Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

 

 

Letra

 

O tempo não espera pela gente mas eu espero por ti
O tempo quer ser indiferente, só eu te quero aqui
Por mais que eu te diga, mesmo que eu consiga
O tempo não espera por mim
O tempo não espera pela gente se não fugirmos daqui.

Sei que não vai ser diferente, só por dizer que sim

Querer-te despida, na pele de rendida
No meu tempo, não era assim
Mas por mais que a vida, não cure as feridas
O tempo irá curar por si.

Não sou de ferro,
Nem tenho armas,
Apenas a música para ti.
Porque eu também choro,
Quando me desarmas,
E agora canto o que perdi.
Porque houve um tempo em que eu te tinha só para mim.

Querer-te despida, na pele de rendida
No meu tempo, não era assim
Mas por mais que a vida, não cure as feridas
O tempo irá curar por si.

Não sou de ferro,
Nem tenho armas,
Apenas a música para ti.
Porque eu também choro,
Quando me desarmas,
E agora canto o que perdi.
Porque houve um tempo em que eu te tinha só para mim.

Só para mim...

Não sou de ferro,
Nem tenho armas,
Apenas a música para ti.
Só espero que o tempo te traga... até mim.

 

Letra e Música/Lyrics and Music: Diogo Piçarra

 

Com o meu agradecimento à Caitlin pelo envio da letra

 

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.