Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

 

 

Letra

Serras, veredas, atalhos,

fragas e estradas de vento,

Onde se encontram retalhos
De vidas em sofrimento


Retalhos fundos nos rostos,

Mãos duras e retalhadas
Pelo suor do desgosto,

Retalha as caras fechadas
O caminho que seguiste,

Entre gente pobre e rude,

Muitas vezes tu abriste
Uma rosa de saúde


Cada história é um retalho
Cortado no coração
De um homem que no trabalho
Reparte a vida e o pão
As vidas que defendeste,

E o pão que repartiste,

São lágrimas que tu bebeste
Dos olhos de um povo triste


E depois de tanto mundo,

Retalhado de verdade,

Também tu chegaste ao fundo
Da doença da cidade
Da que não vem na sebenta,

Daquela que não se ensina,

Da pobreza que afugenta
Os barões da medicina


Tu sabes quanto fizeste,

A miséria não segura,

Nem mesmo quando lhe deste
A receita da ternura.

 

Cada história é um retalho
Cortado no coração
De um homem que no trabalho
Reparte a vida e o pão
As vidas que defendeste,

E o pão que repartiste,

são a esperança que aprendeste 

nos olhos de um povo triste

 

 

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.