Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

mucho flow.png

 

Mucho Flow com cartaz fechado

Bo Ningen, Captain Boy, DJ Lynce, Joana Guerra, Lourenço Crespo, Radioscope#2 de Jorge Quintela e Sallim juntam-se aos já anunciados Blank Mass, Bruxas/Cobras, Memória de Peixe, Naked, Nite Jewel e Toulouse

 

Depois de três edições, o Mucho Flow regressa em força para mais um sprint musical, dia 8 de Outubro, no CAAA – Centro para os Assuntos da Arte e Arquitectura de Guimarães. Mais de 12 horas de música, onde se juntam, agora, à electrónica saturadíssima de Blanck Mass, à pop elaborada de Nite Jewelou à versão em loop dos Memória de Peixe, o rock em noise dos Bo Ningen, os cancioneiros pop de Captain Boy, Lourenço CrespoeSallim, passando pela sonorização visual de Radioscope#2e a pós-festa de sempre de DJ Lynce, num total de 13 nomes que vão definir a nova pop.

 

Depois de apresentar nomes como Girl Band, Bitchin Bajas, Amen Dunes ou Filho da Mãe & Ricardo Martins, o Mucho Flow regressa última remessa de confirmações que define o evento como uma paragem obrigatória.

 

As actuações têm início às 15h, na rua junto ao CAAA (Rua Padre Augusto Borges de Sá) e continuam a partir das 18h até noite dentro nos dois palcos interiores. O Mucho Flow volta, assim, a proporcionar, em primeira mão, oportunidades para ouvir os próximos lançamentos de Joana Guerra, Toulouse (ambos a sair pela Revolve), Naked, Nite Jewel, Memória de Peixe ou Bruxas/Cobras, novo projecto de Ricardo Martins e Pedro Lourenço.

 

Os bilhetes, já à venda em ticketea.com, custam 10€. Os concertos no palco exterior são de acesso gratuito.

 

Cartaz completo:

Bo Ningen
Taigen Kawabe, Yuki Tsujii, Kohhei Matsuda e Monchan Monna são os quatro elementos desta banda japonesa formada em Londres que traz a Guimarães o seu poderoso noise rock no ano em que lançaram “Kizetsu No Uta/I Live in Paris”.

 

Sallim
Com uma voz límpida e vigorosa, Sallim (Francisca Salema) partilha a sua procura constante de um lugar certo no mundo, entre letras tenras de vivências e angústias suasm em músicas que evocam viagens de comboio à beira-Tejo. “Isula” - o seu primeiro longa-duração, editado pela Cafetra - é uma obra una e circular de canções cuidadas das quais se fica cúmplice num ápice. A voz é acompanhada pela guitarra e por sons de objectos quotidianos, aos quais se juntam os arranjos de guitarra do músico e amigo Yan-Gant Y-Tan.

 

Captain Boy
Captain Boy é o alter-ego de Pedro Ribeiro. É um puto com pés grandes, vagabundo com voz rouca e guitarra que canta histórias que transcendem o tempo. A sonoridade ferrugenta acompanha-o em todas as actuações, remenentodo-nos para um ambiente intimista, como se estivéssemos a bordo de um barco imaginário. Lançado em Abril deste ano, “Tango” é o primeiro single do seu primeiro álbum que será lançado em breve, sucessor do primeiro EP, editado em 2015, e que atingiu o primeiro lugar do top da plataforma Tradiio.

 

Lourenço Crespo
Fazendo parte de projectos como Kimo Ameba, 100 Leio, Éme, Iguanas, desta vez Lourenço Crespo apresenta-se a solo, com muitas qualidades na bagagem. Aprendeu com B Fachada, com quem já tantas vezes trabalhou, aprendeu com as colegas Pega Monstro ou com Éme - a quem ofereceu as linhas de teclado que arquitectam a maior parte do “Último Siso” - e, em “Nove Canções”, tudo parece fácil para ele. Uma actuação que será só dele, mas partilhada com todos nós.

 

Joana Guerra
Voz e violoncelo. Voz doce em cima do som do violoncelo, desenhando sons leves, frescos, doces e bons, que tanto parecem versões frágeis e acústicas de melodias pop, como arrojadas estruturas de câmara contemporâneas. Com músicas compostas e interpretadas por Joana Guerra, na voz e no violoncelo, o seu álbum de estreia - “Gralha”, editado em 2013 - contou ainda com a participação de Ricardo Ribeiro, nos arranjos para clarinete baixo e de Monsieur Alix Sarrouy e Nuno Moura, autores das letras de dois temas.

 

Radioscope#2 de Jorge Quintela
Depois de Radioscope#1, Jorge Quintela traz-nos a sequela do projecto de modulação de vídeo analógico através de frequências audio. Formado em fotografia e audiovisual, Jorge Quintela trabalha em cinema como realizador e director de fotografia, tendo sido premiado em alguns festivais nacionai e internacionais e apresenta, no Mucho Flow, o seu universo paralelo com uma instalação vídeo e uma performance de música experimental.

 

DJ Lynce
Com uma flexibilidade felina em cada set, DJ Lynce (Pedro Santos), membro do colectivo Faca Monstro, tem a missão de encerrar o Mucho Flow 2016, à semelhança do que aconteceu em todas as edições anteriores. Saltitando sabiamente entre o techno, o house, o noise e ritmos quentes, haverá festa até desligarem a electridade, literalmente.

 

Nite Jewel
Projecto a solo de Ramona Gonzalez – volta a Portugal, no âmbito do novo trabalho “Liquid Cool”, lançado em Junho pela Gloroette Records. Depois do muito bem recebido “One Second of Love”, lançado em 2012, o novo disco é composto por nove temas produzidos inteiramente por Nite Jewel, que exploram a solidão num mundo super lotado e desconectado e vêm de Los Angeles até Guimarães para entrarem de uma forma incisiva nos ouvidos e nas mentes de cada um de nós.
Memória de Peixe
Estão de volta com “Himiko Cloud” (com selo Cultural Trend Lisbon),depois de excelentes críticas nacionais e internacionais ao primeiro disco. O novo álbum, a ser lançado em Outubro, é uma viagem cósmica inspirada num espaço remoto e misterioso do cosmos, levada a cabo por Miguel Nicolau (guitarra) e Marco Franco (bateria) e será apresentado em ante-estreia no Mucho Flow.
Bruxas/Cobras
O mais recente projecto do músico e designer Ricardo Martins (Adorno, Cangarra, Filho da Mãe, Jibóia) e do músico e ilustrador Pedro Lourenço (Sei Miguel). O tema “Mandrake” desta dupla de bateria e baixo integrou a edição deste ano da compilação “Novos Talentos FNAC” e está a ser preparado um álbum para ser editado ainda este ano.
Blanck Mass
Projecto a solo de Benjamin John Power dos Fuck Buttons que conta com dois discos editados pela Sacred Bones, mais notoriamente o “Dumb Flesh”, um dos álbuns mais aclamados de 2015.
NAKED
Trio escocês de pop experimental, com o muito antecipado primeiro longa duração a ser lançado em Setembro foi produzido por Paul Corley (que também trabalhou com Oneohtrix Point Never, Ahnoni e Ben Frost). Estreia absoluta em Portugal.
Toulouse
Os putos vimaranenses regressam ao festival onde deram o seu primeiro concerto e serão certamente catapultados para o resto do país, com o primeiro álbum a sair Setembro com o selo
Revolve.


Sobre o Mucho Flow


criado pela Revolve, em 2013, de forma independente, contando agora com o apoio da Câmara Municipal de Guimarães, pretende celebrar a autenticidade e experimentalismo de culturas e movimentos emergentes no mundo da música, associando-se a bandas e editoras mais estabelecidas ou mais marginais nacionais e internacionais. Amen Dunes, Girl Band, Circuit des Yeux, CAVE, Bitchin' Bajas, Filho da Mãe & Ricardo Martins, são alguns nomes que já passaram pelo festival ao longo das suas edições.

 

 

Links:

www.facebook.com/events/868981713236603

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email