Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

 

Letra

 

Arménio era um trolha d'areosa
Que tinha um par de olhinhos azuis
Que quando me fixavam no baile
Me punham, indefesa e tão nervosa

Arménio, tenho nas minhas gavetas
Aerogramas, cheios de erros de ortografia
Perfumados entre as minhas meias pretas
Aquelas que te punham, em estado de euforia

Arménio, fui a tua madrinha de guerra
Rezei por ti, longas novenas sem fim
Pra voltares, inteirinho e sem mandelas
Mas ficaste por lá perdido no caminho

Arménio, quantos sonhos e boleros
Prometeste, que me levavas a lisboa
Em junho, no dia dos meus anos
Bem sabes que a memória, é um atributo que tenho

 

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.