Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

 

Letra

 

Um dois e tal
Mais o complexo anormal
Contei as horas
E elas por mim

Eu deixo à imaginação
Embora ainda há quem diga que eu
Não canto assim tão bem
Eu escolho umas palavras giras
E uns provérbios que assentam OK

E queres mesmo ser o rei de ninguém?
Eu não quero ser o rei
Não o rei de alguém como nós

A sorte cumprimenta os audazes
Neste jogo és um peão, marionete com paixão

Debaixo do sol tu és igual a mim, um aprendiz
Irmão, estende a tua mão e dá o que tens

A marca que me move é para ficar
O mundo que detesto é para acabar
Não és o primeiro a ocupar o trono
Nem serás o último a olhar para o lado

Um dois e tal
Mais o complexo anormal

Mas porquê aguentar?
Mas porquê deixar a desejar?

 

Letra por Afonso Alves.

Música por Afonso Alves e Guilherme Baptista.

 

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.