Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

 

Letra

 

Se podia estar melhor é óbvio que podia
quanto mais etapas queimo mas elevo a fasquia
nunca dei um passo em falso sem aprender a lição
tenho o curso da vida essa a minha formação
deram-me uma tábua e eu trouxe-a sem pregos
mas já vinha esburacada não apagava os meus erros
com pouco sabes que lanço os foguetes e ris-te á brava
mas quando estou em baixo confesso-me na madrugada
e não me vês quando saio estou sempre na tanga
quero-te ver a rir como um puto ri-se do Panda
ando farto do drama surpreende-me com algo freco
fazes truques com a bola só não a metes no cesto
há que ser pragmático e positivo
fala-me do amanhã que o resto é tempo perdido
para mim só a Natureza não merece explicação
aprendi a ouvi-la por isso não falo em vão

Falo-te a brincar mas rimo-te a sério
para matar o tédio rir é o melhor remédio
esta bipolaridade faz de mim um ser único
continuo lúcido apesar de ser músico
Falo-te a brincar mas rimo-te a sério
para matar o tédio rir é o melhor remédio
esta bipolaridade faz de mim um ser lúcido
continuo único apesar de ser músico

Tenho um tecto amor e a benção de ser eu
agarro a vida em homenagem a quem morreu
não me fixo na palha dedico-me a causas nobres
quanto mais procuras a agulha mais te fodes
bebe este poema como um néctar divino
não fales comigo olha para o que eu digo
nas letras não sou um palácio nem tu um boi
o que é que foi?não faças de mim vedeta
estuda mais que eu estudei chora menos que eu chorei
um sapo de dia um príncipe em casa no palco o rei
não agradeço o vosso apoio sem desculpar o meu feitio
aprendi na retranca a falsidade fez-me frio
troco o elogio fútil pela crítica sincera
mostra que és um indivíduo não o que pensa a tua gera
na diferença da partilha caminhamos num só trilho
da discussão vem a luz e eu preciso desse brilho

Falo-te a brincar mas rimo-te a sério
para matar o tédio rir é o melhor remédio
esta bipolaridade faz de mim um ser único
continuo lúcido apesar de ser músico
Falo-te a brincar mas rimo-te a sério
para matar o tédio rir é o melhor remédio
esta bipolaridade faz de mim um ser lúcido
continuo único apesar de ser músico

 

Autoria: B.Xavier/R.Sá/C.alexandre/N.Carneiro

 

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email