Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

 

 

Letra

 

Pertenço à geração de 76, armado até aos dentes
Palavra, a nova geração é desdentada
O holocausto cavou valas e usou-a como arma

Gandhi desarmou balas e usou-a com a alma
Palavra, na boca errada é fábula errada
Na boca certa é dádiva, fala saliva que salva
No tempo certo é intemporal e fica no mapa
Vinga na história e vinga na página da vida que arranca
Palavra de honra, cada frase dealemática é bomba
Não tive morte cerebral mas a vida é um coma
(?) fenómeno responsável pela informação ao núcleo
Formação do núcleo do furacão
Palavra, a oitava maravilha do mundo
Mudou o meu mundo, o meu carácter tornou-se maiúsculo
HIV de homem inteligente com palavra
A honestidade vale mais do que ouro ou prata

(Palavra é a arma)

(Maze)
Tensão na corda vocal, dinâmica celestial em ação
Mecânica quântica lirical
Análise morfológica, sintática, com tática, semântica, pedagógica, lógica na gramática
Afiada, espada forjada na mente
Honra de aço temperado, inquebrável, reluzente
Lámina fria que cintila, da escrita que mutila
Da sílaba que silva pode salvar uma vida
Pode ceifar uma alma, metáfora encriptada em cada
Anáfora, fura como uma adaga
Sussurrada ou gritada em plena ágora
Contida trará mágoa, deve fluir como água nascente
Do neologismo visionário, anti-analfabetismo, discurso incendiário
Sem carta, palavra madrasta ou alegria vasta
Para bom entendedor desde sempre meia basta

(Palavra é a arma)

(Mundo Segundo) Palavra é uma arma nas mãos de quem a sabe usar
Nas mãos erradas é uma bomba prestes a detonar
Palavra é arma nesta batalha existencial
Na cadência do instrumental o disparo é sequencial
Forjei a minha espada na chama de quem me ama
Na trama do drama afiei a lámina da minha katana
Mas antes a morte à desonra, palavra de honra
Não temos norte no idioma, é palavra hedionda
Ouve-se como uma Beretta sem munições
Essa pólvora seca afugenta multidões
MC's comediantes, fugantes, (?), com frases entediantes como filmes que já vi antes
Confirmo que já vi antes cartuchos desse calibre
Mas no estilo livre quero é um elefante (?)
Atordoados, tombados com dardos envenenados
E contaminados com dados com patos envenenados

(Palavra é a arma)

(Kid MC)
Maior que a definição convencional
A palavra é um instrumento de lavagem cerebral
O impacto começa na atitude da expressão
Usá-la para enganar alguém é um ato de submissão
Milhares de pensamentos vagueiam pela mente todos os dias
Num constante fluir de energia
Uma carga superior é automaticamente transferida quando o pensamento se verbaliza
Os filósofos a definem como uma forma poderosa de condensação da força criadora
Pois ela habitava no coração e codificava a mente do Sócrates
A Grécia testemunhou a história
Palavra faz do homem salvador e por outro lado assassino
Seres humanos já nascem políticos
Falar é um ato traiçoeiro
A boca que declama linda poesia é a mesma que traz o veneno

(Refrão)
Na nossa arma temos a força
Mereçemos tudo e mais alguma coisa
Tudo aquilo que passámos, sangue que derramámos
Pela paixão nós voltamos da nossa história, brilhamos
Nada nos fará recuar até estarmos livres
Dos fraudes da indústria que nos querem sugar
Palavra como arma, temos fogo na mente
E um exército na linha da frente

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email