Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

Silence 4 juntam-se para «reviver bons tempos», mas descartam projeto futuro

Um concerto "explosivo a nível emocional" no Instituto Português de Oncologia, em fevereiro, marcou o regresso dos Silence 4 ao fim de 14 anos de silêncio, mas a banda descarta qualquer hipótese de continuar o projeto.

Os Silence 4, que fizeram sucesso nos anos 1990, decidiram reunir-se para uma curta série de concertos, a pedido da cantora do grupo, Sofia Lisboa, depois de ter sobrevivido a uma leucemia.

A banda esteve mais de uma década sem tocar ao vivo, depois das últimas atuações em 2000, e a reunião deu-se no final de fevereiro no Instituto Português de Oncologia. Foi um pequeno concerto "explosivo a nível emocional", disse Sofia Lisboa em entrevista à agência Lusa. Seguem-se agora concertos em Ponta Delgada (no dia 15), Funchal (no dia 22 ), Guimarães (dia 29) e Lisboa (a 5 de abril).

São concertos para recordar o repertório de uma banda "transversal", "que achava que ia ser sempre pequenina, indie" e que acabou por vender mais de 300 mil exemplares dos únicos dois álbuns gravados. "Hoje nunca aconteceria", afirmou David Fonseca à Lusa.

Sofia Lisboa, David Fonseca, Rui Costa e Tozé Pedrosa andam a ensaiar há dois meses as canções que muitos fãs ainda saberão de memória: "Borrow", "My friends", "To give" e "Angel's Song". "São canções muito pessoais, muito agarradas a nós e ao que vivíamos na altura. Ainda hoje elas têm essa força e é incrível tocá-las outra vez daquela maneira. Estamos a tocá-las exatamente como elas eram, como as fizemos", adiantou David Fonseca.

 



O músico, que seguiu uma carreira a solo depois dos Silence 4, diz agora que o mais difícil nos ensaios com os outros três músicos é "não perder o tempo todo na galhofa". "O problema é que foram muitos anos em que não estivemos juntos como banda. E agora obviamente vêm muitas histórias, as histórias da vida de cada um e de coisas que se passaram na altura", disse.

A banda recua, assim, a dezembro de 2000, altura em que deu dois dois concertos nos coliseus de Lisboa e do Porto, considerados de despedida e que foram depois editados em CD e DVD.

Porque é que os Silence 4 acabaram? "Estávamos fartos daquilo tudo. Cansaço e saturação", responderam David Fonseca e Sofia Lisboa ao mesmo tempo. Ambos recordam que a banda, que começou por gravar uma maqueta - numa cassete amarela - no castelo de Leiria, viveu praticamente todo o tempo junta entre 1998 e 2001.

"A palavra de ordem dentro da banda era: Quando é que vamos todos de férias, uns dos outros especialmente? Quando é que saímos todos antes que isto exploda?", afirma David Fonseca. "Fomos de férias e nao voltámos mais. Basicamente foi isso. O entusiasmo e o prazer já não era o mesmo. Chegámos ao máximo e decidimos ir embora", disseram.

O regresso agora aos palcos faz-se acompanhar de uma "caixinha de memórias", com a reedição de toda a discografia dos Silence 4, incluindo algumas raridades: As oito canções da tal maqueta registada em 200 casssetes amarelas e uma versão de "Letter to Memphis", dos Pixies.

David Fonseca e Sofia Lisboa chamaram a este regresso uma "reunião de turma" para "celebrar uma coisa". "As nossas vidas são [hoje] muito diferentes. Não fazia sentido nenhum recuperar os Silence 4 novamente" para lá destes concertos, disse o cantor.

 

Retirado do Sapo Música

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.