Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

 

Letra

 


Lembras-te de quando ias mudar o mundo
P'ra ensinar-me tudo o que eu quis aprender
Quem sou eu p'ra te lembrar dessas cantigas
Quem sou eu p'ra te salvar do que vier

Eu sou o erro que não podiam prever
Cozinhar-me é juntar fome com a vontade de comer
Eu sou do tempo em que a batida era uma fé
E eu rezava dia e noite por viver

Eu sou o erro que não podiam prever
Cozinhar-me é juntar fome com a vontade de comer
Eu sou do tempo em que a batida era uma fé
E eu rezava dia e noite por viver

Puros querem-me afundar mas putos pedem mais um
Puro verso eu vim mudar o mundo espera lá no teu canto
Isto é p'a quem me inspirou tanto
Se eu canto é porque eu vi alguém tornar-se gigante

Fazendo rimas como querias neste espaço distante
Saudade pura com a loucura em que eu no fato vi pranto
Eu falo desse antro onde tudo o que é loop é tão repetição
Já esqueceste o que era fazer diferente irmão

Bom, eu vou na vibe lentamente
Nessa ride porque os pais, já não fazem o presente
Nigga sai não me agarres, já não é suficiente
Amparaste-te ao passado, 'tás parado no tempo

Amarrado no medo, cansado do mar que há em frente
Eu nado enquanto há sentimento
E se o barco vacilar com o vento
Eu não paro, eu sou o Sado, eu fui errado sempre

Eu sou o erro que não podiam prever
Cozinhar-me é juntar fome com a vontade de comer
Eu sou do tempo em que a batida era uma fé
E eu rezava dia e noite por viver

 

Não encontrei os créditos desta música

 

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email