Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

 

Letra

 

Música feita apenas com vozes, sem recurso a qualquer instrumento, virtual ou não.

Eu vou até ao fim do mundo
Dá-me um só segundo, eu...
Provo que é possível lá chegar
Tudo o que é difícil, quer um sacrifício
Cabe a ti a vontade de o dar
Eu vou até ao fim do mundo
Dá-me um só segundo, eu...
Provo que é possível lá chegar
Tudo o que é difícil, quer um sacrifício
Cabe a ti a vontade de o dar

Eu estava preso nos 14 ao futuro com ambiçoes
De fazer a minha música faltavam condiçoes
Mantive o sonho em segredo só com duas opçoes
Ou me foco no objetivo ou sou carne para canhoes
Comecei por pegar nos fones do Walkman
E o microfone que havia era de falar no MSN
E dei por mim a querer a inteligência nos pés
Mas é a tua vontade que faz aquilo que tu és
E se nao havia meios para atingir os fins
Eu fazia PopFilter's com meias e carapins
A gravar quase sentado por culpa do comprimento
Do fio dos meus fones que nao era suficiente
Velhos tempos e assim mais de um ano
A fazê-lo por gosto pela música que eu Amo
E nunca estive a espera que alguém me desse crédito
Porque sou o primeiro a reconhecer o meu mérito

Eu vou até ao fim do mundo
Dá-me um só segundo, eu...
Provo que é possível lá chegar
Tudo o que é difícil, quer um sacrifício
Cabe a ti a vontade de o dar
Eu vou até ao fim do mundo
Dá-me um só segundo, eu...
Provo que é possível lá chegar
Tudo o que é difícil, quer um sacrifício
Cabe a ti a vontade de o dar

Cheguei a um ponto em que já nao aguentava
A cabeça nao para mas o material nao dava
Focado no objetivo de ir espalhando a palavra
Com duas opçoes: Agia ou Chorava
Defini prioridades pronto para assumir o risco
Vendas sem contrato longe do olhar do fisco
Vasculhei a casa em busca de coisas antigas
Material de som e quatro pares de sapatilhas
Nao rendeu muito mas ganhei o suficiente
Para agora poder dizer que tenho um material decente
Desmotivado por nao ter produtores
Até ver que com a boca eu faço instrumentais melhores
Falta isolar o quarto e fazer dele o meu estúdio
Procurei orçamentos, e fiquei estupido
Mas a mente nao para e durante dois meses
Troquei a tinta por colchoes e cortiça nas paredes

Tal como tu em vao, ja senti a voz rouca
O truque é fazer por amor nunca deixar que ele morra
Se queres um Saxofone e ves que a pasta é pouca
Procura imitá-lo com a boca

Eu vou até ao fim do mundo
Dá-me um só segundo, eu...
Provo que é possível lá chegar
Tudo o que é difícil, quer um sacrifício
Cabe a ti a vontade de o dar
Eu vou até ao fim do mundo
Dá-me um só segundo, eu...
Provo que é possível lá chegar
Tudo o que é difícil, quer um sacrifício
Cabe a ti a vontade de o dar

 

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email