Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

 

Letra

 

A imortalidade da minha ausência na tua vivência
A invisibilidade da minha presença num lugar comum
Recorro à pena da minha sentença pra ser só mais um
Venero a condição de quem tem liberdade, liberdade vital
A minha sorte muda quando fecho os olhos
E imagino a vida a chamar por mim

Há aqui diferenças, repara em mim agora
Assim na selva, repara em mim agora
Dois mundos diferentes, estás ausente do meu
Estou aqui no escuro, repara em mim agora
A compatibilidade das nossas diferenças
são meras ciências
A continuidade da tua regência imune ao amor
Recorre à falta de clarividência na tua experiência
Argumenta o choro da minha existência com falsa inocência

A minha sorte muda quando fecho os olhos
E imagino a vida a chamar por mim
Há aqui diferenças, repara em mim agora
Assim na selva, repara em mim agora
Dois mundos diferentes, estás ausente do meu
Estou aqui no escuro, repara em mim agora
Repara em mim agora, agora, agora

Porque eu só queria olhar-me na Tv pra ver o que tu vês
Endireitar a dor, secar a minha face
pra ver a outra face do escuro
Há aqui diferenças, repara em mim agora
Assim na selva, repara em mim agora
Dois mundos diferentes, estás ausente do meu
Estou aqui no escuro, repara em mim agora

 

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.