Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

 

Letra

 

Assim que saio de casa quero logo voltar
Não há nada lá fora, não encontro o meu lugar
Neste mundo cruel às vezes não sei qual é o meu papel

Os dias de adolescência há muito que já lá vão
Mas a minha persistência de o lembrar foge à razão
E quando dou por mim, estou-me a lembrar porque é que ainda não esqueci

E eu já tentei fazer parte deste mundo
E até andei perdido lá no fundo
Quando saí pensava que era diferente
Mas olhei para toda a gente e afinal continua tudo igual

Fecho a porta e a janela
Esqueço o que importa, e fico à espera
Decisões que não tomei, passos que não dei
Para onde irei? Não sei

E eu até já tentei fazer parte deste mundo
E até andei perdido lá no fundo
Quando saí pensava que era diferente
Mas olhei para toda a gente e afinal continua tudo igual
Continua tudo igual

Será que há alguém que me possa ouvir
E aconselhar-me para o que há-de vir?
Será que há alguém que possa chamar-me
À realidade e talvez lembrar-me

Que eu até já tentei fazer parte deste mundo
E até andei perdido lá no fundo
Quando saí pensava que era diferente
Mas olhei para toda a gente e afinal continua tudo igual
Continua tudo igual

credits

released October 12, 2016
Letra: Rés-do-Chão
Mistura e Masterização: Marco Cipriano

 

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.