Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

deborarodrigues.jpg

 

 

“Fado no Coração” é editado no dia

 

30 de Outubro

 

Para quem não conhece o trabalho ou a voz de Débora Rodrigues, pode pensar que é mais uma das novas vozes do fado. No entanto, este trabalho é o culminar de mais de duas décadas de dedicação ao fado.

 

No dia 30 de Outubro é editado “Fado no Coração”. Este disco tem uma história curiosa, foi gravado durante várias sessões entre 2007 e 2008, mas é editado agora em 2015. Não é o seu disco de estreia, mas é o primeiro trabalho a chegar ao mercado. Os anos passaram e Débora Rodrigues amadureceu algumas ideias e sentiu necessidade de interpretar outros poemas, assim como regravar todas as vozes, o que aconteceu em Abril e Maio de 2015 no estúdio VBM com Rui Fingers.


Nestes anos, Débora cresceu, tal como o seu fado. Não podia ter encontrado título melhor que “Fado no Coração porque foi precisamente fado que começou a cantar ainda em pequena quando se estreou no Teatro, levando-a mais tarde a vários palcos do mundo e a integrar o elenco de quase todas as grandes casas de fado - onde teve oportunidade de conviver e ser acompanhada por muitos dos nomes maiores desta canção portuguesa. “Fado no Coração”:porque o amor é um dos seus temas de eleição e que está bem presente no seu fado, na sua música, no seu coração e no dos amigos que foi fazendo ao longo do caminho neste meio tão vasto, especialmente Tó Moliças que a acompanhou e para ela escreveu durante vários anos, a quem dedica este trabalho.

 

O seu repertório assenta no fado tradicional, contando com alguns fados e poemas originais escritos para si e dois poemas da sua autoria: Lua Carmim e Amar-te. Canta ainda poemas de Fernando Pessoa, Carlos Conde, António Rocha, Tó Moliças, Fernando Pérez, Mário Rui Pereira e Carlos Macedo, em composições de Alfredo Marceneiro, Filipe Pinto, Jaime Santos, Armando Machado, Miguel Ramos, Frederico de Brito e Fernando Silva.

 

“Fado no Coração” inclui os duetos Hino por Nós com José Cid; Era com TóZé Brito da autoria do próprio e Chama-me Doido uma Doida em desgarrada com Miguel Ramos, cuja voz foi também gravada nestas últimas sessões de estúdio.

 

Há Quanto Tempo Não Canto, um poema de Fernando Pessoa, é o single de apresentação.

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email