Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

 

Letra

 

Não fico surpreso se o céu cobrir, sei que uma nuvem vai-me avisar
E se eu gritar e tu não me ouvires, caso a perspectiva venha a mudar
Não fico surpreso se o céu cobrir, sei que uma nuvem vai-me avisar
E se eu gritar e tu não me ouvires, caso a perspectiva venha a mudar

Não é só chorar, não é criticar, não é regatar as culpas em ninguém
Criamos razões para pôr fim ao cabo mas ao fim ao cabo podemos estar bem
E se o puto sai, a quem é que ele sai? Com a boca do pai ou os olhos da mãe
Deus queira que traga parecença no olhar
Num pais que é surdo vai falar para quem?

Eu só queria que a minha zona se juntasse e não se matasse
À pala de um estrilho, tás a ver o teu puto na quarta classe
E quase à dois anos que sabe o que é um gatilho
Ainda vais a tempo de ensinar-lhe o que é o dia-a-dia
Dar-lhe uma vida bacana, ensinar-lhe que a bike
Só tem duas rodas, não que quatro rodas tem uma carripana
Sentes? Talvez até sintas, não basta dizeres que a vida é complicada
Tropa acredita, eu não quero que mintas só quero que
Irmãs durmam descasadas
Acredita que a tua há tempos que evita falar no assunto e dormir descansada
Tudo porque o filho começa a partida mas pode ficar a meia caminhada

E se eu gritar e tu não me ouvires, caso a perspectiva venha a mudar
Não fico surpreso se o céu cobrir, sei que uma nuvem vai-me avisar
E se eu gritar e tu não me ouvires, caso a perspectiva venha a mudar
Não fico surpreso se o céu cobrir, sei que uma nuvem vai-me avisar
Não fico surpreso se o céu cobrir, sei que uma nuvem vai-me avisar

Então se tu queres que o teu bairro evolua
Tira-lhe a má fama e mostra-lhe o talento
E não contribuas para que diminua
Tenta contribuir para o seu crescimento
Porque há quem lá viva e não tem nada a ver com o teu andamento
Trocar essas armas por conhecimento, apagar as falácias espalhadas com o tempo, espalhadas com o tempo
Sei que tu dizes não… mas tu dizes por dizer, se tu tens tanto pra ganhar porque é que apostas a perder?
Não vês complicação… mas na vida, vamos ver, sei que tou farto de avisar mas mesmo assim volto a dizer
Quando é acaba a guerra, onde é que acaba a guerra...
Quando é acaba a guerra, onde é que acaba a guerra…
Quando é acaba a guerra, onde é que acaba a guerra…
Quando é acaba a guerra, onde é que acaba a guerra…

 

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email