Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

«Alegria» é o mote da Festa do Jazz no São Luiz que homenageia Bernardo Sassetti

A “alegria” é o mote da 11.ª Festa do Jazz, a decorrer no próximo fim de semana, no Teatro S. Luiz, em Lisboa, entre concertos, “jam sessions” e “materclasses”, numa homenagem ao músico Bernardo Sassetti, falecido em 2012.


“Essa Alegria”, diz o diretor artístico da Festa, Carlos Martins, “é também contra os dramas das nossas vidas atuais”.

 

Carlos Martins destaca a homenagem a Sassetti, por um grupo de músicos, que não está ainda fechado, como uma “não homenagem”, por dizer respeito à “alegria presente na música deste tão querido e muito presente amigo e o maior fã da Festa”.

 

A “não homenagem” intitula-se “Mali M’Bule Baaba”, com música de Bernardo Sassetti, e acontece no sábado, às 23:00, na sala principal do teatro municipal, com a participação já confirmada de Carlos Barretto (contrabaixo), José Salgueiro (bateria), Mário Delgado (guitarra), Luís Figueiredo e Júlio Resende (piano), Carlos Martins e José Pedro Coelho (saxofones tenores), Ricardo Toscano (saxofone alto) e Gonçalo Marques (trompete).

 

A Festa é, como habitualmente, palco do “maior encontro e único concurso entre escolas de jazz do país”, com a entrega de prémios aos combos e alunos das escolas de música, ao começo da madrugada de segunda-feira, no Jardim de Inverno do teatro.

 

Concorrem este ano 14 combos que serão avaliados por júri constituído por Paulo Barbosa, André Fernandes e Carlos Barretto.

 

Nesta festa, serão apresentados dois os novos projetos, na sala principal, o Coreto Porta-Jazz e o Bruno Santos Ensemble, que resultam de duas teses de mestrado neste género musical.

 

O Coreto Porta-Jazz apresenta o álbum de estreia, “Aljamia”, com música de João Pedro Brandão que, após um estudo dedicado à Música Tradicional do Mediterrâneo, explora, na sua composição musical, elementos e conceitos ligados a esta tradição musical, que integra na esfera do jazz.

 

O Coreto é formado por onze músicos do Porto que se juntaram no âmbito da Associação Porta-Jazz.

 

O Bruno Santos Ensemble é constituído também por 11 músicos, sendo Mariana Norton a vocalista e, segundo Carlos Martins, este novo projeto nasceu “da vontade e da curiosidade do guitarrista e compositor Bruno Santos, em escrever para uma formação alargada, com várias possibilidades de instrumentação”.

 

O ensemble só toca música original, mas inclui “o que caracteriza o jazz, os momentos de improvisação, liberdade e interação”.

 

Do cartaz da Festa, orçada em 50.000 euros, fazem ainda parte, entre outros, Sara Serpa & Fragmentz, que tocam às 21:30 de sábado na sala principal, o Massimo Cavalli Quartet que apresenta o seu CD de estreia, “Varandas do Chiado”, no domingo às 21:30, na sala principal que, em seguida, acolhe Maria João e Mário Laginha, com “Iridescente”, o sucessor de “Chocolate”, gravado há quatro anos por esta dupla.

 

A Festa abre no sábado, às 16:00, com Paulo Santo (vibrafone) e Sérgio Rodrigues (piano elétrico), que tocam no Café São Luiz, outro espaço do teatro onde acontece jazz, neste fim de semana, assim como o Estúdio Mário Viegas, onde, entre outros, atuarão, no sábado, o Quintino Quarteto, às 17:00, e o Nelson Cascais Decateto, às 18:00, e, no domingo, o trio Lama, com Chris Speed, às 17:00, e o Red Trio, do pianista Rodrigo Pinheiro, do contrabaixista Hernâni Faustino e do baterista Gabriel Ferrandini, às 18:00.

 

No sábado, às 17:00, no Jardim de Inverno é apresentado o site www.jazz.pt.

 

Retirado do Sapo Música

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email