Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

Terras sem Sombra vai à Vidigueira ouvir Haydn


Terras sem Sombra vai à Vidigueira ouvir Haydn

Vila de Frades, uma histórica vila, passe a redundância do concelho de Vidigueira, acolherá pelas 21:30 do dia 01 de Junho na igreja matriz de S. Cucufate, o próximo concerto da 9.ª edição do Festival Terras Sem Sombra.

A soprano Carmen Romeu, o barítono Luís Rodrigues e o tenor Mário João Alves, figuras relevantes do panorama musical ibérico, a Orquestra Sinfónica Portuguesa e o Coro do Teatro Nacional de S. Carlos interpretarão, com direcção musical de Donato Renzetti, a oratória “Die Jahreszeiten” (As Estações), de Franz Joseph Haydn. 

Esta composição grandiosa , que não podemos deixar de comparar com “As Quatro Estações” de Vivaldi, uma obra exemplar do período barroco, tem a majestade inerente às composições alemãs, carregadas do espírito sério e pesado que se vivia na corte austríaca e que não atingia as cortes italianas.


Mas Hydn embora vivendo e trabalhando na corte austríaca do conde Eszterházy, subordinado às regras de composição que lhe eram impostas deixava transparecer na sua música a alegria e o optimismo que eram inerentes á sua forma de estar e viver.

Daí que a escolha desta peça de Haydn, num Festival onde a natureza e a música se encontram, a mesma sente-se e ouve-se nesta belíssima oratória, desde o canto dos pássaros e o coaxar das rãs, até ao lavrador que semeia, do toque do sino e do zumbido dos insectos, até ao pastor que toca uma melodia numa cana ou à canção da roda de fiar, será talvez segundo Pinamonti, director artístico do Festival, o equilíbrio perfeito, entre o homem e o Mundo, numa sintonia idílica”.

 

Talvez por isso, Pinamonti tenha organizado um espectáculo grandioso, com a orquestra e o coro do Teatro Nacional de São Carlos, solistas de reconhecida qualidade e a presença de um dos mais importantes maestros da actualidade, Donato Renzetti, célebre pela sua actuação à frente da Chicago Opera House. 

José António Falcão, director-geral do Terras sem Sombra, justifica a escolha de Vidigueira como palco primordial para um momento musical sem dúvida singular: “As Estações de Haydn adquirem aqui um significado muito especial; encontramo-nos numa zona de excepcional riqueza agrícola, e especialmente vinícola, em que a interacção do homem com a terra modelou, ao longo de muitos séculos, uma paisagem notável. A villa romana de S. Cucufate, que deu lugar, na Idade Média, a um mosteiro famoso, é extraordinária prova disso, tal como o património religioso que chegou aos nossos dias”.

 

E mais não há a crescentar. O espectáculo tem lugar pelas 21:30 do dia 01 de Junho na Igreja Matriz de São Cucufate, em Vila de Frades, com a Orquestra Sinfónica Portuguesa e o Coro do Teatro Nacional de São Carlos, com direcção artística de Donato Renzetti a interpretarem a oratória de Haydn “Die Jahreszeit”.

 

Retirado do HardMúsica

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email