Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

 

Letra

 

Nada é tão fácil como parece, por vezes a luz escurece,
Quando lutamos, nos esforçamos e no final não acontece.
Iludidos por amor num mundo que não nos merece,
A tentar encontrar calor em sítios que jamais aquece.
Vamos ter que experienciar para experimentar a dor,
Chorar mais que sorrir para podermos dar valor,
Reviver a preto e branco para o presente ganhar cor
Provar o gosto do amargo para obter outro sabor.
Nós criamos expectativas em vez de deixar rolar,
Sonhos em cima de pessoas que acabam por nos magoar,
Por trair, ferir, mentir, testar,
Iludir, atingir, diminuir, usar.
Acho que no final de tantos factos, eis a verdade
Não existe ninguém feliz, só momentos de felicidade.
A verdade só dói uma vez, a mentira é sempre que me lembrar,
Os factos estão à tua frente, a questão é se os vais encarar.

O ser humano criou a doença para diminuir a população
E para assegurar o controle criou a tua religião
Espalhou medo na tua mente, alterou-te a intuição
E no que há de tão cientifico há um além de condição
Imagina um homem lá em cima com uma lista do que não podes fazer
E se por caso pecares, ficas para sempre a arder
O mesmo diz ser teu pai, que te ama e te vai proteger
E só te desculpa com a condição de ter vires a arrepender
Ouvi uma história real de um killer profissional
Que entrou em casa de homem para pôr um ponto final
Esse começou a rezar, ajoelhado a implorar
Que as forças lá de cima o pudessem o salvar
O killer foi fudido, concedeu lhe meia hora
Para um possível milagre, e ele ajoelhado implora
Ele grita, chora, até que o tempo acabou
E advinha o aconteceu, ninguém o salvou...

Olha para as nossas regras, instruções, obrigações
Ensinamentos obrigatórios para no final contar tostões
Manipulam guerras, fingem ataques terroristas
Compram explodem terras e põem-te a ler revistas
Éticas, diplomacias, moralidades, teorias
Olhares sinceros, e discursos que se revelam em mentiras
Todo o mundo é um interesse e há quem o queira
A nossa esfera não é terra é uma empresa financeira
Nós somos o fruto de um teatro de conspirações e iras
O fruto da ilusão, num palco de ilusionistas
A vida em sociedade obrigou-nos a ser artistas
Falsos apoiantes, os verdadeiros terroristas
Porque tudo é uma ilusão, nada é concreto na verdade
Nós somos a ficção do mundo da liberdade
O fruto da ilusão que poderia ser verdade
A adaptação ao poder, escravos da sociedade."

 

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email