Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

 

 

Letra

[instrumental]

Fui à fonte beber água,

Achei um raminho verde;

Quem o perdeu tinha amores,

Quem o achou tinha sede.

Dá-me uma gotinha de água,

Dessa que eu oiço correr!

Entre pedras e pedrinhas

Alguma gota há-de haver.

Alguma gota há-de haver,

Quero molhar a garganta;

Quero cantar como a rola,

Como a rola ninguém canta.

[instrumental]

A água da fonte corre Limpa, clara, fresca e pura: Assim correm os meus olhos Para a tua formosura.

Dá-me uma gotinha de água, Dessa que eu oiço correr! Entre pedras e pedrinhas Alguma gota há-de haver.

Alguma gota há-de haver, Quero molhar a garganta; Quero cantar como a rola, Como a rola ninguém canta.

 

Letra e música: Popular (Alentejo) Orquestração e arranjo: António Prata Intérprete: Ronda dos Quatro Caminhos* & Rancho de Cantadores de Aldeia Nova de São Bento com a Orquestra Sinfónica de Córdoba (in CD “Terra de Abrigo”, Ocarina, 2003)

 

Fonte A viagem dos argonautas

 

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email