Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

 

Letra

 

Chegou ao ponto em que eu já acho engraçado quando vens com essas mãos a tremer
Ver-te todo engasgado e eu a tentar perceber
Eu digo woohoo, woohoo, já não, já não há pai p'ra mim

Ouvi dizer que no teu sonho molhado as minhas ligas dão p'ra endoidecer
Se o teu papel é de homem desesperado,
Eu sou Mulher-Armadura:
Eu não quero saber

Eu digo woohoo, digo woohoo, já não, já não há pai p'ra mim.

Má sorte és tijolo e eu sou bolo sou diversão
Contrato assinado, estrelato, envergadura, e todas as cartas na mão
Vem depois dizer "acontece, vida dura, estrutura de base..."
Que eu não vou ouvir...
Numa tempestade eu sou trovão!

De trigo limpo e de farinha amparo eu disparo até ser de manhã
Há quem ressone quem se encoste p'ro lado
Quem tricote quem esmoreça
Mas não aqui a Mamã!

Eu digo woohoo, digo woohoo, já não, já não há pai p'ra mim.

Má sorte és tijolo e eu sou bolo sou diversão
Contrato assinado, estrelato, envergadura, e todas as cartas na mão
Vem depois dizer "acontece, vida dura, estrutura de base..."
Que eu não vou ouvir...
Numa tempestade eu sou trovão!

Já paravas sei que engraças comigo
Até compravas tu engraças comigo
Tu namoras mas engraças comigo
Tu adoras tu engraças comigo

 

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email