Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

 

Letra

 

Nunca tive tanto amor p'ra oferecer
E sem ter a quem o dar vivo tão triste
Já nem percebo se é dor ou se é prazer
O que sinto ao recordar quando partiste
Já nem percebo se é dor ou se é prazer
O que sinto ao recordar quando partiste


Sinto ter chegado ao fim e no entanto
Sei que o fim volta ao início para nós
E que vai nascer em mim e no meu canto
Esta dor que é o meu vício e minha voz
E que vai nascer em mim e no meu canto
Esta dor que é o meu vício e minha voz


Hei-de por os teus lençóis na minha cama
Para quando adormecer longe de ti
Lembrar que uma vida a dois para quem ama
É razão p'ra se viver como eu vivi
Lembrar que uma vida a dois para quem ama
É razão p'ra se viver como eu vivi


E se hei-de entregar ao fado o nosso amor
Este amor que terminou ao começar
Mesmo que eu esteja calado e sem compor
É no fado que eu me dou por te adorar
Mesmo que eu esteja calado e sem compor
É no fado que eu me dou por te adorar

 

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email