Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

 

 

Letra

No Secundário já bem em baixo
Deixa-me lá ver em que curso me encaixo
Algo que me deixe assim meio-alegre
E quem sabe no fim, até me empregue
Com os meus pais sempre a dizer:
'Vê lá bem meu filho no que te estás a meter'
Não se preocupem não há-de ser pior
Daqui por três anos o país está bem melhor

Oh meu, o que é que andas para aí a dizer
Que em Portugal já não há nada para fazer
Se não lutas pelo teu próprio (E)estado
Bem podes deixar o canudo de lado
Oh meu, o que é que andas para aí a dizer
Que em Portugal já não há nada para fazer
Eu também sou mais um desempregado
Viva Portugal o país do licenciado

Entrei na pública num curso bem interessante
Mas as praxes são o mais importante
Vida académica por aqui e por ali
Mão direita na cerveja: é pénalti!
E já só vejo livros à minha frente
De política nem falo, isso é para gente inteligente
Acho que nas últimas nem fui votar
Eu queria era não ter de as propinas pagar

Oh meu, o que é que andas para aí a dizer
Que em Portugal já não há nada para fazer
Se não lutas pelo teu próprio (E)estado
Bem podes deixar o canudo de lado
Oh meu, o que é que andas para aí a dizer
Que em Portugal já não há nada para fazer
Eu também sou mais um desempregado
Viva Portugal o país do licenciado

Eh eh tenho o canudo do meu lado
Agora sou senhor doutor, licenciado
E porta-a-porta vou bater
Já passaram três anos, deve haver algo para fazer
Mas os patrões mandaram-me passear
Dizem que dois anos de mestrado é o que está a dar
Mas isso não posso pagar nem a prestações
Deixa-me lá tentar o euromilhões

Oh meu, o que é que andas para aí a dizer
Que em Portugal já não há nada para fazer
Se não lutas pelo teu próprio (E)estado
Bem podes deixar o canudo de lado
Oh meu, o que é que andas para aí a dizer
Que em Portugal já não há nada para fazer
Eu também sou mais um desempregado
Viva Portugal o país do licenciado

Mas se eu soubesse no que me estava a meter
Podes crer que tinha olhado para o meu curso
E podes crer que tinha olhado para os meus custos
E podes crer que tinha ido às manifestações
E até tinha votado nas últimas eleições
E podes crer que tinha olhado para o meu estado
E descoberto que era um futuro desempregado

Lára tatatata Lára tatatata…

Oh meu, o que é que andas para aí a dizer
Que em Portugal já não há nada para fazer
Se não lutas pelo teu próprio estado
Bem podes deixar o canudo de lado
Oh meu, o que é que andas para aí a dizer
Que em Portugal já não há nada para fazer
Eu também sou mais um desempregado
Viva Portugal o país do licenciado
 
Mas Viva Portugal
Dos Licenciados...

 

Letra, música e acordes: Martim Vicente

Acordes:

Lá menor, Sol maior, Fá maior e Sol maior.
Refrão: Dó maior e Sol maior


Letra:
País dos Licenciados

 

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email