Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

joaoafonso.jpg

 

Com o Outono, chegam à Sons Vadios as sonoridades lusófonas de “Sangue Bom”, o mais recente álbum e projecto musical de João Afonso. Com uma carreira internacional desde 1994, o cantautor nascido em Moçambique é actualmente a expressão máxima da Lusofonia, com uma fusão natural entre a música urbana africana e a música popular portuguesa, esta última por influência do seu tio José Afonso. Um concerto a fervilhar de ritmo e a não perder de ouvido!

 

Neste novo espectáculo, João Afonso dá voz às narrativas de Mia Couto e de José Eduardo Agualusa, num trabalho que junta três histórias de vida, em que as palavras e a música se fundem em canções de amizade, de fraternidade e de amor. O cruzamento cultural entre Portugal, Angola e Moçambique, inventando um novo território, onírico, traduzido nas diversas colaborações entre autores e músicos. Em concerto, à voz e guitarra de João Afonso, junta-se Vítor Milhanas (baixo, voz e arranjos), Mário Santos (bateria), Miguel Fevereiro (guitarras e voz) e António Pinto (guitarras e voz), sendo a próxima apresentação já no dia 20 de Outubro, no âmbito do FOLIO – Festival Literário Internacional de Óbidos.

Com uma vasta discografia de composições próprias, João Afonso é uma voz singular no panorama nacional, com uma forte marca autoral, que se distingue pelo lirismo das melodias e poesias. Em “Sangue Bom” renova o seu espírito criativo, convidando-nos a viajar pelas paisagens sonoras de uma Lusofonia por (re)descobrir.

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.