Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

  BICHO DO MATO    A Vingança do Bicho do Mato” é o primeiro álbum da banda eborense Bicho do Mato, que tem quatro pés: Daniel Catarino (voz, guitarras, baixo, coros, latapau e sonoplastia), Tó Zé Bexiga (viola campaniça, guitarra acústica, teclados e coros), Zé Peps (guitarra acústica, guitarra slide, ukulelé, bandolim e coros) e (...)
    Bicho do Mato - "A Vingança do Bicho do Mato" álbum editado no dia 7 de Outubro vai passar pelas FNACs de Norte a Sul do país.  FNACS Distrito de LISBOA  Dia 14 de Outubro às 21h30 - FNAC Oeiras Dia 15 de Outubro às 17h00 - FNAC Almada Dia 15 de Outubro às 21h30 - FNAC Alfragide FNACS NORTE  Dia 22 de Outubro às 17h00 - FNAC (...)
  Letra   MÃOS DE ARANHA COXA Fui aranha coxa na chuva de verão De pata ao peito, grades no coração Se é que o tenho Sei que a teia é só um lençol Ou talvez enleio tosco de um aranhol Ou teia que virou colcha Para mim, aranha coxa Fui aranha coxa numa teia qualquer Espectadora no processo de envelhecer Velha para a vida, nova para morrer À espera que a sorte mude o que acontecer Cabe a vida numa trouxa Pobre aranha coxa Com mãos de aranha Com mãos de (...)
    BICHO DO MATO    “Mãos de Aranha Coxa” é o single de apresentação de ”A Vingança do Bicho do Mato” Os Bicho do Mato são de Évora e já puseram a comunidade celta luso-galega a dançar a sua música num festival folk a norte de Portugal, a tribo gótica a gritar os seus refrões no Sabotage Club, em Lisboa, e até algumas (...)
    Letra     Sujam as mãos na constituição com a tinta fresca Discutem toda a situação numa mansão burlesca Gastam recursos a dar discursos e emprego verbal Dizem que é normal Ter um mar sem sal Projectam-se no céu e dizem-nos que foi milagre Vão tentando adoçar-nos a boca com vinagre E o tempo é passatempo de antena sem sinal A crise é viral Dizem que é normal Que o dia de amanhã já nasça hipotecado Por isso tem cuidado A ratoeira espera-te no fim O produto (...)
    Letra     dizia o pato para a pata adormecida "um dia hei-de levar-te até à mata e debicar-te essa asa ferida" dizia apaixonado o pato psicopata e a pata fugia com medo para longe mas continuava a olhá-lo à socapa ele insistia com paciência de monge ela seguia-lhe o rasto por um mapa e o pato amola a faca  que a há-de matar mas pato que afia a faca perto da sua pata não a quer matar "não a consigo espetar" grasnava o pato ao longe de bico aberto em cascata vida (...)
Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email