que faças, não não
Pensavas que tinhas razão
Essas mentiras já não dão para mim
Não não, é em vão, já não dão para mim

Não te vou falar de sentimentos
Nem te vou mentir com todos os dentes
Mas queres levar-me nesse labirinto só
Porque não sinto aquilo que sentes
Já te disse o que sabia mas tu não acreditaste
Sei que não sou o que tu querias mas agora já é tarde
Então perguntas porquê em vez de porque não
Eu já não quero saber quem é que tinha razão, não
E digo não inventes ou preferes que te minta sobre os sentimentos
Que eu não tenho e eu não minto só porque tu mentes
Podes ir e tu sabes não sou dos ciumentos
Então sai, que eu não sou o eminem, bye,
Já cansei, I don't love the way you lie

Tudo o que faças, não não
Pensavas que tinhas razão
Essas mentiras já não dão para mim
Tudo o que faças, não não
Pensavas que tinhas razão
Essas mentiras já não dão para mim
Dizes que é verdade mas já não dá para mim
Dizes que queres e que agora mudaste, não tou nem aí, não não
Não quero mais mentiras dessas que dominas
Agora para, pensa, no que já não temos

Tudo o que faças, não não
Pensavas que tinhas razão
Essas mentiras já não dão para mim
Tudo o que faças, não não
Pensavas que tinhas razão
Essas mentiras já não dão para mim
Tudo o que faças, não não
Pensavas que tinhas razão
Essas mentiras já não dão para mim
Tudo o que faças, não não
Pensavas que tinhas razão
Essas mentiras já não dão para mim

 



publicado por olhar para o mundo às 11:13 | link do post | comentar

Sexta-feira, 20.02.15

 

Letra

 

Hipnótico
Melódico nunca despótico
Se tu tiveres doente eu sou tipo antibiótico
Para te provocar pus este beat folclórico
Boy é mesmo assim não fiques atónito
Se o meu rap tem cor, o teu está dautónico
Se o meu rap fosse birra, tu eras alcoolico
Se o teu rap é agressivo já o meu é filosófico
 
Porque tem mensagem, e o teu é todo yo
Tens o hardcore na bagagem, e eu tenho heart no flow
Vocês não me curtem, mas eu sou como sou
 
Escreve a tua mensagem de tudo o que eu queria
Boy sente, sente a minha magia
Fala do que sentes não do que sentias
Eu sou o que escrevo, não o que tu querias
 
Por um mundo melhor eu faço figas
Tu tás mais preocupado em fazer battles (?)
Tu queres me derrotar, talvez consigas
O teu rap é demente, o meu é soldado a vigas
 
De aço maciço eu não improviso
Eu não papo disso, eu gosto de hip hop conciso
Enquanto tu, enquanto tu...
Enquanto tu
(?) Atinge a tua meta
Com todos és parecido, enquanto eu sou um poeta
Boy escreve com sentido é tudo aquilo que te peço
Faz do hip hop uma mensagem e não uma sms
 
Escreve a tua mensagem de tudo o que eu queria
Boy sente, sente a minha magia
Fala do que sentes não do que sentias
Eu sou o que escrevo, não o que tu querias
 
Trágico, desculpa se sou pelágio
Aqui está D.A.M.A. mais um momento mágico
Hip hop é o estilo que eu sempre acreditei
D.A.M.A. ensinou tudo aquilo que eu sei
 
Só dizes mal, e nem aconselhas
Enquanto comes mel eu como abelhas
Critica-me, critica construtivamente
Eu tenho direito como tu a ser hip hop dependente
Tipo sei que não sou pobre, e que a vida não é brincadeira
Mas eu não faço menos hip hop por ter mais notas na carteira
Hip hop não tá na paca,'tá no sangue das veias
Quando mais me deitas abaixo, mais talento me incendeias
 
Não me curtes e pensas que isso me chateia
Eu adoro quem me adora e admiro quem me odeia
Confiança e mensagem e as dicas eu apresento
eu não sou um MC por fora, eu sou um poeta por dentro
 
Escreve a tua mensagem de tudo o que eu queria
Boy sente, sente a minha magia
Fala do que sentes não do que sentias
Eu sou o que escrevo, não o que tu querias
 
Não tenho magia, mas é o meu skill
De ti para mim, é luis de matos para coperfield
o meu rap dá-te pica, o meu rap sente-se
O meu rap não se explica, o meu rap entende-se
Não somos hardcore, nem o (?) da cidade
Não fingimos o que somos, temos a nossa dignidade
Julgas-te melhor rapper de alta cilindragem
Sou tuas (?) hardcore o hip hop está na mensagem
Não me curtes
Já te disse tass fine
Vai lá meu puto, sentir a tua punchline
Não dizes nada, no teu cd só faço eject
Eu preocupo-me com o que eu digo
Não é (?)
 
Sente...

 



publicado por olhar para o mundo às 17:13 | link do post | comentar

Sábado, 14.02.15

 

 

Letra

 

Se eu pudesse queria ter nos olhos,
Tinha-te aqui e não só em sonhos,
(E o que ela quer é)
Na Na Na Na Na
(E o que ela quer é)
Na Na Na Na Na


Vi-te em sonhos, o que eu vejo não é real,
Não há momentos enfadonhos, eu também não sou o tal,
Menos mal e não me leves a mal,
Eu e tu somos únicos, não é banal, não
Na Na Na Na Na
Sabes muito e não me sais da cabeça,
Fica aqui mais um minuto, não desapareças,
Ela mente e não se sente, diz quer tar carente o mais de tempo
Indifrente, é o frio e o quente
E está patente que ela está consciente,
Por mais que eu invente, serei sempre um passatempo,
É na boa, é melhor o que sou e o redor fica à toa
E tudo voa, só que eu não a vejo que ela é só põe
E adormeço com o desejo de voltar a ver-la em sonhos.
Se eu pudesse queria ter nos olhos,
Tinha-te aqui e não só em sonhos,


(E o que ela quer é)
Na Na Na Na Na
(E o que ela quer é)
Na Na Na Na Na


Não me tens na mão, sei que às vezes pareçe,
É tipo um vício de ti, que não desapareçe,
Umas vezes não estou e querias que eu estivesse,
Outras vezes não vejo e finges que te esqueces,
É tipo um sonho a preto e branco que apareçe a cores,
Ficamos pelo entretanto para evitar dissabores,
Amor contigo esqueçe, sei que não és o que pareçe,
Põe o rebeijo no sucesso e ficamos só no sexo


Na Na Na Na Na
Tinhamos tudo para ser, tinhamos tudo para dar,
Vem aí o amanhaçer e eu não quero acordar,
É magia, era isso que querias, que comece a mentira nessa tua mente fria,
Sei, que não és minha e eu já me habituei, já,
És só mais uma, mas eu curto do teu beijo


Se eu pudesse queria ter nos olhos,
Tinha-te aqui e não só em sonhos,
(E o que ela quer é)
Na Na Na Na Na


(E o que ela quer é)
Na Na Na Na Na
(E o que ela quer é)
(E o que ela quer é)
Não, não tens noção
Não digo em vão


Eu sei que erro, também sei que não escolhes,
É que eu prefiro ficar cego do que olhar-te nos olhos.
Se eu pudesse queria ter nos olhos,
Tinha-te aqui e não só em sonhos,


(E o que ela quer é)
Na Na Na Na Na
(E o que ela quer é)
Na Na Na Na Na
(E o que ela quer é)
Na Na Na Na Na

 

 



publicado por olhar para o mundo às 10:13 | link do post | comentar

Terça-feira, 13.01.15

concerto de ano novo.jpg

 

 

MÚSICA NO AMAC

CONCERTOS DE ANO NOVO, JORGE PALMA E D.A.M.A

 

No próximo fim-de-semana, o Auditório Municipal Augusto Cabrita recebe os Concertos de Ano Novo com a Camerata Musical do Barreiro, no dia 17, e a Orquestra de Violinos Os Paganinus, no dia 18. No dia 30 de janeiro, Jorge Palma atua no Barreiro, também no AMAC. Em fevereiro, este espaço de cultura do Concelho recebe os D.A.M.A.

 

Programa

 

17 janeiro | sábado | 16h00

Concerto de Ano Novo - Camerata Musical do Barreiro | Música

Pretende-se com este concerto celebrar e desejar um bom ano a todos os barreirenses

Faixa Etária - M/6

Duração aproximada – 60m

Ingresso – 2,00€

 

18 janeiro | domingo | 16h00

Concerto de Ano Novo - Orquestra de Violinos Os Paganinus [Conservatório Regional de Música de Setúbal] | AMAC Júnior – Música

Faixa Etária - M/6

Duração – 1h15m com intervalo

Ingresso - 2,00€

 

30 janeiro | sexta-feira | 21h30

Jorge Palma | Música

 

Jorge Palma dispensa apresentações. Com mais de 40 anos de carreira é um nome incontornável do panorama musical português. Compositor, poeta, intérprete e exímio pianista, Jorge Palma começou a dar cartas logo cedo, quando aos 13 anos venceu o segundo prémio e uma menção honrosa num Concurso Internacional das Juventudes Musicais, realizado em Palma de Maiorca.

 

Aprendendo piano desde os seis anos, o percurso de vida de Jorge Palma observa-se sempre a par da música, sua maior forma de expressão. Correu a Europa de guitarra em punho tocando nas ruas de cidades como Paris e Copenhaga, terminou o Curso Superior de Piano em 1990  e editou vários discos de originais, compondo êxitos, somando discos de ouro, tendo atingindo a marca da dupla platina com «Voo Nocturno». Venceu o prémio José Afonso em 2002, e em 2008 e 2012 foi o vencedor do Globo de Ouro na categoria de melhor intérprete.  Pelo seu último disco «Com Todo o Respeito» foi ainda galardoado pela SPA com o prémio Pedro Osório. 

 

Desde os anos 70 que esgota salas um pouco por todo o país, desde as mais emblemáticas, até aos palcos mais intimistas, tendo também passado por festivais como o Meo Sudoeste, Super Bock Super Rock e Rock in Rio.

 

Vicente Palma e Gabriel Gomes (ex-Madredeus e Sétima Legião) são os dois músicos que o acompanham no seu formato acústico. Vicente surge na guitarra, no piano ou na voz, acompanhando Jorge Palma em alguns dos temas que juntos já tocam há mais de uma década. Gabriel Gomes oferece a sonoridade do seu acordeão para criar ambientes verdadeiramente íntimos e especiais.

Faixa Etária - M/6

Duração aproximada – 75m

Ingresso – 12,50€

 

13 fevereiro | sábado |  21h30 | D.A.M.A | Música | AMAC

Francisco M. Pereira (Kasha), Miguel Coimbra e Miguel Cristovinho são o núcleo central dos D.A.M.A., banda oriunda de Lisboa que se destaca pelas suas canções contagiantes, empatia com o público e energia das atuações ao vivo.

 

Francisco e Miguel Coimbra conhecem-se desde os seis anos, tendo frequentado o mesmo colégio (na mesma turma) desde sempre. Já nos tempos do ensino básico faziam composições nas aulas de Língua Portuguesa, que resultava numa saudável competição entre ambos.

 

D.A.M.A., sigla para a expressão “Deixa-me Aclarar-te a Mente, Amigo”, começou por ser um projeto de pop/rap, tendo Francisco e Miguel vindo, progressivamente, a libertar-se de quaisquer restrições musicais, procurando sempre escrever músicas com que as pessoas se identifiquem mas que, acima de tudo, transmitam uma mensagem positiva.

Faixa Etária - M/6

Duração aproximada – 60m

Ingresso – € 10,00

 

Consulte o restante programa de janeiro do AMAC em CMB. Brevemente será divulgada a agenda de fevereiro do AMAC.

CMB 2015-01-12



publicado por olhar para o mundo às 12:10 | link do post | comentar

Quinta-feira, 01.01.15

 

Letra

 

Sim eu sou o speedy gonzalez
E um às na arte de guiar (de guiar)
E que elas se derretem
Só de me ver passar (ver passar)
E aí eu aceno e digo
Encontramo-nos no bar (nos no bar)
Sei que o álcool não me afecta
Só se tiver de soprar

Eu sou o maior
Também sei as operações de cor
É só mais um gin tónico
Um vermelho daltónico
E passo a abrir
Vejo uma passadeira
Mas já vou em terceira
E já não estou em mim
Tiro mais uma selfie
Uma mensagem com mel e...
Não dá estou a conduzir!

Vamos para a noite apanhas-me em casa?
Hoje vai ser até de madrugada
Não vou levar carro é cena arriscada
E vou estar em modo perigo na estrada
Não sejas menino e leva o bote
Já vamos gastar a entrada no spot
Tamos na guest queres mais o quê?
Vamos de táxi depois logo se vê

São 5 da manhã e querias leva carro para quê?
Bebe mais um copo faz o que quiseres
Nem operações nem preocupação a ter
Não tenho de guiar a ver a estrada aos ss
Vai de boleia ou táxi a meias
Não arrisuqes brincadeiras
A tua vida vale mais
do que carro e bebedeiras

Poupa a gota quando sais
até te divertes mais
Queres ser o maior
Não guies quando sais

Eu sou o maior
Também sei as operações de cor
É só mais um gin tónico
Um vermelho daltónico
E passo a abrir
Vejo uma passadeira
Mas já vou em terceira
E já não estou em mim
Tiro mais uma selfie
Uma mensagem com mel e...
Não dá estou a conduzir!

Não dá estou a conduzir! (4x)

 



publicado por olhar para o mundo às 19:21 | link do post | comentar

Sábado, 29.11.14

àsvezes.png

Próximos espetáculos

29 novembro
FNAC Chiado, Lisboa

6 dezembro
Discoteca Sheherazade, Moura

7 dezembro
Classe Bar, Famalicão

7 dezembro
Discoteca Pulse, Guimarães

8 dezembro
Evento de Natal Dolce Vita Tejo, Amadora

19 dezembro
Discoteca Twiit, Coimbra

20 dezembro
Espaço Armazém, Cabeceiras de Basto

21 dezembro
Feira das Artes, Ofícios e Sabores, Vimioso

27 dezembro
Discoteca Estação da Luz, Aveiro

31 dezembro
Noite de Passagem de Ano, Albufeira
 
 

 



publicado por olhar para o mundo às 18:21 | link do post | comentar

Segunda-feira, 27.10.14

 

letra

 

There are secrets hidden in silence
Feelings I'm dying to share
I know I never want you to leave me
I don't know why I'm so afraid (2x)

Não tenhas medo de me quereres em segredo
De pensar que não resulta porque ainda é muito cedo
De tirares a tua escuta porque ainda não entendes
De me dares muito mais luta
Porque eu não sou de sentimentos
Mas percebe que contigo é diferente
Que apesar da minha fama eu estou pronto e consciente
Para enfrentar os teus traumas
Abraçar as tuas causas
Quero-te 24 horas sem te usar qualquer pausa

E por isso baby perde essa timidez
De me quereres mas ter medo
Vê se me queres de uma vez
Porque eu quero e sinto
Só que tu não avanças
Só achas que te minto
E estou com falinhas mansas
E às tantas eu não sei o que faça
Roubo as estrelas do céu
E te as entrego numa taça
QUero que respondas
E não oiço os teus segredos
Não preciso que te escondas
Preciso que não tenhas medo

There are secrets hidden in silence
Feelings I'm dying to share
I know I never want you to leave me
I don't know why I'm so afraid (2x)

Queria dar-te tudo
Mas tu não sabes o que queres
Levantas o escudo
E mando aquele SMS que eu sei que curtes
E ficas desorientada
Quando o clima surge
Baby eu sei que consigo
Mas tu consegues?
Esquecer todos os teus medos e mostrar que me queres
Eu sei os teus segredos
Porque é que não cedes
Sei que ainda é cedo
Mas vê lá se percebes

Que eu quero mais e tudo o resto sabe a pouco
Podemos ser uma obra de arte e não passamos de um esboço
Por isso não me descartes nem a tudo o que é nosso
Se precisares de provas tu sabes que eu posso mover mundos
Para sentires que és aquela
Roubo as cores do arco-iris para pintares aguarelas
lembras-te, lembras-te?Sabes que sou capaz
Só quero perceber-te mostra-me como se faz

There are secrets hidden in silence
Feelings I'm dying to share
I know I never want you to leave me
I don't know why I'm so afraid (2x)
Reaching for you my hands are shaking
I'm stepping far from fall
I'll never know
I'm letting go of all the chases of the past
and starting new with you

There are secrets hidden in silence
Feelings I'm dying to share
I Know I never want you to leave me

I don't know Why I'm so afraid (2x)

 



publicado por olhar para o mundo às 08:10 | link do post | comentar

Sexta-feira, 24.10.14

 

 

Letra

 

Às vezes não sei o que queres e digo ok
Às vezes não sei o que faço e tu tá bem
Às vezes fazes de propósito, eu sei
Uma vez não são vezes e eu não digo a ninguém (2x)

Sei que às vezes eu não estou ao teu lado (ok)
E não te ligo por estar muito ocupado (tá bem)
Tu não mereces eu deixar-te nesse estado (eu sei)
Desculpa não ser esse príncipe encantado.
Quando não respondo, não sei porque é que me escondes que sabes
Que sou teu, mas queres um romance apertado
Às vezes é um sufoco, outras vezes fico louco e dizes
Não tens razão para te sentir enganado
Eu sei que me contas coisas que não contas a mais ninguém
E perguntamos ao tempo quanto tempo o tempo tem
Passa, horas, dias, choras, eu sei que está tudo errado dizes
Não vás embora, fica, mais um bocado
Eu fico sempre por perto por mais voltas que dês
Tu sabes, que eu não me apego, depois vens com porquês
Imaginas essas histórias tipo "era uma vez"
Baby, eu sou a folha em branco dos romances que lês.

Às vezes não sei o que queres e digo ok
Às vezes não sei o que faço e tu tá bem
Às vezes fazes de propósito, eu sei
Uma vez não são vezes e eu não digo a ninguém (2x)

Eu não digo a ninguém, que me queres e preferes
Aos outros que tu tens, eu sei
Que é díficil quando o clima é propício
Controlares esse teu vício que tens por mim desde o início, Ok
Eu quero e faço por isso e tu queres um compromisso
E eu sou mais de improviso e tu só queres ficar bem
E ficas doida comigo porque tens a não do perigo
Mas eu não se se consigo dar-te tudo o que tenho.

Sabes que te quero embora seja às vezes
Tento ser sincero, só que, tu não me entendes
Não tenho culpa, mas não sinto o que tu sentes
Hoje ficas cá em casa, uma vez não são vezes.

Às vezes não sei o que queres e digo ok
Às vezes não sei o que faço e tu tá bem
Às vezes fazes de propósito, eu sei
Uma vez não são vezes e eu não digo a ninguém (2x)

Oh eu não digo a ninguém
Eu sei

Sobe que eu não digo a ninguém
Cora, que eu não digo a ninguém
Fica, que eu não digo a ninguém
Podes fazer que eu não digo a ninguém

Às vezes não sei o que queres e digo ok
Às vezes não sei o que faço e tu tá bem
Às vezes fazes de propósito, eu sei

Uma vez não são vezes e eu não digo a ninguém (2x)

 



publicado por olhar para o mundo às 13:05 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Quarta-feira, 08.10.14

DAMA apresentam ao vivo o primeiro longa duração.

 

 

Os DAMA apresentam ao vivo o seu primeiro longa duração "Uma Questão de Princípio", dia 16 de Outubro, no Armazém F (Lisboa) e 23 de Outubro, no Hard Club (Porto).

“Uma Questão de Princípio” é o nome do álbum de estreia dos D.A.M.A. que chegou às lojas a 29 de Setembro.
O primeiro longa duração do colectivo lisboeta conta com a participação especial da cantora e compositora brasileira Gaby Luthai, de Mia Rose e de Salvador Seixas, e inclui os sucessos "Balada do Desajeitado" (mais de 1 milhão de views no Youtube), "Luísa", que já se encontram disponíveis digitalmente, e “Popless”, bem como muitos outros temas contagiantes.


Francisco M. Pereira (Kasha), Miguel Coimbra e Miguel Cristovinho são o núcleo central dos D.A.M.A., banda oriunda de Lisboa que se destaca pelas suas canções contagiantes, empatia com o público e energia das actuações ao vivo.
A sonoridade pop dos D.A.M.A. é uma fusão de estilos que sintetiza o espírito dos seus três elementos e que se resume num disco descontraído, eclético mas harmonioso, com uma mensagem positiva e sempre actual, onde a POP e as canções são a essência.



publicado por olhar para o mundo às 19:06 | link do post | comentar

Domingo, 05.10.14

 

 

Os D.A.M.A. estão entre os mais recentes artistas a aderir ao MEO Kanal e prometem deixar aí relatos das suas peripécias na estrada com as imagens mais exclusivas da digressão.

A partir do 808808 no MEO Kanal (botão verde do comando MEO), o trio lisboeta vai apresentar reportagens de concertos (incluindo algumas canções ao vivo), mostrar o backstage das suas atuações e viagens, divulgar os comentários dos seus fãs, mostrar os eventos onde marca presença, entrevistas e videoclips, entre outros momentos exclusivos.

A estreia no MEO Kanal acontece dias antes do lançamento do primeiro disco dos D.A.M.A., "Uma Questão de Princípio", marcada para 29 de setembro. O disco vai ser apresentado em Lisboa, a 16 de outubro, no Armazém F, e no Porto, Hard Club, a 23 de outubro.

"Uma Questão de Princípio" encontra-se em avanço no MEO Music nas duas semanas que antecedem o seu lançamento oficial, uma quinzena de exclusivo com o apoio da Rádio Renascença. Na primeira semana, "Uma Questão de Princípio" já ultrapassou o número mais alto até então de audições de qualquer álbum em pre-streaming no MEO Music sendo, portanto, o disco em pré-escuta mais ouvido de sempre na história do serviço, superando nomes como Aloe Blacc, Pearl Jam, The Strokes, Xutos & Pontapés, Deolinda ou Buraka Som Sistema.

Os D.A.M.A. são compostos por três jovens, que pretendem transmitir uma mensagem muito positiva nas suas canções. Com este espírito em mente criaram o tema "Balada do Desajeitado", que os catapultou para o sucesso e, mais recentemente, "Luísa". O grupo foi escolhido pelos One Direction para abrir a primeira parte do concerto que a banda inglesa deu do Estádio do Dragão, no Porto. Os D.A.M.A. foram ainda convidados do programa "The Voice" e da série "Água de Mar", onde participaram num episódio, ambos na RTP.

O MEO Kanal, é uma experiência avançada de televisão, exclusiva para clientes MEO, que permite, de uma forma simples, partilhar com outros clientes MEO vídeos e fotos com total privacidade. Atualmente, o MEO Kanal conta com mais de 45 mil canais criados, mais de um milhão de vídeos carregados (40% de vídeos em HD) num total de mais de 21 anos de vídeo, sendo visualizado por mais de um milhão de espectadores por mês, que apenas têm que aceder através do botão verde do seu comando MEO.

 

Retirado do Sapo Música



publicado por olhar para o mundo às 21:19 | link do post | comentar

Quinta-feira, 18.09.14
Uma Questão de Princípio” é o nome do álbum de estreia dos D.A.M.A.
D.A.M.A

“Uma Questão de Princípio” é o nome do álbum de estreia dos D.A.M.A. que chega às lojas a 29 de Setembro.

O primeiro longa duração do colectivo lisboeta conta com a participação especial da cantora e compositora brasileira Gaby Luthai, de Mia Rose e de Salvador Seixas, e inclui os sucessos "Balada do Desajeitado" (mais de 1 milhão de views no Youtube), "Luísa", que já se encontram disponíveis digitalmente, e “Popless”, bem como muitos outros temas contagiantes.

Francisco M. Pereira (Kasha), Miguel Coimbra e Miguel Cristovinho são o núcleo central dos D.A.M.A., banda oriunda de Lisboa que se destaca pelas suas canções contagiantes, empatia com o público e energia das actuações ao vivo.

Os D.A.M.A. têm vindo a conquistar os palcos nacionais por onde passam, como são exemplo máximo as actuações ao vivo nas Semanas Académicas da FSCH/Nova em Lisboa, Santarém, Egas Moniz (Costa da Caparica) e Algarve/Faro, onde a banda levou o público ao rubro e a cantar em uníssono vários temas do seu repertório.

No dia 13 de Julho 2014, o colectivo assegurou a primeira parte do concerto de One Direction no Estádio do Dragão (Porto) e conseguiu cativar uma verdadeira multidão de fãs da banda britânica, colocando todo o estádio a cantar em uníssono.

"Balada do Desajeitado" foi o tema que colocou os D.A.M.A. na história da música portuguesa, ainda em alta rotação nas rádios nacionais, com o vídeo a atingir mais de 1 milhão de visualizações no YouTube. “Luísa” foi a canção que sucedeu este grande êxito e também já está a ter impacto um pouco por todo o país.
 
video "Luísa"


publicado por olhar para o mundo às 20:25 | link do post | comentar

Domingo, 15.06.14

 

 

Letra

 

 

Wonder where you are
Watching from the stars
Tearing our love apart
Wonder where you are (2x)

Eu dava tudo para poder ter mais uma chance
De te sentir de te ver e de te ter no meu alcance
Para onde foste, onde é que estás, para onde vais?
Fazes parte do céu, do mar, ou de sinais?
Eu aceito e sei que o teu mundo não é este
Foste embora mas no fundo eu sei que tu não me esqueceste
Eu não descanso quero sentir-te respirar
Pois sufoco de te ouvir e não te poder tocar

Será que és tu quem me sussurra no vazio bem fundo
E me aconchega no frio do inverno enquanto durmo
Vem comigo sente o som no tom da minha voz
Para eu contar-te as novidades, tudo sobre nós

Wonder where you are
Watching from the stars
Tearing our love apart
Wonder where you are

Onde é que estás eu não te vejo, eu não te sinto
Onde é que estás eu não te leio, eu não te minto
Não sou capaz eu já nem creio no que digo
Porque eu olho para trás e tu não estás aqui comigo
Por isso eu não me despeço mas peço para ficares
Quero ser mais que preces porque tu és mais que ar
Tu já não estás eu já sei, onde é que estás eu não sei
E não há mais ninguém que tenha o que tu tens

Será que és tu quem me sussurra no vazio bem fundo
E me aconchega no frio do inverno enquanto durmo
Vem comigo sente o som no tom da minha voz
Para eu contar-te as novidades, tudo sobre nós

Wonder where you are
Watching from the stars
Tearing our love apart
Wonder where you are

Será que és tu quem me sussurra no vazio bem fundo
Eu dava tudo no mundo por mais um segundo
Será que és tu? Eu nem pergunto, desabafo
Nessa conversa cega de conteúdo escasso (so come back home)
É que és tu quem me pega, mas não trás nada de novo
Quero-te aqui e agora, mudei as regras do jogo (so come back home)
E com o passar das horas, vou perdendo o fôlego
Tenho saudades tuas, quero a nossa chama com fogo

I'm gonna catch a cold from the ice inside my soul
Tearing our love apart, Wonder Where You Are

Será que és tu quem me sussurra no vazio bem fundo
E me aconchega no frio do inverno enquanto durmo
Vem comigo sente o som no tom da minha voz
Para eu contar-te as novidades, tudo sobre nós

You're everything I need and more
I'm surrounded by your embrace
You know I can feel your Halo
You know you're my saving grace




publicado por olhar para o mundo às 08:23 | link do post | comentar


Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email
mais sobre mim
posts recentes

D.A.M.A - Oquelávai

D.A.M.A - Não Comeces

D.A.M.A - Pensa Bem ft. P...

D.A.M.A - Carta ao Pai Na...

D.A.M.A - A Veces ft. And...

D.A.M.A - Era Eu

D.A.M.A - Calma

D.A.M.A - Sinto

D.A.M.A - Primeira Vez ft...

D.A.M.A. - Miúdos

arquivos

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

tags

todas as tags

links
comentários recentes
Pena estes rapazes não terem mais popularidade. A ...
Nome do autor da letra?Não se escreve?Falta de res...
A LETRA É ASSIM!!!E NÃO ASSADO!!!!MaMãe, tu estás ...
As partes que não consegui perceber estão com reti...
https://www.google.pt/amp/s/www.musixmatch.com/pt/...
Vou adicionar nos meus favoritos, sou brasileira, ...
" Para que o tremoço o almoço e o alvoroço demorem...
Letra e música do SiulProdução do Siul Sotnas e Mi...
que puta de letra fdx
Epá, o que é isto?Borrei-me todo com este "Mal des...
Posts mais comentados
blogs SAPO
subscrever feeds