Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

Dona Gi completam um ano e iniciam digressão internacional em Paris

 

 


A banda portuense Dona Gi, que celebra este mês o primeiro aniversário, vai internacionalizar a sua música com o primeiro concerto além-fronteiras, marcado para o próximo domingo no Saint Michel sur Orge, em Paris, França.


A programação desta digressão internacional dos Dona Gi prevê, depois, um regresso capital francesa no dia 19 de maio, para uma atuação no Pontault Combault, partilhando o palco com outros artistas portugueses como Pedro Abrunhosa ou José Cid.

 

A banda portuense agendou ainda concertos noutros países da Europa, no Canadá e ainda em Angola, contou à Lusa Gisela Rodrigues, a vocalista da banda.

 

“Os Dona Gi não querem parar e resistem com confiança às adversidades da conjuntura atual e às dificuldades do panorama artístico do nosso país”, conta Gisela Rodrigues, vocalista e compositora do “Baile das Palavras”, o disco de estreia da banda em abril do ano passado.

 

“De forma sempre independente, demos os primeiros passos na indústria musical portuguesa”, recordou, revelando que os Dona Gi vão começar agora a “apresentar-se ao mundo” para “começar a levar a sua música não elitista além-fronteiras”.

 

Em Portugal, os Dona Gi têm concertos agendados para dia 21 de julho, em Lisboa, e dia 15 de agosto, na ilha do Corvo (Açores).

 

O primeiro trabalho dos Dona Gi, o “Baile das Palavras”, compôs-se com 12 músicas originais inspiradas nas coisas simples e alegres da vida e misturam fado e folk, remetendo para o universo de bandas portuguesas como os Deolinda e Orquestrada.

 

“O nosso estilo é uma mistura, é uma fusão do folk e do fado”, explicou Gisela Rodrigues na altura do lançamento do trabalho, admitindo que o estilo musical que a banda apresenta é semelhante ao dos Deolinda e dos Orquestrada, mas sublinhando que não se trata de “uma colagem a essas bandas”.

 

Além de Gisela Rodrigues, a banda integra José Luís Rodrigues (ex-Perfume) no acordeão, e o contrabaixista Pedro Silva (ex-Fados em Si Bemol).

André Mariano, na guitarra portuguesa e José Serra, na guitarra clássica completam o quinteto.

 

Retirado do sapo Música

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email