Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

25 Jun, 2016

NTS - Fogo Cruzado

 

Letra

 

Eu tenho o lado esquerdo inferior do corpo meio adormecido
dado um tiro que me foi oferecido, mesmo sem ter merecido,
porque eu não estava a pagar por nada, porque eu não fiz nada de mal
nada aconteceu ao guarda, sê bem vindo a Portugal
onde é crime os maus tratos a animais
mas touradas são legais
como venda de substâncias alteradas, faturadas como sais
retiradas do mercado depois das vítimas mortais
são ideiais que são más ideias
mas todos obedecem à rainha neste enxame de abelhas

Caro amigo , eu não queria ouvir o seu perdão
Caro amigo , nem sequer uma justificação
Deveria eu ter saltado ou puxado travão de mão
teria eu evitado ser alvejado por quem tinha a arma na mão?
é fácil comentar e apontar mesmo sem fundamentação
difícil é parar e imaginar o seu filho na mesma situação

porque é tudo tão frágil na casa do vizinho
na nossa não há fome, só amor e carinho
levem as telhas, venham telhados de vidro
a lua vem, a lua vai e não há um sem estar partido


Caro amigo está a sangrar, vidros plo ar, acabou por se cortar
pede um pano pra se limpar, empunha a arma no ar
carrega no gatilho varias vezes numa de se justificar
que não está a disparar, está travada
mas o que quer isso dizer? que não fui vazado por uma bala?
que a dor que estava a sentir, não era real, estava a encená-la?
Era ilusão o sangue que tinha na minha camisola?

Não!
Isto é só um excerto, a história fica para mais tarde
Deixa a poeira assentar
Deixa o tempo passar para me sentir à vontade
é que para já o pensamento leva-me ao momento e sinto a cabeça girar como os carrosséis na feira popular

Preciso de respirar, da me espaço
Estou numa bolha de ar, prestes a rebentar, a ceder ao cansaço
Os ouvidos tapados pra que eu próprio não oiça
tenho tanta coisa na cabeça e não tenho cabeça pra tanta coisa

É que quem conta um conto acrescenta um pronto
E toda gente sabe
Uma mentira contada mil vezes acaba por se tornar verdade
E o puto que tinha roubado um chocolate no supermercado
Na boca do povo já é membro duma rede de crime organizado

Eu corto a palavra a quem quer palavreado
E não sabe o peso de casa frase
Como quem diz que ganhei respeito com todo o estrilho
Vai dizer isso ao meu pai que quase viu morrer o seu filho

 

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email