Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

 

Letra

 

Nas ruas de Lisboa 
Meu fado insulano 
Ondas do mar soberano 
Num compasso de lonjura 
Meu canto ainda ecoa 
No cais das descobertas 
Destas rotas tão incertas 
Só meu fado ainda perdura 
Ó saudade, sentimento, solidão 
O meu fado vagabundo 
Prisioneiro de um desejo 
Ó saudade, sentimento, solidão 
Ondas do mar tão profundo 
Que querem beijar o Tejo 
Sonhei que uma ganhoa 
Cruzava o Bairro Alto 
Deste inquieto sobressalto 
Se fez a minha viagem 
D'Alfama à Madragoa 
Percorro a tua esteira 
Vem canoa baleeira 
Arpoar uma miragem 
Ó saudade, sentimento, solidão 
O meu fado vagabundo 
Prisioneiro de um desejo 
Ó saudade, sentimento, solidão 
Ondas do mar tão profundo 
Que querem beijar o Tejo

[instrumental]

Nas vozes de veludo 
Que a noite insinua 
Vem rasgar doce falua 
Meu amargo cancioneiro 
Lisboa e Tejo e tudo 
Quimera, desengano 
Este meu canto profano 
Há-de ser teu prisioneiro 
Ó saudade, sentimento, solidão 
O meu fado vagabundo 
Prisioneiro de um desejo 
Ó saudade, sentimento, solidão 
Ondas do mar tão profundo 
Que querem beijar o Tejo 
Ó saudade, sentimento, solidão 
O meu fado vagabundo 
Prisioneiro de um desejo 
Ó saudade, sentimento, solidão 
Ondas do mar tão profundo 
Que querem beijar o Tejo

 

Música do Album Fados, Fantasmas e Folias de Zeca Medeiros - Letra e Música José Medeiros

 

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.