Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

 

Letra

 

É dia de arriscar
de fintar a pulsação
mesmo se eu tropeçar
e fizer um arranhão

Eu vou andar tão certa
de que o medo é o papão
franzindo o meu subrolho a qualquer um
em qualquer direção 

Refrão:
Hoje eu sou a dona da razão
ai de quem me diga que não 
que eu sou capaz de nem pestanejar

É tempo de ser forte
atar os ténis com dois nós
abraçar o vento norte
sorrir a quem se ri de nós.

Se nem sequer é noite 
as sombras não vão lá estar
eu vou serrar os dentes
hoje é dia é de arriscar


Refrão:
Hoje eu sou a dona da razão
ai de quem me diga que não 
que eu sou capaz de nem pestanejar
e se algum dos males me aparecer
se me apanharem a correr
eu sou capaz de nem pestanejar

É dia de arriscar 
de fintar pulsação


Refrão:
Hoje eu sou a dona da razão
ai de quem me diga que não 
que eu sou capaz de nem pestanejar
e se algum dos males me aparecer
se me apanharem a correr
eu sou capaz de nem pestanejar

 

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email