Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

 

Letra

 

Navegante do Dark Side, chamam-me Luke Skywalker
Do grande clã Jedi venham mais motherfxckers
Viajo pela night, sozinho ou com a tropa
A força tá comigo, a mim ninguém me toca
Ou derrota, nota, tá escrito no céu
Tocar em mim é como tocar na menina do olho de Deus
A.Z.B (Azinhaga do Barruncho) Bitch, B, Béu
Mano neste mundo não há juiz, não há réu
Eu não vou onde vais, eu não vim da tua escola
Aqui na minha turma há chumbo a toda a hora
Quem não corre cai, rotina é vender droga
Niggas querem bairro, bebida e batota
Eu queria dar o fora daqui
Mas eu sei que o diabo não me quer deixar fugir
O fim desse filme eu já vi...
É a minha cara numa camisa que diz R.I.P.

Não bebo enquanto escrevo nem gasto gota num sonho
Estou sóbrio, passeio pela galáxia em ponto morto
Faço um desvio em Urano, com vontade de urinar
Deixo o OVNI estacionado com o motor a trabalhar
Um gole de obsessão é uma ponte para o outro lado
O nevoeiro não me deixa ver o fundo, mas eu salto
A noite é o meu buraco, o meu nome é Ninguém
O silêncio é ausência de sossego também
Poesia é a formalina onde fecho a morbidez
Não tenho alter-ego já o matei mais que uma vez
Já conheço humanos o diabo não me convence que é ruim
Exercício moral difícil lidar com o mal que não está em mim
Sensação que acordo sempre do lado errado da cidade
Danço no escuro com um morto-vivo amigo bipolar
Levo a lucidez passear à noite de carro funerário
Imagina o mundo ao contrário, eu vivo em baixo

 

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email