Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

 

Letra

 

Que a vida são 2 dias já todos sabemos
Mas não ligamos àquilo que nós perdemos
Nada é para sempre não vivas na ilusão
Não percas porque perdeste, procura saber a razão
Se não não encontras solução
Anos e anos na mesma situação
E ganhas e perdes e já nem tens a noção
Amigos são tão poucos mas aos poucos vês quem são
Para que é que querem saber se estás com a tua dama?
Para que é que querem saber como é que fazes a grana?
Para que é que querem saber o valor dos teus bens?
Invejosos e curiosos ambicionam o que tens
Tens que pensar sempre antes de responder
Más respostas provocam mau adormecer
Tens snitches e bitches e tens que te defender
Porque a vida continua e ela passa a correr

Brother procura saber a razão
E se perderes não penses que é punição
Não deixes que ninguém te mande ao chão
Para ganhar noção de que tu podes perder
Tanta coisa que se evita
À pala da paca ou da má língua
E acaba sempre de forma ridícula
Por isso mantém uma mente positiva

Lavagem de roupa suja, conclusão dos termos
Não tens de provar que és homem, foram uns quantos homens por menos
Tu passa ao lado, encara o facto, só tens que ser tu mesmo
Que cobras venenosas morrem com o próprio veneno
Carregar o peso é o preço que acabas a pagar com juros
Quem muito fala pouco aprende e pouco sabe sobre o assunto
Tenho poucos feats. mas duros, tropas fixos não durmo
Passam-me a perna vai dar merda, evita ignorantes e burros
Mais vale poucos que muitos, maus exemplos que andam a dar maus exemplos aos putos
Juntam-se os puros para te reanimar a consciência
Mostrar que todos os factos, falas, boatos têm consequência
É só má língua, histórias com reticencias
Manos não querem mano a mano para resolver divergências
Puxa faca ou puxa gun, mais uma tarde sangrenta
Usa a inteligência, pensa, chega de violência

Olha para o teu reflexo e reflete
Será que dá para levar a vida que muito submete
Foste ganhando a vaidade, não sei se é vontade ou vicio
Foste-te tornando um tornado 1000 voltas no mesmo sitio
Sempre foste-te orientar e tens quem te arranhe a espinha
Mas invejas a do outro e a minha
Mulher na casa do outro quando se ausenta a vizinha
Já não tens capacidade para manter putas na linha
Há quem te passe por cima, mas não por cima da bala
Aquele que fala não xina e aquele que xina não fala
Porque a estala dá-te estrica e a estrica com a boca estala
Viraste aquele que opina porque só queres é piná-la
E se te avisam têm razão
Olha que se eles te avisam sabes que amigos são
Não vivas a vida em prol do outro isso é imitação
Tens que ter a tua própria vida para tu próprio a poderes viver

Brother procura saber a razão
E se perderes não penses que é punição
Não deixes que ninguém te mande ao chão
Para ganhar noção de que tu podes perder
Tanta coisa que se evita
À pala da paca ou da má língua
E acaba sempre de forma ridícula
Por isso mantém uma mente positiva

 

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.