Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

 

 

Letra

 

Mudam-se os tempos
Mas o disco toca o mesmo
Não há maneira nem vontade de mudar
Não é defeito estar sempre menos mal
Vira feitio riqueza nacional

Os pobrezinhos são bem bruto energia
Coitadinhos melhor que leite do dia
Alimentado sopa gode quando calha
Lá fazem vida que Deus lhes valha

Contra a pobreza exporto a minha tristeza
Contra a miséria já nem faço cara séria
Se estou com fome canto o fado p'ra esquecer

Contra a pobreza exporto a minha tristeza
Contra a miséria já nem faço cara séria
Se estou com fome canto o fado p'ra esquecer

Estar feliz é pior que avareza
Um ultraje face a esta depressão
Temos mágoas, paranóias, pára-quedas
Mas não há bóias para a nossa salvação
Agora basta fim à ladainha
Tudo a postos todos prontos p'ra a aventura
Um pé na sorte e pontapé neste mal-estar
Vamos mandar o desconsolo pelo ar

Contra a pobreza exporto a minha tristeza
Contra a miséria já nem faço cara séria
Se estou com fome canto o fado p'ra esquecer

Contra a pobreza exporto a minha tristeza
Contra a miséria já nem faço cara séria
Se estou com fome canto o fado p'ra esquecer

Vendi tristeza, não chega para comer
(Contra a pobreza exporto a minha tristeza)

Vendi tristeza, não chega para comer
(Contra a miséria já nem faço cara séria)

Vendi tristeza, não chega para comer
(Se estou com fome canto o fado para esquecer)


Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email