Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

A Música Portuguesa

Em terras Em todas as fronteiras Seja bem vindo quem vier por bem Se alguém houver que não queira Trá-lo contigo também

 

Letra

 

Na tertúlia do amanhecer

Fracos são os rostos

E só o silêncio cala

Por breves segundos a angústia

Dos distraídos não contamos

Amparo nas noites queridas

 

Lento o que não vê

Que a calçada é um sonho prestes a cair

 

Numa fogueira de sonho ou de madeira

Que constrói este abrigo

Pronto a abalar

Despido e sem olheiras

Bailar numa guerra sem lugar

 

O meu nome é terra

O meu nome é terra

O meu nome é terra

O meu nome é terra

 

Da fronteira nasce a luz

A de um olhar em Janeiro

A leitura do futuro

E de como avançar

Nesta prece de audição

Os direitos se aclamam

 

O meu nome é terra

O meu nome é terra

O meu nome é terra

O meu nome é terra

 

È preciso sobreviver nas pontes

Que ligam alguma estação

Sobreviver nas pontes

que ligam alguma estação

 

O meu nome é terra

O meu nome é terra

O meu nome é terra

O meu nome é terra

 

Quer ver a sua banda ou espectáculo divulgados aqui?,
envie um email para: olharparaomundo (arroba) sapo.pt
Se tem alguma letra que eu não tenha encontrado, pode enviar para o mesmo email

1 comentário

Comentar post