Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

 

Letra

 

Refrão

Nossos heróis todos morreram
da sobra até queremos escola
da paz queremos pão
queremos educação
dignidade em Angola queremos
 
Para que horizonte nós andamos
não vejo um objetivo seguro no crescer dos angolanos
só vejo o povo atordoadamente frustrado
recluso da ignorância e medrosamente amarrado
Já não se espera que se faça alguma coisa
apenas andamos, os nossos corações perderam força
vemos crescer a riqueza descomunal
por saqueadores que nunca viram a porta de um tribunal
Educação há muito que a gente deseja
no lugar disto oferecem-nos fábricas de cerveja
para nos matarmos nas barracas em festas
enquanto eles contam os milhões e ativam as transferências
dos balúrdios em contas estrangeiras
E nós aqui sufocados como peixes na beira
É assim que realmente estamos
reivindicamos entre nós ou cochichamos lá nos cantos
 
A comunicação só manipula
desviam-nos a atenção da maneira mais astuta e absurda
implantaram nas nossas cabeças a ideia da riqueza fácil
e obter ganhos às pressas
fatores que só estimulam a ilegalidade,
bloqueando a passagem para a era da equidade
Ambição até nas relações humanas
ninguém faz nada por ninguém
sem que se mostre a grana
Tenham compaixão desta gente acabada
Tenham compaixão desta gente desafortunada
que apenas quer o pão na mesa
e parem de olhá-los como mero sinónimo de miséria
E a espera continua, 
os bolsos vazios destes homens,
a pele da criança nua
cujo tronco nunca viu uma blusa, 
os pés já estão cansados
de tanto andar pelas ruas
 
Existe a nova geração partidária,
estão convosco, militam, podem contar com os seus votos,
mas não por ideologia nem por gosto,
eles só fazem porque carregam o partido no bolso
Aprenderam a bajular quem está por cima,
a influência, o tapete nos corredores da micha
e esta micha só obedece ao cifrão
mergulha na corrupção e ri da Constituição
O detentor assiste à peça da varanda,
o que adianta ter tanto poder para não fazer nada,
de que adianta desenhar a dita união tão desejada
e permitir que se faça tanta borrada
ou será que isto é parte de um plano
para dividir o país entre senhorios e escravizados
As leis não passam de páginas e artigos,
tento ver seriedade nos nossos mas não consigo,
jovens sonham com cargos já com o objetivo de roubarem
sem serem penalizados
a impunidade é um conhecido ângulo,
quem rouba enriquece e depois é protegido pelos anjos
 
Refrão
Hoje está chovendo a rodos,
canucos jogando à bola nesse canto que é de todos
a todos que eu venho pedir
para não se esquecerem de Angola
a todos que eu venho pedir
para não se esquecerem de Angola
 

 

Letra enviada pela Nadine, muito obrigado 

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.