Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

 

Letra

 

eu vou falar
um pouco pra que?
…vou falar pa quem?
vou dar mais do que eu tenho e mais do que quem tem…
pra que?
pa ser um zé ninguém!

disseram-me que a vida é feita de sonhos
mas eu tou com sono não da pra sonhar!
perguntaram na escola, no tempo dos contos,
quais eram os sonhos que eu queria alcançar…

queria realizar muita coisa…
foi-se a força… vai-se às vezes…
queria uma família, uma cria nos braços
e não tantos nomes nessas paredes

união pros rapazes,
vi ases da bola suar camisolas no palco,
falo da rua e assaltos…

fizeram bazar qualquer base
disseram-me “pedro tás quase”

é um facto!
fui atrás do que é meu…
com guerra e paz
fui atrás e fui eu… o culpado do q o karma trás

ou do que ele trouxe…
é frequente, a vida dá troco
e eu não me contento com pouco
só lamento um momento ou outro
tempo bem louco… sorriso no rosto!

e aqui tou no posto a dizer o que eu quero…

com palavras a ser sincero,
qualquer desgosto ja foi um martelo
ainda ha juízes a meter o nariz e são bués,
…não exagero

as vezes eu penso em bazar
… começar do zero…
mas mano se ha uma missão, então,
eu reconsidero

EU VOU DIA A DIA
NEM SEMPRE É COMO EU QUERIA
CA DENTRO SOMENTA A MAGIA
QUEM SENTE SABE QUE ARREPIA…

SABE QUE NADA DURA PRA SEMPRE
É TARDE SE A CURA FOR A DOENÇA,
É TARDE SE A POSTURA NÃO COMPENSA
MARCA A DIFERENÇA!

EU VOU DIA A DIA
NEM SEMPRE É COMO EU QUERIA
CA DENTRO SOMENTA A MAGIA
QUEM SENTE SABE QUE ARREPIA…

 

SABE QUE NADA DURA PRA SEMPRE
É TARDE SE A CURA FOR A DOENÇA,
É TARDE SE A POSTURA NÃO COMPENSA
MARCA A DIFERENÇA!

passando uma beca à frente,
tou na back sempre de quem me rodeia
andando já bem diferente,
com uma mala sempre e barriga cheia!

aquilo que era diferente,
é que antigamente a vida era cheia,
de momentos que pa nossa gente,
faz sempre ser crente que é pa vida inteira…

prometi a mim mesmo que o ia fazer,
só prazer, ninguém me obrigava
amigos de infância eu vi-os crescer,
conheci quem ouvia sem lhes ver a cara

…palavras são pagas
e algumas são pagas com o corpo,
tar vivo ou tar morto,
activo ou no lodo,
mano, quanto custa o conforto?

também não sei, pago pa ver,
nunca quis ser capa, quis matar a sede,
de quem por bem trata ou tratou mais cedo,
a vida é brinquedo, e tu só experimentas,

tu erras e depois lamentas,
és inocente, no fundo tu tentas,
é peso que aumentas,
cada falha dá-te algo, pelo que tu representas,

brinda à raiz, Mem Martins,
um aprendiz, palavras pra que?
querem saber do Bispo
e daquilo que eu fiz e eu na minha a riscar à vontê,

parece cliché? parece o c*!
não tenho q provar o que eu valho,
eu arrisco por isso é que eu falho
e tá visto que invisto eu trabalho!

e… antes que seja tarde,
que o mundo acabe
que eu enloqueça,

fico mais um bocado,
acordado…
e mato a cabeça!

e… antes que esta vontade,
vá pra outro lado
ou desapareça,

eu corro mais um bocado
como se o cansaço
fosse uma doença!

EU VOU DIA A DIA
NEM SEMPRE É COMO EU QUERIA
CA DENTRO SOMENTA A MAGIA
QUEM SENTE SABE QUE ARREPIA…

SABE QUE NADA DURA PRA SEMPRE
É TARDE SE A CURA FOR A DOENÇA,
É TARDE SE A POSTURA NÃO COMPENSA
MARCA A DIFERENÇA!
(2x)

 

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.