Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

bacalhau.png

 

Ana Bacalhau

Anuncia álbum de estreia a solo para 20 de Outubro 

Já disponível o vídeo de “Ciúme”, o primeiro single

“Tenho bichos-carapinteiros. Também são carpinteiros, claro, mas, sobretudo, carapinteiros." Ana Bacalhau anunciou hoje a sua estreia a solo, após uma década a dar voz às canções da Deolinda. “Quando era miúda, ouvia os graúdos a apontar-me o excesso de energia e inquietação e, sem perceber nada de carpintaria, convenci-me que o que me diagnosticavam era um caso bicudo de bichos que cara-pintavam.(...) Houve um dia que pediram um palco para si”, diz Ana Bacalhau sobre o chamamento de se lançar em novas direcções, de dar voz a novos autores e às suas próprias composições.

 “Dei ao resultado deste trabalho de cara-pintaria o título de “Nome Próprio”. Para isso, contei com a preciosa ajuda de queridos e talentosos amigos, que entenderam tão bem aquilo que queria dizer.”

O anúncio fez-se com “Ciúme”, um tema composto por Miguel Araújo, estreado hoje nas rádios e com videoclipe a condizer. Realizado por Sérgio Rosário e Igor Fioravanti, com direcção criativa de Joaquim Albergaria, o vídeo replica o conceito de várias Anas Bacalhau a falar entre si, o mesmo que se vê na capa do disco.

 

 

Nome Próprio” teve produção de João Bessa e Ana Bacalhau, foi masterizado nos estúdios de Abbey Road e está disponível, a partir de hoje em pré-venda. Digitalmente, no iTunes, com 5 temas a serem “libertados” até 20 de outubro; na Fnac com desconto e uma edição exclusiva, em cartão e com uma canção extra, “Dama da Noite”, de António Zambujo e João Monge.

Samuel Úria, Jorge Cruz, Nuno Prata, Afonso Cruz, Nuno Figueiredo, Capicua, Márcia, Carlos Guerreiro e Francisca Cortesão são os nomes que constam de “Nome Próprio” e que ajudam Ana Bacalhau a dar voz aos seus bichos-carapinteiros, os mesmos que a levaram também a escrever e compor. As letras “Só Eu” e “Menina Rabina” (ambas com música de Henrique Janeiro) e “Deixo-me Ir”, escrita e composta por Ana Bacalhau são disso exemplo. 

Na gravação do disco, Ana Bacalhau contou com a preciosa mestria de Luís Figueiredo (piano, teclados), Luís Peixoto (cavaquinho,bouzouki, banjo), Zé Pedro Leitão (contrabaixo, baixo), Alexandre Frazão (bateria, percussão), músicos que a acompanharão ao vivo. Em “Ciúme”, o primeiro single agora estreado conta ainda como músicos convidados Mário Delgado (guitarra eléctrica) e Amadeu Magalhães (cavaquinho).

Nome Próprio” assinala, para alegria da sua autêntica legião de fãs, a estreia a solo de uma das mais aclamadas intérpretes portuguesas. Após o lançamento do álbum, Ana Bacalhau transportará estas canções para o palco numa digressão que promete passar por todo o país.

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email