Sexta-feira, 12 de Abril de 2013

30.º Jazz em Agosto aposta em músicos que já passaram pelo festival

John Zorn, Pharoah Sanders e Anthony Braxton são alguns dos grandes nomes presentes na edição deste ano, que decorre de 2 a 11 de Agosto. Um festival, sem “fórmulas fixas”, que continua a apostar na qualidade e na inovação

Em 2013, o Jazz em Agosto celebra a sua 30ª edição com dez concertos no anfiteatro ao Ar Livre da Gulbenkian, em Lisboa, nove sessões de filmes e documentários e o lançamento de um livro de ensaios sobre cinquenta músicos que já passaram pelo festival, anunciou esta quinta-feira a organização.

 

A edição deste ano associa-se às comemorações dos 30 anos do Centro de Arte Moderna (CAM), instituição à qual está ligada desde a sua origem, em 1983. Nessa data, a que Rui Neves também chama de “ano zero” devido à dimensão reduzida do festival – houve apenas músicos portugueses –, o Jazz Agosto surgiu pelas mãos de Madalena de Azeredo Perdigão, fundadora do Serviço Acarte da Gulbenkian e mulher do então presidente da fundação, José de Azeredo Perdigão.

A dupla comemoração concretiza-se, este ano, com um concerto de pré-inauguração do festival a 25 de Julho (dia do aniversário do CAM), no qual Maria João apresenta o seu projecto Ogre - a cantora, recorde-se, actuou com o seu quinteto no festival de Agosto de 1984.

Rui Neves, director do festival, destaca, no programa deste ano, a presença de John  Zorn, que está a celebrar o seu 60.º aniversário com uma digressão europeia.

O regresso de John Zorn a Portugal traz uma novidade, relativamente aos restantes festivais de jazz onde se irá apresentar. Nos três concertos que vai fazer no Jazz em Agosto, "Zorn apresenta em tempo real a música que compôs para filmes, que é uma coisa que não existe nos outros”. Os fãs do músico vão poder comprar um passe que dá acesso mais barato aos três espectáculos, que abrem o festival, nos dias 2, 3 e 4.

Os projectos do músico, The Dreamers, Essential Cinema e Electric Masada, serão contarão com a presença de músicos que têm acompanhado o compositor e saxofonista ao longo da sua carreira: Marc Ribot, Jamie Saft, Trevor Dunn, Kenny Wollesen, Joey Baron, Cyro Baptista e Ikue Mori.

The Dreamers dá continuidade ao trabalho feito por Zorn no álbum The Gift (2001), marcado pela influência das músicas de salão dos anos 1950, da música sul-americana e judaica. Essential Cinema é um projecto de música para cinema independente, integrado na série Filmworks da editora Tzadic, onde Zorn publica as suas criações musicais para a Sétima Arte. O concerto no qual se apresenta o projecto Essential Cinema combinará a projecção de filmes de Maya Deren, Joseph Cornell, Harry Smith e Wallace Berman com a música tocada ao vivo por Zorn, Marc Ribot, Jamie Saft e Ikue Mori entre outros.

O concerto de Electric Masada, uma variante eléctrica do seu grupo Masada Quartet, de 1994, encerra a homenagem ao compositor na Gulbenkian.

O encerramento da 30ª edição do festival é assinalado com a presença de Pharoah Sanders, no concerto Pharoah & The Underground, um projecto concebido pelo músico Rob Mazurek, no qual reúne os seus trios São Paulo Underground e Chicago Underground. Para Rui Neves, este é um dos pontos altos da programação. “Pharoah Sanders é o célebre saxofonista que foi companheiro de John Coltrane na sua fase mais radical. Todos os discos de Coltrane, entre 1964 e 1967, são com o Sanders. Portanto, ele tem esse grande mérito de ter estado ao lado de um músico com a estatura de John Coltrane”.

Ainda no programa do Jazz em Agosto, o compositor e saxofonista Anthony Braxton apresenta em estreia em Portugal o seu projecto Falling River Music Quartet, com músicos como Mary Halvorson, Ingrid Laubrock e Taylor Ho Bynum. “É uma música de câmara à moderna, que vai ter impacto, porque o Anthony Braxton é um músico único que, em directo, impressiona toda a gente pela sua qualidade”, explica o director do festival.

Na representação de Portugal no festival, Rui Neves encomendou ao grupo de percurssão Drumming, criado por Miquel Bernat, o estudo e a exploração do reportório de um grupo de percussão dos 1980, o M’Boom, dirigido pelo baterista Max Roach. O percussionista espanhol regressa ao festival, onde marcou presença em 1995, o que, nas palavras do director, reflecte, mais uma vez, a intenção de estabelecer “uma ligação do presente com o passado e vice-versa”.

A representação do jazz da Escandinávia, que, segundo Rui Neves, já é uma marca do festival, é assegurada pelo grupo norueguês de jazz eléctrico Elephant9, com o guitarrista Reine Fiske, “um músico importante da cena actual”, e pelo trio The Thing, do saxofonista Mats Gustafsson. Após a sua estreia no Jazz em Agosto na edição de 2004, The Thing regressa ao palco principal do festival numa versão mais alargada, agora com sete elementos. “Daí chamar-se The Thing XXL”, explica Rui Neves, destacando a presença de músicos como Terrie Ex e Peter Evans.

Para além da sua participação em The Thing XXL, este último apresentará em estreia europeia o seu novo grupo, o Peter Evans Octet, uma versão ampliada do seu último quinteto, do qual fazem parte os músicos Sam Pluta, na electrónica, e Jim Black, na bateria.

Mas o Jazz em Agosto não terá só música. “Nós não nos limitamos a apresentar concertos, nunca fizemos isso, damos sempre mais alguma coisa, seja filmes, conferências”, explica Rui Neves, dizendo que o festival não tem uma “fórmula fixa”. E acrescenta que o único elemento constante ao longo dos últimos trinta anos é o critério de selecção dos músicos. “Queremos apresentar músicos criativos, de muita exigência e muito bom nível, que são inquietos nas suas coisas”.

No âmbito das comemorações dos 30 anos será lançado um livro de ensaios “crítico-biográficos” escritos por três críticos “de topo”, nas palavras de Rui Neves: o americano Bill Shoemaker, o canadiano Stuart Broomer e o britânico Brian Morton, sobre cinquenta músicos que passaram pelas várias edições do Jazz em Agosto ao longo das últimas três décadas.

A programação inclui também a exibição de nove filmes, onde se destaca o ciclo de quatro produzidos por John Zorn.


Depois de passar na televisão, chega agora ao grande ecrã de Jazz em Agosto um documentário da autoria de Rui Neves e Paulo Seabra (realizador), que faz uma “leitura” da história do jazz em Portugal: aTensãoJAZZ é uma série documental, de 10 episódios, exibidos na RTP2 em 2011, que segundo o director do festival “não é a história mas uma história do jazz em Portugal".

 

 

Retirado do Público



publicado por olhar para o mundo às 10:20 | link do post | comentar

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email
mais sobre mim

posts recentes

O Blog Mudou de casa

Fado Insulano - José Mede...

Cantiga da terra - Zeca M...

"Aprendiz de Feiticeiro -...

Milhafre das Ilhas - Luis...

Sara Tavares - Ter Peito ...

Banho Maria - Não Há Amor...

Sara Tavares - Fitxadu ft...

JUNGLE EVA - TT SYNDICATE

João Granola estreia vide...

arquivos

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

tags

todas as tags

links
comentários recentes
Vou adicionar nos meus favoritos, sou brasileira, ...
" Para que o tremoço o almoço e o alvoroço demorem...
Letra e música do SiulProdução do Siul Sotnas e Mi...
que puta de letra fdx
Epá, o que é isto?Borrei-me todo com este "Mal des...
OUÇA A NOSSA RADIO EM https://goo.gl/ouzpk3
Eu queria a letra dessa música
YK é Noizz Kappa, Halloween a grande Alma, melhor ...
Eu adoro esta musica muitos deijos.
Mesmo Shakespere n escreveria tão bonito assim sob...
Posts mais comentados
blogs SAPO
subscrever feeds