Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

 

 

É com alguma tristeza que vos comunico que os MAU vão parar por tempo indeterminado.

Nunca é fácil tomar uma decisão destas, afinal são 11 anos das nossas vidas. 11 anos de partilha, de gente que temos como família, de criação, de estrada, de muito sacrifício e de muitas alegrias, quase nenhuma delas relacionada com dinheiro. :)


A culpa não é da industria, não é de quem nos ouve, não é de quem nos promove ou partilha…É nossa. É culpa das nossas frustrações, da nossa impaciência, do nosso desconforto, da nossa saturação com um prazer incontrolável de viver a música, mas que tantas vezes se torna amargo.

Se és verdadeiro no que fazes, o momento de criação tende a ser doloroso. Quando começas a não encontrar estimulo para passar por esse processo psicologicamente penoso, deixas de ter vontade de o fazer. Foi o que aconteceu. Não existe outra justificação.


Obrigado a todos pelo apoio que demonstraram ao longo dos anos. 
Não teríamos insistido nisto durante tanto tempo sem vocês. 
Seria complicado agradecer individualmente a toda a gente que de uma forma ou de outra nos ajudaram neste caminho que se refletiu em 4 discos dos quais nos orgulhamos (uns muito mais do que outros), contudo há algumas pessoas que não podem deixar de ser celebradas. As nossas incrivelmente pacientes famílias; os nossos eternos managers Nuno Sampaio e Luis Benard da Costa; aos amigos que se seguiram na ajuda à organização da banda, David Martins, Joana Dias, Maya Angelou e Bruno Freitas; todos os elementos que fizeram parte no passado da formação dos MAU, Pablo Camp, Shir Comay, Pia Mechler, Jonas Jessen, António Soares, César Gomes, Alex Zuk e Pedro Oliveira; e às duas rádios que teimosamente sempre acreditaram em nós e passaram as nossas músicas, mesmo quando estas fugiam à ditadura do “radio friendly”, a Antena 3 e a Vodafone FM . 
Um agradecimento especial aos meus atuais parceiros de estúdio e palco, Eliana Fernandes, Carlos Costa e Paulo Silva. Continua a ser um privilégio contar com o vosso talento, poder tocar convosco e, acima de tudo, ter-vos como amigos. 
Por último, um abraço forte de gratidão absoluta em forma de palavras ao mais perseverante, igualmente talentoso e ainda mais generoso elemento da banda, que me acompanha há 11 anos nesta casmurrice boa de fazer o que mais se gosta. Fica a saber que quando não tenho vontade de ensaiar, é lembrar-me que me vou encontrar com um dos meus melhores amigos em estúdio que me faz sair de casa. Ainda que não seja nos MAU, continuaremos a fazer musica juntos. Tem de ser, Nuno W. Lamy.


Guardamos o resto das despedidas lamechas para dia 5 de Setembro nos Olivais, data do último concerto dos MAU. Esperamos encontrar-vos por lá. ;)


Aqui vos deixamos um tema inédito nosso e que nos parece apropriado para fechar esta história. Chama-se “Warm” e está disponível para download gratuito. Aproveitem.

https://soundcloud.com/m-a-u/warm

Passou depressa. Obrigado por tudo.

Luís

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email