Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

    letra   Somos dois caminhos paralelos Vamos pela vida lado a lado Doidos que nós somos Loucos que nós fomos Nem sei qual é de nós mais desgraçado Lado a lado meu amor mas tão longe Como é grande a distância entre nós O que foi que se passou entre nós dois que nos separou Porque foi que os meus ideais morreram assim dentro de mim Ombro a ombro tanta vez mas tão longe Indiferença entre nós quem diria Custa a crer que tanto amor tão profundo amor tenha acabado E (...)
    Letra   á morri a morte certa Já senti a fome apert'a dor Já bati à porta incerta Viajei de caixa aberta à dor Pecado, fundido, queimado Já desci lá em baixo ao fundo Já falei com outro mundo...e então? Já passei o limbo-limbo Já subi ao purgatório...e vou Zangado, bem vindo ao passado Pecado, arrependido, queimado Zangado, bem vindo ao passado Pecado, fundido e queimado... Zangado, bem vindo ao passado Pecado, arrependido, queimado
  Letra   Há amor amigo Amor rebelde Amor antigo Amor de pele Há amor tão longe Amor distante Amor de olhos Amor de amante Há amor de inverno Amor de verão Amor que rouba Como um ladrão Há amor passageiro Amor não amado Amor que aparece Amor descartado Há amor despido Amor ausente Amor de corpo E sangue bem quente Há amor adulto Amor pensado Amor sem insulto Mas nunca tocado Há amor secreto De cheiro intenso Amor tão próximo Amor de incenso Há amor que mata Amor (...)
    letra   Eu não espero ser eterna Nem a cor da igualdade Eu não quero ser quem grita Muito menos ser quem bate Eu não espero ser moderna Nem sabor a chocolate Eu não quero ser quem fica Muito menos ser quem parte Sou tua sou carne crua Tu és a mão eu sou a luva Sou louca sou coisa pouca Tu és a língua eu sou a boca Tu és a língua eu sou a boca Hoje estou aqui A viver o meu futuro Porque ontem descobri Que o amor também é escuro Se um beijo não te der Uma ideia original (...)
    letra   Não sei não sabe ninguém Porque canto o fado neste tom magoado de dor e de pranto E neste tormento todo o sofrimento Eu sinto que a alma cá dentro se acalma nos versos que canto Foi Deus que deu luz aos olhos Perfumou as rosas deu ouro ao sol e prata ao luar Foi Deus que me pôs no peito um rosário de penas Que vou desfiando e choro a cantar E pôs as estrelas no céu E fez o espaço sem fim Deu luto às andorinhas E deu-me esta voz a mim Se canto não sei o que canto Misto de ventura saudade ternura e talvez amor
    Primeiro a serra semeada terra a terra  Nas vertentes da promessa  Nas vertentes da promessa  Depois o verde que se ganha ou que se perde  Quando a chuva cai depressa  Quando a chuva cai depressa E nasce o fruto quantas vezes diminuto  Como as uvas da alegria Como as uvas da alegria E na vindima vão as cestas até cima  Com o pão de cada dia Com o pão de cada dia  Suor do rosto pra pisar e ver o mosto  Nos lagares do bom caminho Nos lagares do bom caminho  Assim (...)
    Letra   Há amores assim Que nunca têm inicio Muito menos têm fim Na esquina de uma rua Ou num banco de jardim Quando menos esperamos Há amores assim Não demores tanto assim Enquanto espero o céu azul Cai a chuva sobre mim Não me importo com mais nada Se és direito ou o avesso Se tu fores o meu final Eu serei o teu começo Não vou ganhar Nem perder Nem me lamentar Estou pronta a saltar De cabeça contra o mar Não vou medir Nem julgar Eu quero arriscar Tenho (...)
    Letra Sabe bem ter-te por perto Sabe bem tudo tão certo Sabe bem quando te espero Sabe bem beber quem quero Quase que não chegava A tempo de me deliciar Quase que não chegava A horas de te abraçar Quase que não recebia A prenda prometida Quase que não devia Existir tal companhia Não me lembras o céu Nem nada que se pareça Não me lembras a lua Nem nada que se escureça Se um dia me sinto nua Tomara que a terra estremeça Que a minha boca na tua Eu confesso não (...)
Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email