Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

 

Letra

 

Chega-se a este ponto em que se fica à espera
Em que apetece um ombro, o pano de um teatro
Um passeio de noite, a sós, de bicicleta
O riso que ninguém reteve num retrato

Folheia-se num bar o horário da morte
Encomenda-se um gin enquanto ela não chega
Loucura foi não ter incendiado o bosque
Já não em que mês se deu aquela cena
Já não sei em que mês
Cega-se a este ponto em que se fica à espera

Chega-se a este ponto a arrepiar caminho
Soletrar no passado a imagem do futuro
Abrir uma janela, acender o cachimbo
Para deixar no mundo uma herança de fumo

Rola nais um trovão, chega-se a este ponto
Em que apetece um ombro e nos pedem um sabre
Em que a rota do sol è a roda do sono
Chega-se a este ponto m que a gente não sabe

 

 

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.