Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

 

Letra

 

[Intro]
Quero que te imponhas não tenhas vergonha 4x

[Verso 1]
Quero que te imponhas
Não tenhas vergonha
Vergonha é baixar os bracos
Ser do fracos que nem sonham
Ficar-se pelos fracassos
Os meus passos vou contando
Em relances em compassos
Ver crianças com cancro
Parte me esperança em pedaços
Podes vencer me à vontade
Melhor se não me empatasses
Picasso do beat quando pinto uma frase
Eu me sinto em casa tipo Dengaz
Desde a fase do TDK
Em cima de beats do STK
Antes de por a crew no mapa
Eu cuspia freestyle e sons
Sem groupies cds na fnac
Nostalgia dessa etapa
Antes de mc's falarem caca
Sobre guccis e vitons
Cá não ha capas nem de monge
Cala-te capta venho longe
Claro ninguem tá sempre certo
Excepto o Big Ben em Londres


[Refrão 2x]
Enganam e falam que eu faço por fama meu irmão
Lá porque ouviram meu nome de Faro a Famalicão
Farto da mentira que fabricam só conto com os que aqui estão
Difamam serve de licao, se me amam Family são

[Verso 2]
Não tenho
Muito manos
Juntos com os anos
Muitos dramas
Muitos danos
Assuntos mundanos
Guita tiba
Estrilhos com damas
Querem que nos prostremos
A governos que nao gostamos
Nestes tempos onde nos esquecemos
O que é sermos seres humanos

[Verso 3]
Bulo de noite
Vejo o sunrise
Coolio procuro
O gangsta paradise
Uma dama que me ama
Não julga nem engana
Pá minha momma uma casa bem nice
Nem Snoops nem Lions
Só putas e lyers
Curvam-se por flyers
Não sou dessa laia
Vontade é de iron
O mic é de Tyson
Ao volante dum cayenne
A caminho de Zion
Punchs infantis
é bue nice bué da fixe
No fim ficas no lixo
Vanilla ice
Cai-te logo a ficha apanham te de surprise
Se foda ser Fisher prefiro ser Sean Price
Life é corrida com meta na campa
Morte tem martelo de Thor prega te a tampa
Apagam se a luzes que tanto te encantam
O que achas importante vai se num instante

[Verso 4]
Não faças pela paca
Ouro prata veem depois
Sucesso precoce
Corres e tropeças
Carroça em frente aos bois
Contactos fazem contratos
Tudo comprado já me mete nojo
São marionetas que um mestre
De escravos qualquer lá pôs
Mas eu
Caguei para opiniões
Cá me mencontras não é de hoje
Contra tudo o que a Babi te impôs
Desde que me ouviste aos 22
Dou me ao luxo de vadiar
Sem pistola bodygard
Mas como só falo para as paredes
Escrevo com tinta Robialac
óbvio não posso obrigar-te
A vir dizer-me obrigado
Sorry só digo a verdade
Mesmo que acabes a odiar-me


[Refrão 2x]
Enganam e falam que eu faço por fama meu irmão
Lá porque ouviram meu nome de Faro a Famalicão
Farto da mentira que fabricam só conto com os que aqui estão
Difamam serve de licao, se me amam Family são


[Outro]
Family são
Incondicional sem senão
Até numa cama com cancro como os que saldy se vão
Eu sei que eles estão lá em cima numa espécie de mansão
Abençoam quem não esquece
Agradecem esta canção...

 

Letra El Sayed

 

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email